SoftexRecife e Sebrae-PE lançam cursos de capacitação em TI


flammarion.wordpress.com/

flammarion.wordpress.com/

SoftexRecife e Sebrae-PE lançam cursos de capacitação em TI

O Centro de Excelência em Tecnologia de Software do Recife (SoftexRecife) fechou parceria com o Sebrae-PE para oferecer cursos de capacitação na área de TI. Nessa primeira fase, foram escolhidos três temas: Introdução ao MPS.BR, Qualidade e Melhoria de Processo de Software e Fundamento de Testes. As aulas para o curso de Introdução ao MPS.BR acontecem dias 24 e 25 de julho e as inscrições para os demais já estão abertas.

Para participar, é necessário preencher alguns pré-requisitos, dependendo do tema escolhido. Todos serão ministrados no auditório do SoftexRecife (Rua Madre de Deus, 27, Bairro do Recife). Ao final da capacitação, o aluno receberá certificado que servirá para participação em outros cursos da mesma área.

O curso de Introdução ao MPS.BR vai preparar o aluno para ser um profissional qualificado para implementar ou avaliar o modelo MPS, voltado para a realidade do mercado de desenvolvimento de software no Brasil. O certificado MPS.BR é um modelo de qualidade de processo baseado no CMMI, nas normas ISO/IEC 12207 e ISO/IEC 15504. O selo garante a qualidade nos processos de desenvolvimento de software, sendo indicado para empresas de pequeno e médio porte por ter um investimento menor em relação às certificações internacionais.

Já o curso de Qualidade e Melhoria de Processo de Software, que acontece de 28 de julho a 1º de agosto, tem como objetivo aprofundar os conhecimentos na área, apresentar os conceitos da qualidade dentro do contexto de desenvolvimento de software e requisitos da garantia da qualidade dos modelos CMMI e MPS.BR, com base nas melhores práticas do mercado mundial. Serão 20 horas de carga horária, com aulas das 8h30 às 12h30.

Os associados às entidades SoftexRecife, Assespro-PE, Seprope-PE e Porto Digital terão um desconto de 50% na taxa de inscrição. Mais informações pelo telefone 3224.4251 ou pelo e-mail joaocarlos@next.org.br e também no site do SoftexRecife (www.recife.softex.br).

Aprovado o recurso da portabilidade numérica (Celular e Fixo)


flammarion.wordpress.com

flammarion.wordpress.com

O recurso da portabilidade numérica, que começa a ser implantada no Brasil em 1o de setembro, prevê que o usuário pague uma taxa sempre que quiser trocar de operadora e manter o número da linha.

Acompanhe mais detalhes do processo, que estará finalizado até 10 de março de 2009 em todo o país:

— A taxa para manter o número da linha, que a Anatel espera que fique em algo como 10 reais, será paga sempre para a nova operadora. Os recursos servirão para custear o trabalho da entidade administradora, organização que fará o gerenciamento desse processo de uma operadora para outra. A taxa será paga de uma única vez, na fatura seguinte.

— A portabilidade vai ser possível tanto na telefonia fixa como na móvel, mas não de uma para outra (um número de telefone fixo não poderá ser usado como de telefonia móvel, por exemplo).

— A portabilidade numérica só pode ser feita dentro de uma mesma região. Um assinante de Brasília, por exemplo, não pode se mudar para São Paulo e esperar trazer o mesmo número da linha já que, como explica a Anatel, aquele número deve ter o seu equivalente em São Paulo e, por isso, já estar sendo usado por outro usuário.

— As operadoras terão até 5 dias úteis para garantir a portabilidade ao usuário, a partir da sua solicitação. Esse prazo fica menor após o primeiro ano da implantação, para três dias úteis.

— Segundo a Anatel, o consumidor pode desistir do pedido de portabilidade, se informar em até dois dias úteis. Dessa forma, receberá um número de linha novo.

— O pedido do assinante pode ser recusado em três circunstâncias: se os dados fornecidos estiverem incorretos ou incompletos, se o número da linha estiver temporariamente indisponível ou designado para outro serviço ou se outra solicitação para o mesmo número já estiver am andamento.

— O usuário pode carregar seu número quantas vezes quiser, desde que pague a tarifa sempre que mudar de operadora.

Reuters