Executivos usam mais a web para se informar


A internet ganhou mais importância como fonte de informação para executivos. Os últimos três anos registraram notável crescimento de leituras no meio virtual.

Em 2005, 61% dos 500 executivos ouvidos pela CDN — Companhia de Notícias — disseram utilizar a web para se informar. Atualmente, o número saltou para 94%, que passaram a acessar diariamente e 92% quando se diz respeito às revistas.

Embora o meio virtual cresça, o jornal impresso ainda é o veículo mais utilizado para se informarem. O levantamento foi feito pela CDN Estudos & Pesquisas com 500 executivos das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

A TV ficou em segundo lugar na preferência, com índice de 96% de audiência dos executivos. Em 2005, esse número era de 95%.

Atendimento qualificado é diferencial competitivo em call center


O Brasil vive uma explosão de atendimento, com consumidores demandando informações de novos produtos, dúvida sobre serviços, reclamações, elogios. No País, mais de 1,5 bilhão de contatos entre clientes/empresas são realizados anualmente. Diante da concorrência, o bom atendimento – pautado pelo treinamento dos funcionários e pela segmentação de carteiras – tem se mostrado grande diferencial competitivo.

Cientistas israelitas digitalizam Manuscritos do Mar Morto para disponibilizar na Internet


Cientistas israelitas estão a tirar fotografias digitais aos Manuscritos do Mar Morto para disponibilizar estes documentos, com dois mil anos, na Internet. A Autoridade de Antiguidades de Israel, proprietária dos manuscritos sobre a vida de Jesus e dos primeiros cristãos, afirmaram hoje que vão demorar mais de dois anos a completar o projecto.

Usando câmaras especiais e luzes que não emitem calor ou raios ultravioleta, os cientistas conseguiram decifrar secções dos manuscritos, invisíveis a olho nu. [Leia mais]

A revolução da educação a distância


A sigla EaD refere-se à educação a distância, indiscutivelmente a maior inovação desta era do conhecimento no setor educacional. Nascida no século XX, na forma meio tosca do ensino por correspondência (coube-nos, por sinal, nos anos 60 dirigir os cursos por correspondência do antigo Departamento Estadual de Administração, destinados a todo o funcionalismo público estadual, quando ainda se procurava qualificar o servidor e as repartições não se tinham convertido em cabides de emprego), evoluiu para as tecnologias contemporâneas: mídia impressa, CD-ROM, DVD, rádio e TV, softwares de computador, áudio e videoconferências, entre outras. [Leia mais]

Mars Brasil aposta em BI via Web


A Mars Brasil, fabricante de alimentos e dona das marcas Uncle Bens, M&M´s e Whiskas, irá implantar uma solução de Business Intelligence baseada em Web para sua área de vendas. Quem vendeu e tocará o projeto será a integradora de sistemas YKP.

O Business Objects, aplicativo de BI da SAP, foi desenhado com base no ERP utilizado pela indústria. A conclusão da instalação da ferramenta está prevista para novembro.

A operação brasileira da Mars registra vendas anuais na casa dos R$ 500 milhões. Em solo brasileiro, a companhia conta com 1200 colaboradores distribuídos em cinco unidades.

Segurança da informação: novas ameaças, mais sofisticadas e complexas


Nos últimos anos, as redes e sistemas de informação têm aumentado em complexidade, assim como as técnicas e tecnologias utilizadas pelos “hackers” para driblar estes sofisticados sistemas. Conseqüentemente, as estratégias de proteção da informação devem ser mais rigorosas, enquanto os departamentos de informática devem controlar uma maior quantidade de variáveis, ataques e vulnerabilidades. [Leia mais]

Investimento publicitário na internet cresce 45% no primeiro semestre


A internet foi o meio de comunicação que mais cresceu, percentualmente, em investimento publicitário no Brasil durante o primeiro semestre deste ano. A rede faturou R$ 321 milhões no período, uma alta de 45% em relação ao ano passado. Os dados são do projeto Inter-Meios, que mede o faturamento de empresas de mídia.

Com isso, a web se consolida como o quinto meio que mais recebe esse tipo de verba –era a sétima há um ano. No primeiro semestre, a internet ultrapassou a TV por assinatura e a mídia exterior na divisão desses investimentos.

No primeiro semestre, a rede ficou com uma participação de 3,3% no “bolo publicitário”, índice bastante tímido ainda, mas que vem em crescimento constante –era de 2,7% na primeira metade de 2007 e de 1,5% em 2003, quando o investimento em web começou a ser medido pela pesquisa.

Durante todo o período de 2007, as empresas usaram R$ 526,6 milhões em publicidade na internet, uma alta de 45,8% em relação a 2006.

A televisão continua sendo a mídia que mais recebe investimento publicitário, apesar de ter perdido um pouco de espaço. A TV faturou R$ 5,6 bilhões em anúncios, o que equivale a 58,5% do valor total investido pelas empresas –no mesmo período de 2007, esse índice era de 59,3%.

Depois da televisão, a lista segue com jornais (17,2%), revistas (8%), rádio (4,3%), internet (3,3%), TV por assinatura (3,2%), mídia exterior (2,8%), guias (2,1%) e cinema (0,3%).

De acordo com o Inter-Meios, as empresas utilizaram R$ 9,57 bilhões em publicidade no primeiro semestre, contra R$ 8,22 bilhões no mesmo período de 2007, uma alta de 16,3%.