Pequenas empresas, bem-vindas à Web sem Web


A Telnic Limited (http://www.telnic.org), operadora de registro do novo domínio de topo .tel, anunciou hoje que pequenas empresas e proprietários-gerentes em todo o mundo podem agora ter o seu próprio nome de domínio para serem encontrados on-line sem a necessidade de construir, manter e hospedar um site completo. Chamados de “Web sem Web”, os domínios .tel devem possibilitar anúncios na Internet a todos, independentemente do orçamento ou do conhecimento técnico.

“Pequenas empresas têm ficado entre o fogo e a fogueira para tirarem vantagem da Internet”, disse Khashayar Mahdavi, CEO da Telnic. “Até agora, elas precisavam ter o conhecimento dentro da empresa para desenvolver e manter um site, ou pagar outras pessoas para fazerem o mesmo, tudo sem saber se os clientes teriam ou não interesse. Agora, com o .tel, as pequenas empresas obtêm uma presença on-line semelhante a um anúncio em uma lista telefônica, mas com a sua própria marca, com controle completo e a uma fração do custo de um anúncio em uma lista telefônica tradicional.”

O custo único de um domínio .tel inclui tudo o que é necessário para uma pequena empresa se estabelecer e ser descoberta on-line em qualquer aparelho conectado à Internet. Além de armazenar dados de contato, informações de localização e um número ilimitado de palavras-chave para ser encontrado com maior facilidade por mecanismos de busca como o Google, o domínio pode ser usado para gerenciar os custos por meio de canais de comunicação de baixo custo como ferramentas de mensagens instantâneas, microblogs ou mesmo serviços de VoIP (voz sobre IP), economizando dinheiro e aperfeiçoando o atendimento ao cliente ao mesmo tempo.

“Encanadores, lavanderias, motoristas, limpadores de janelas, atores, professores de educação física e intérpretes, entre outros, podem aproveitar a consolidação dos seus custos em listas telefônicas, economizando em comunicações com os clientes e se beneficiando da otimização para mecanismos de busca que é gratuita no domínio .tel”, acrescentou Mahdavi. “Em um momento de pressão econômica, há uma enorme oportunidade de melhorar a comunicação com os clientes e o acesso a eles ao mesmo tempo em que se consolidam os custos.”

Os nomes de domínio .tel estão disponíveis a todos para compra por um período fixo de três anos a partir das 15h GMT de hoje por meio de uma rede de mais de 100 registradores credenciados pela ICANN e respectivos revendedores. Para saber onde comprar, visite http://www.telnic.org/business-buy.html .

Sobre a Telnic Limited

Fundada em 2000 e com sede no Reino Unido, a Telnic Limited é a operadora de registro e a organização patrocinadora do novo domínio de topo .tel. Para mais informações sobre o domínio .tel ou a Telnic Limited, visite http://www.telnic.org . O domínio .tel foi lançado a proprietários de marcas comerciais no dia 3 de dezembro de 2008 e será lançado aos demais no dia 3 de fevereiro de 2009.

FONTE Telnic Limited

IBM inaugura centro de soluções de TI


Os mercados de finanças, telecomunicações, varejo e setor público, considerados em franco desenvolvimento, mereceram atenção especial da IBM, que inau-gura, amanhã, em São Paulo, o primeiro Centro de Soluções (ISC) na América Latina.

Trata-se de um espaço inovador, no térreo da sede paulista da empresa, para atender às necessidades de tecnologia da informação (TI) desses segmentos. O funcionamento do ISC será integrado aos demais centros da rede mundial da IBM. (Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 1)

Apesar da crise, sobram vagas no setor de TI


A Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) acredita que existem cerca de 30 mil vagas em aberto no segmento de software e serviços, tanto para o mercado interno como para o externo, e não espera encolhimentos, especialmente no que se refere à exportação de serviços, em 2009.
A gigante de informática IBM ainda não tem indicações de como será o seu ritmo de contratações em 2009, já que isso depende dos contratos de exportação que fechar, mas destaca que foram 3 mil admissões em 2007 e as 1,5 mil previstas para 2008 foram alcançadas em agosto daquele ano. Em relação a 2005, o número de empregados da IBM no país já saltou mais de 50% e chegou em 2008 a 15,4 mil pessoas. [Leia mais]

IEL estimula potencial de empresas tecnológicas


peiexPeiex vai ajudar a desenvolver mais a competitividade do segmento, com foco micro e pequenas empresas de TIC

Pernambuco vem se consolidando como um importante polo das tecnologias da informação e comunicação (TIC). O Porto Digital, localizado no Bairro do Recife, é considerado o maior parque tecnológico em área urbana e também um dos mais bem conceituados do Brasil. Sinônimo de excelência em software. O Parqtel, no Curado, abriga dezenas de fabricantes de hadware. Para ajudar a desenvolver ainda mais a competitividade desse arranjo produtivo local (APL), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-PE) coloca em campo o Projeto Extensão Industrial Exportadora (PEIEx).

O PEIEx foi criado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). O Sebrae Nacional também participa. Em Pernambuco, 195 empresas foram selecionadas, sendo 117 do Porto Digital. O projeto dura 14 meses e tem como objetivo estimular o potencial exportador das micro e pequenas empresas do setor, através do incremento da competitividade.

A superintendentedo IEL-PE, Gilane Lima, explica que o PEIEx é voltado para a resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos das empresas. “A primeira etapa, após o contato inicial e a primeira visita, é elaborar um diagnóstico, a partir do qual implantamos um conjunto de soluções para melhorar a performance da empresa”, afirma Gilane. O núcleo operacional do projeto é composto por um coordenador, sete monitores extensionistas e quatro estagiários.

Gilane Lima conta que o projeto foi aprovado no final de dezembro e a etapa atual é a de seleção do pessoal. “O Sistema IEL promove a integração entre a universidade e a empresa. O pessoal do projeto será todo selecionado a partir das universidades, como mestres e doutores. Nossa missão é levar o conhecimento para o setor produtivo”, diz a superintendente. Segundo ela, o segmento de TIC se mostrou o mais estruturado para receber o projeto no estado.

“Somente o Porto Digital é responsável por 3,5% do Produto Interno Bruto de Pernambuco, gerando cerca de 4 mil empregos”, justifica Gilane. A partir do projeto, as empresas beneficiadas poderão adquirir um padrão global e assim se tornarem aptas a concorrer tanto no mercado nacional quanto no internacional. “Atuando internamente, de forma competitiva, podemos impedir que empresas de fora entrem no país para oferecer seus produtos”, exemplifica a superintendente.

Desde que foi implantado e até o final de 2007, o PEIEx contava com 14 convênios e 21 APLs atendidos. O número de micro, pequenas e médias empresas beneficiadas ultrapassa 3,4 mil. Um dos termômetros do êxito do projeto é o alto porcentual de empresários satisfeitos, 97%.

*Leia em: http://www.diariodepernambuco.com.br/2009/02/01/economia15_0.asp