Investimento das companhias em TI prossegue firme, revela pesquisa

investimento TI

Levantamento da FGV/SP mostra que orçamento para o setor dobrou em dez anos.

A cada três segundos, um computador foi comprado no país ao longo do ano passado. O consumidor final, motivado pelas promoções do varejo e pelo crédito fácil, foi quem mais teve peso nessa conta. Mas o setor empresarial também não fez por menos. As companhias brasileiras nunca investiram tanto em tecnologia da informação (TI) como nos dias atuais, conforme indicam os dados da 20 ªpesquisa sobre Administração de Recursos de Informática, divulgada ontem pela Fundação Getulio Vargas (FGV) de São Paulo.

O estudo realizado entre agosto de 2008 e abril deste ano com 2 mil empresas – lista que inclui 60% das 500 maiores do país – mostra que, no ano passado, 6% do faturamento líquido das companhias foi aplicado em gastos e investimentos com TI. É praticamente o dobro do que as empresas investiam uma década atrás. Há vinte anos, os gastos com tecnologia atingiam apenas 1,3% da receita das empresas.

Segundo Fernando Meirelles, professor da FGV e coordenador da pesquisa, o aumento da fatia de TI dentro dos custos das empresas deve-se a uma série de fatores, entre eles a crescente migração das transações comerciais para o meio eletrônico e a padronização de operações entre as empresas.

“Nos últimos 20 anos, os gastos com tecnologia no país cresceram a uma média anual de 8%”, comenta Meirelles. “Hoje, o setor de TI representa 7% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.” No ano passado, a produção nacional de riquezas somou R$ 2,9 trilhões, de acordo com o IBGE.

“Esses números são reflexos da crescente maturidade das empresas na área de tecnologia“, diz Alberto Luiz Albertin, professor da FGV que apresentou os dados de outra pesquisa, batizada de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro e realizada com 434 empresas. Os resultados mostram que, atualmente, 58% de todas as transações comerciais das empresas do país já são efetivadas pelo meio digital.

Na arena do software, a Microsoft continua à frente de boa parte dos sistemas usados pelas empresas. Nos servidores, computadores de grande porte usados para gerenciar a rede, a presença do sistema operacional Windows atinge 66%, fatia que se mantém praticamente inalterada nos últimos seis anos. Nesse mesmo período, o sistema de código aberto Linux ganhou espaço e hoje é realidade em 20% dos servidores das empresas, mas essa participação deve-se, principalmente, a um crescimento sobre a base de usuários de sistemas da companhia americana Novell, diz Meirelles. “Na realidade, não vemos um crescimento do Linux sobre o Windows.”

A Microsoft também segue na dianteira quando se trata de navegador de internet e sistemas para escritório. O pacote Office é usado hoje por 92% das empresas, percentual que também de mantém inalterado nos últimos seis anos. Já o Internet Explorer é a porta de entrada para a web em 91% das empresas. Os navegadores Mozilla e Firefox, surgidos em meados de 2003, somam atualmente uma fatia de 6%, participação roubada do Netscape, que praticamente desapareceu do mercado.

Quando o tema é sistema de gestão empresarial, a liderança segue nas mãos da brasileira Totvs, que detém 39% do mercado. A segunda colocada no ranking é a alemã SAP, que nos últimos anos segue com uma fatia de 23% desse mercado.

Com a força de compra do varejo e das empresas, o Brasil conta hoje com um parque tecnológico de 60 milhões de computadores em uso, dos quais 12,2 milhões foram comprados no ano passado. Essa base instalada equivale a praticamente um computador para cada 3 habitantes. O cenário é melhor que a média mundial. Hoje, há 1,7 bilhão de PCs em uso em todo o mundo, o que significa um PC disponível para cada quatro pessoas no globo. Nos Estados Unidos, porém, o volume de máquinas já atinge praticamente 100% da população.

Segundo Meirelles, o mercado nacional de PCs caminha para o que já aconteceu com a telefonia no país. “Somados os mais de 150 milhões de celulares em uso e mais de 40 milhões de linhas fixas ativas no país, já há um telefone disponível para cada habitante”, diz ele. “Até 2012, chegaremos a uma base de 100 milhões de computadores no país, o que equivale a um PC para cada dois habitantes.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s