Empreendedor Individual (EI): FAQ tire todas suas dúvidas


Prezados Empreendedores,

sebrae_logoTenho a satisfação de postar o FAQ relativa ao tema “EMPREENDEDOR INDIVIDUAL”. Esse material, elaborado pela Unidade de Atendimento Individual do SEBRAE, em articulação com a Unidade de Políticas Públicas, sem dúvida contribuirá decisivamente para o incremento da qualidade do atendimento que será feito pelo SISTEMA SEBRAE por intermédio do número 0800 570 0800, a todos aqueles clientes interessados em formalizar seus empreendimentos individuais.

Conheçam os benefícios de que trata a Lei Complementar 128/08.

1. O que é Empreendedor Individual ?

  1. Considera-se EI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 – Código Civil, que tenha auferido receita bruta, no ano-calendário anterior, de até R$ 36.000,00 e que seja optante pelo Simples Nacional.

2. Qual a lei que instituiu o Empreendedor individual ?

Lei complementar nº 128 de 19 de dezembro de 2008. Resolução 58 regulamentou o capítulo da Lei complementar nº 128/08 que criou o Empreendedor Individual, figura jurídica que entra em vigor dia 1º de julho de 2009.

3. A legislação do Empreendedor Individual  já está em vigor?

Os artigos 18-A a 18C da Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008 relativos ao Empreendedor Individual produzem efeitos a partir de 01/07/2009.

4. Como e onde posso me formalizar?

A formalização é feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br.

Há um considerável número de empresas contábeis espalhadas pelo Brasil que poderão realizar esse trabalho de graça. Para saber quem são essas empresas consulte a relação constante dos endereços no portal do empreendedor na Internet. Lembre-se de que toda atividade a ser exercida, mesmo na residência, necessita de autorização prévia da Prefeitura que nesse caso será também de graça. O SEBRAE é outro parceiro que oferecerá orientação de graça sobre a formalização.

5. Quanto tempo demora para me formalizar?

Como a formalização é feita pela Internet, o CNPJ, o número de inscrição na Junta Comercial, no INSS e um documento de alvará que equivale ao alvará de funcionamento são obtidos imediatamente, gerando um documento que deve ser impresso, assinado e encaminhado à Junta Comercial acompanhado de cópia da Identidade. Lembre-se, também, de que é necessário conhecer as normas da Prefeitura para desenvolver o seu negócio, seja ele qual for. Não se registre se não estiver dentro dos requisitos municipais, principalmente em relação à possibilidade de atuar naquele endereço.

6. Posso me formalizar a qualquer tempo?

Para o empreendedor que está obtendo o CNPJ a partir de primeiro de julho de 2009, a opção será simultânea e vale para o ano todo de forma irretratável. No caso de empreendedores que já possuem CNPJ a opção somente poderá ser feita durante o mês de janeiro de cada ano.

7. Qual o custo da formalização?

O ato de formalização está isento de todas as tarifas. Para a formalização e para a primeira declaração anual existe uma rede de empresas de contabilidade que são optantes pelo SIMPLES NACIONAL que irão realizar essas tarefas sem cobrar nada no primeiro ano. Após a formalização o empreendedor terá o seguinte custo:

Para a Previdência: R$ 51,15 por mês (representa 11% do salário mínimo que é reajustado no início de cada ano);
Para o Estado: R$ 1,00 fixo por mês se a atividade for comércio ou indústria;
Para o Município: R$ 5,00 fixos por mês se a atividade for prestação de serviço.

8. Como faço o pagamento destes valores?

Através de um documento chamado DAS que é gerado pela Internet no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br. Esse documento pode ser gerado por qualquer pessoa em qualquer computador ligado à Internet. É possível gerar, de uma só vez, os DAS do ano inteiro e ir pagando mês a mês. O pagamento será feito na rede bancária e casas lotéricas, até o dia 20 de cada mês.

9. Qual será o procedimento em caso de atraso nos pagamentos dos impostos?

Caso haja esquecido o pagamento na data certa haverá cobrança de juros e multa. A multa será de 0,33% por dia de atraso limitado a 20% e os juros serão calculados com base na taxa SELIC, sendo que para o primeiro mês de atraso os juros serão de 1%. Após o vencimento deverá ser gerado novo DAS, acessando-se novamente o endereço www.portaldoempreendedor.gov.br. A emissão do novo DAS já conterá os valores da multa e dos juros, sem precisar fazer cálculos por fora e não custa nada.

10. Como farei se quiser ter direito a aposentadoria por tempo de contribuição?

Nesse caso deverá complementar o pagamento em favor do INSS à alíquota complementar de 9%, calculada sobre o salário-mínimo. O pagamento deverá ser feito em GPS, com o código de pagamento 1295, na rede bancária, até o dia 15 do mês seguinte a que se referir o pagamento ou no primeiro dia útil subseqüente se o dia 15 for feriado.

Exemplo: Com o valor atual do salário- mínimo a conta será a seguinte:

R$ 465,00 x 9% = R$ 41,85. Esse valor deverá ser recolhido em GPS com o código de pagamento 1295. Com esse pagamento, o valor correspondente ao salário-mínimo (atualmente R$ 465,00) passa a contar para todos os efeitos para o cálculo de qualquer benefício previdenciário, inclusive aposentadoria por tempo de contribuição.

Caso o trabalhador já recolha carnê mensal pelo exercício de outra atividade, poderá continuar a fazê-lo, sob os códigos normais.
Exemplo: o trabalhador já recolhe carnê mensal sobre o valor de R$ 600,00, à alíquota de 20%, representando R$ 120,00, em GPS, com o código 1007.

Caso recolha o DAS, efetue a contribuição complementar de 9% (código 1295) e mantenha a contribuição que vinha fazendo (código 1007), seu salário-de-contribuição para fins de benefício passará a ser de R$ 1.065,00 resultado da soma de R$ 465,00 com R$ 600,00.
Pode haver ainda trabalhador que, além de Empreendedor Individual, tenha vínculo de trabalho com outra empresa, como empregado ou autônomo.
Nesse caso, a remuneração que receber da empresa contará para todos os efeitos para os benefícios previdenciários essas informações provêm da GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e de informações à Previdência Social) , preenchida pela empresa.

Da mesma forma, se esse trabalhador quiser que o valor recolhido em DAS passe a contar para todos os benefícios, deverá recolher a GPS (Guia da Previdência Social) com código de pagamento 1295, mensalmente, com valor correspondente a 9% do salário-mínimo.

11. Que outras obrigações terei junto a Receita Federal, Secretaria da Fazenda do estado e Secretaria de Finanças do município?

Anualmente deverá fazer uma Declaração do faturamento, também pela Internet e nada mais. Essa declaração deverá ser feita até o último dia do mês de Janeiro de cada ano. Mensalmente deverá fazer uma declaração correspondente, basicamente , à informação de quanto o empreendimento faturou, com emissão de notas fiscais e sem a emissão de notas fiscais. Pode ser de próprio punho e não precisa ser enviada a lugar algum. Basta guardá-la.

Além disso, o empreendedor deverá guardar as notas fiscais de suas compras.

12. Que atividades podem ser enquadradas como Empreendedor Individual?

A Resolução 58, regulamentou o capítulo da Lei Complementar nº 128/08 que criou o Empreendedor Individual e suas atividades, figura jurídica que entra em vigor dia 1º de julho de 2009.

-AÇOUGUEIRO
-ADESTRADOR DE ANIMAIS
-ALFAIATE
-ALFAIATE QUE REVENDE ARTIGOS LIGADOS À SUA ATIVIDADE
-ALINHADOR DE PNEUS
-AMOLADOR DE ARTIGOS DE CUTELARIA (FACAS, CANIVETES, TESOURAS, ALICATES ETC)
-ANIMADOR DE FESTAS
-ARTESÃO EM BORRACHA
-ARTESÃO EM CERÂMICA
-ARTESÃO EM CORTIÇA, BAMBU E AFINS
-ARTESÃO EM COURO
-ARTESÃO EM GESSO
-ARTESÃO EM MADEIRA
-ARTESÃO EM MÁRMORE
-ARTESÃO EM MATERIAIS DIVERSOS
-ARTESÃO EM METAIS
-ARTESÃO EM METAIS PRECIOSOS
-ARTESÃO EM PAPEL
-ARTESÃO EM PLÁSTICO
-ARTESÃO EM TECIDO
-ARTESÃO EM VIDRO
-ASTRÓLOGO
-AZULEJISTA
-BABY SITER
-BALANCEADOR DE PNEUS
-BANHISTA DE ANIMAIS -DOMÉSTICOS
-BAR (DONO DE)
-BARBEIRO
-BARQUEIRO
-BARRAQUEIRO
-BIKEBOY (CICLISTA MENSAGEIRO)
-BOMBEIRO HIDRÁULICO
-BONELEIRO (FABRICANTE DE -BONÉS)
-BORDADEIRA SOB ENCOMENDA
-BORDADEIRA SOB ENCOMENDA -E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-BORRACHEIRO
-BORRACHEIRO QUE REVENDE -ARTIGOS LIGADOS À SUA ATIVIDADE
-CABELEIREIRO
-CABELEIREIRO QUE REVENDE ARTIGOS LIGADOS À SUA ATIVIDADE
-CALAFETADOR
-CAMINHONEIRO
-CAPOTEIRO
-CARPINTEIRO SOB ENCOMENDA
-CARPINTEIRO SOB ENCOMENDA -E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-CARREGADOR DE MALAS
-CARREGADOR (VEÍCULOS DE TRANSPORTES TERRESTRES)
-CARROCEIRO
-CARTAZEIRO
-CATADOR DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS (PAPEL, LATA ETC.)
-CHAPELEIRO
-CHAVEIRO
-CHURRASQUEIRO AMBULANTE
-CHURRASQUEIRO EM DOMICÍLIO
-COBRADOR (DE DÍVIDAS)
-COLCHOEIRO
-COLOCADOR DE PIERCING
-COLOCADOR DE REVESTIMENTOS
-CONFECCIONADOR DE CARIMBOS
-CONFECCIONADOR DE FRALDAS -DESCARTÁVEIS
-CONFECCIONADOR DE INSTRUMENTOS MUSICAIS
-CONFEITEIRO
-CONSERTADOR DE ELETRODOMÉSTICOS
-COSTUREIRA
-COSTUREIRA QUE REVENDE ARTIGOS LIGADOS À SUA ATIVIDADE
-CONTADOR/TÉCNICO CONTÁBIL
-COZINHEIRA
-CRIADOR DE ANIMAIS DOMÉSTICOS
-CRIADOR DE PEIXES
-CROCHETEIRA SOB ENCOMENDA
-CROCHETEIRA SOB ENCOMENDA E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-CURTIDOR DE COUROS
-DEDETIZADOR
-DEPILADORA
-DIGITADOR
-DOCEIRA
-ELETRICISTA
-ENCANADOR
-ENGRAXATE
-ESTETICISTA
-ESTETICISTA DE ANIMAIS -DOMÉSTICOS
-ESTOFADOR
-FABRICANTE DE PRODUTOS DE LIMPEZA
-FABRICANTE DE VELAS ARTESANAIS
-FERREIRO/FORJADOR
-FERRAMENTEIRO
-FILMADOR
-FOTOCOPIADOR
-FOTÓGRAFO
-FOSSEIRO (LIMPADOR DE FOSSA)
-FUNILEIRO / LANTERNEIRO
-GALVANIZADOR
-GESSEIRO
-GUINCHEIRO (REBOQUE DE -VEÍCULOS)
-INSTRUTOR DE ARTES CÊNICAS
-NSTRUTOR DE MÚSICA
-INSTRUTOR DE ARTE E CULTURA EM GERAL
-NSTRUTOR DE IDIOMAS
-INSTRUTOR DE INFORMÁTICA
-JARDINEIRO
-JORNALEIRO
-LAPIDADOR
-LAVADEIRA DE ROUPAS
-LAVADOR DE CARRO
-LAVADOR DE ESTOFADO E SOFÁ
-MÁGICO
-MANICURE
-MAQUIADOR
-MARCENEIRO SOB ENCOMENDA
-MARCENEIRO SOB ENCOMENDA E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-MARMITEIRO
-MECÂNICO DE VEÍCULOS
-MERCEEIRO
-MERGULHADOR (ESCAFANDRISTA)
-MOTOBOY
-MOTOTAXISTA
-MOVELEIRO
-OLEIRO
-OURIVES SOB ENCOMENDA
-OURIVES SOB ENCOMENDA E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-PADEIRO
-PANELEIRO (REPARADOR DE PANELAS)
-PASSADEIRA
-PEDICURE
-PEDREIRO
-PESCADOR
-PEIXEIRO
-PINTOR
-PIPOQUEIRO
-PIROTÉCNICO
-PIZZAIOLO EM DOMICÍLIO
-POCEIRO (CISTERNEIRO, CACIMBEIRO)
-PROFESSOR PARTICULAR
-PROMOTOR DE EVENTOS
-QUITANDEIRO
-REDEIRO
-RELOJOEIRO
-REPARADOR DE INSTRUMENTOS MUSICAIS
-RENDEIRA
-RESTAURADOR DE LIVROS
-RESTAURADOR DE OBRAS DE ARTE
-SALGADEIRA
-SAPATEIRO SOB ENCOMENDA
-SAPATEIRO SOB ENCOMENDA E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-SELEIRO
-SERIGRAFISTA
-SERRALHEIRO
-SINTEQUEIRO
-SOLDADOR / BRASADOR
-SORVETEIRO AMBULANTE
-SORVETEIRO EM ESTABELECIMENTO FIXO
-TAPECEIRO
-TATUADOR
-TAXISTA
-TECELÃO
-TELHADOR
-TORNEIRO MECÂNICO
-TOSADOR DE ANIMAIS -DOMÉSTICOS
-TOSQUIADOR
-TRANSPORTADOR DE ESCOLARES
-TRICOTEIRA SOB ENCOMENDA
-TRICOTEIRA SOB ENCOMENDA E/OU QUE VENDE ARTIGOS DE SUA PRODUÇÃO
-VASSOUREIRO
-VENDEDOR DE LATICÍNIOS
-VENDEDOR AMBULANTE DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS
-VENDEDOR DE BIJUTERIAS E ARTESANATOS
-VENDEDOR DE COSMÉTICOS E ARTIGOS DE PERFUMARIA
-VENDEIRO (SECOS E MOLHADOS)
-VERDUREIRO
-VIDRACEIRO
-VINAGREIRO

13. Qual a receita bruta anual do Empreendedor Individual?

Quando o Empreendedor Individual já possuir uma empresa individual, a sua receita bruta anual não poderá ultrapassar R$ 36.000,00. Mas, caso constitua uma empresa no decorrer do ano, a receita bruta de R$ 36.000,00 será proporcional aos meses em que a empresa foi constituída até o final do ano. Por exemplo: 36.000,00 / por 12 meses = 3.000,00 por mês, logo, se uma empresa for registrada em abril, a receita bruta não poderá ultrapassar R$ 27.000,00 (3.000,00 * 9 meses = 27.000,00).

14. Se a pessoa estiver enquadrada na lei do Empreendedor Individual e estourar a cota de 36 mil anual o que ocorre?

Nesse caso temos duas situações.
A  Primeira: o faturamento foi maior que 36.000,00, porém não ultrapassou R$ 43.200,00. Nesse caso o seu empreendimento é incluído no sistema do SIMPLES NACIONAL, na categoria de microempresa, a partir de janeiro do ano seguinte ao ano em que o faturamento excedeu os R$ 36.000,00. A partir daí o seu pagamento passará a ser de um percentual do faturamento por mês, 4% se for comércio, 4,5% se for indústria e 6% se for prestador de serviço. O valor do excesso deverá ser acrescentado ao faturamento do mês de janeiro e os tributos serão pagos juntamente com o DAS referente àquele mês.
A Segunda: o faturamento foi superior a R$ 43.200,00. Nesse caso o enquadramento no SIMPLES NACIONAL é retroativo e o recolhimento sobre o faturamento, conforme explicado na Primeira Situação passa a ser feito no mesmo ano em que ocorreu o excesso no faturamento, COM acréscimos de juros e multa.
Por isso, recomenda-se que o empreendedor, ao perceber que seu faturamento no ano será maior que R$ 43.200,00, inicie imediatamente o cálculo e o pagamento dos tributos acessando diretamente o Portal do SIMPLES NACIONAL, no endereço www.receita.fazenda.gov.br .

15. Poderá o Empreendedor Individual trabalhar em sua residência?

Poderá o Município conceder Alvará de Funcionamento Provisório para o Empreendedor Individual:

I – instalado em áreas desprovidas de regulação fundiária legal ou com regulamentação precária;

II- em residência do Empreendedor Individual, na hipótese em que a atividade não gere grande circulação de pessoas.

Ele deve, antes de proceder ao registro, consultar o município para saber se naquele endereço residencial pode ser instalado um negócio, lembrando que o bem estar coletivo se sobrepõe ao interesse individual. Isso quer dizer que atividades barulhentas ou com grande circulação de pessoas, dificilmente poderão ser exercidas em residências.

16. O Empreendedor Individual é obrigado a emitir nota fiscal?

O Empreendedor Individual estará dispensado de emitir nota fiscal para consumidor pessoa física, mas estará obrigado à emissão quando vender para pessoa jurídica.

17. Para o ambulante que trabalha na rua como vai funcionar o sistema?

O ambulante ou quem trabalha em lugar fixo deverá consultar a Prefeitura antes de fazer o registro, com relação ao tipo de atividade e ao local onde irá trabalhar. Apesar do Portal Empreendedor emitir documento que autoriza o funcionamento imediato do empreendimento, as declarações do empresário, de que observa as normas e posturas municipais, são fundamentais para que não haja prejuízo à coletividade e ao próprio empreendedor que, caso não seja fiel ao cumprimento das normas como declarou, estará sujeito a multas, apreensões  e até mesmo fechamento do empreendimento e cancelamento dos seus registros.

18. Preciso ter contabilidade?

A contabilidade formal como livro diário e razão está dispensada. Não é preciso também ter Livro Caixa. Contudo, o empreendedor deve zelar pela sua atividade e manter um mínimo de controle em relação ao que compra, ao que vende e quanto está ganhando. Essa organização mínima permite gerenciar melhor o negócio e a própria vida, além de ser importante para crescer e se desenvolver. O empreendedor deverá registrar, mensalmente, em formulário simplificado, o total das suas receitas. Deverá manter em seu poder, da mesma forma, as notas fiscais de compras de produtos e de serviços.

19. Quais os benefícios da formalização?

A)   Cobertura Previdenciária para o Empreendedor e sua família, traduzida nos seguintes benefícios.

Para o Empreendedor:
1- Aposentadoria por idade : mulher aos 60 anos e homem aos 65. É necessário contribuir durante 15 anos pelo menos e a renda é de um salário mínimo;
2- Aposentadoria por invalidez : é necessário 1 ano de contribuição;
3- Auxílio doença: é necessário 1 ano de contribuição;
4- Salário maternidade (mulher): são necessários 10 meses de contribuição;

Para a família:

1- Pensão por morte: a partir do primeiro pagamento em dia;
2- Auxílio reclusão: a partir do primeiro pagamento em dia;

Obs. Se a contribuição do Empreendedor Individual se der como base em um salário mínimo, qualquer benefício a ele que vier a ter direito também se dará como base em um salário mínimo.

B) Acesso a serviços bancários, incluindo crédito.

C) Apoio técnico do SEBRAE sobre a atividade exercida;

D) Possibilidade de crescimento em um ambiente seguro;

E) Desempenhar a atividade de forma legal, sabendo que não sofrerá ações do Estado;

F) Formalização simplificada e sem maiores burocracias;

G) Baixo custo da formalização em valores mensais fixos

H) Simplificação no processo de baixa e ausência de pagamento de taxas.

20. Posso contratar alguém para me ajudar?

A lei prevê a possibilidade da contratação de até um empregado com remuneração de um salário mínimo ou piso da categoria

21. Qual o custo para contratação de um empregado?

O custo previdenciário, recolhido em GPS, é de R$ 51,15, sendo R$ 13,95 de responsabilidade do empregador e R$ 37,20 descontado de empregado. Esses valores se alteram caso o salário seja superior ao salário-mínimo e até o piso da categoria profissional.

22. Em qualquer caso é preciso fazer a Guia do FGTS e Informação à Previdência?

Só deve ser feita se o Empreendedor Individual tiver empregado.

A GFIP que é entregue até o dia 7 do mês seguinte ao pagamento do salário através de um sistema chamado conectividade social da Caixa Econômica Federal.

Ao preencher e entregar a GFIP, deverá ser depositado o FGTS do empregado, calculado à base de 8% sobre o seu salário. Todas essas contas são feitas automaticamente pelo sistema GFIP, que deve ser baixado do site da Internet da Receita Federal, no endereço www.receita.fazenda.gov.br na parte de Download.

Em resumo, o custo total do empregado para o Empreendedor individual é 11% do respectivo salário mínimo ou piso da categoria, o que equivale a R$ 51,15 se o empregado ganhar o salário mínimo.

23. Posso prestar serviços a outras empresas?

O Empreendedor Individual não poderá realizar cessão ou locação de mão-de-obra. Isso significa que o benefício fiscal criado pela LC 128/2008 é destinado ao empreendedor, e não à empresa que o contrata.

Significa, também, que não há intenção de fragilizar as relações de trabalho, não devendo o instituto ser utilizado por empresas para a transformação em Empreendedor Individual de pessoas físicas que lhes prestam serviços.

24. Como fica a situação do Alvará de funcionamento e do cumprimento de posturas municipais?

A concessão do Alvará de localização depende da observância das normas contidas na legislação municipal. O empreendedor deve investigar se o local escolhido para estabelecer se a sua empresa está de acordo com as normas emanadas nesses Códigos.

Ressalte que, assim, antes de qualquer procedimento, o empreendedor deve consultar a Prefeitura para saber se existe ou não restrição para exercer a sua atividade no local escolhido, bem como outros requisitos a serem cumpridos, como sanitários, por exemplo, para quem manuseia alimentos.

Ciente de sua viabilidade em termos de local, o registro como Empreendedor Individual terá força de alvará (também conhecido como autorização de funcionamento).

Ressaltar muito que, caso desconheça as regras de localização, não deve concluir o processo de registro pois isso poderá acarretar prejuízos futuros à coletividade e também ao próprio empreendedor, que estará sujeito a multas, apreensões e até mesmo o fechamento de seu negócio pela fiscalização.  Essa ressalva deve ser feita de forma veemente.

Fonte: SEBRAE (UAI / UPP)

Anúncios

O que é o tal do Branding 3.0?


Branding 3.0

A ideia do Branding 3.0 nasceu da necessidade de reposicionar marcas. A preocupação com a sustentabilidade sairá de uma posição acessória e entrará como foco principal do negócio. Haverá um mergulho na essência das marcas para encontrar o caminho pertinente para que elas sigam esse novo paradigma. Para atender à nova lógica de relacionamento com o consumo, as empresas vão ter de se reinventar.

Primeiro hotel sustentável do País fica na Bahia

Além do hotel Canto das Águas, a ABNT espera certificar outros 249 meios de hospedagem, em todo o Brasil, que estão em processo de avaliação.

Lençóis, município considerado o coração da Chapada Diamantina, na Bahia, e um dos principais destinos de ecoturismo do Brasil, tem o primeiro hotel sustentável do País, o Canto das Águas. O estabelecimento adquiriu o certificado da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A informação é da Agência Sebrae.

“O perfil do consumidor mudou. Eles estão mais exigentes com relação às questões sociais e ambientais. Então, esse certificado nos fornece maior credibilidade frente aos nossos clientes. Esperamos também que esse título funcione como um motivador para que outros empresários desenvolvam boas práticas em seus estabelecimentos”, afirma o proprietário do hotel, Carlos Armiato.

Foram dois anos de consultoria, iniciada pela área de certificação do Instituto de Hospitalidade, por meio do programa Bem Receber, que conta ainda com a parceria do Sebrae e do Ministério do Turismo.

De acordo com o chefe da secretaria do Comitê Brasileiro de Turismo da ABNT, Tiago Valois, a proposta do programa é profissionalizar as práticas sustentáveis no setor de turismo, a partir dos referenciais de segurança da associação. “As consultorias consistem na elaboração de um diagnóstico e na verificação das condições de sustentabililidade do estabelecimento. No caso do Canto das Águas, eles atendiam à maioria das exigências da ABNT, mas faltavam apenas alguns ajustes”, explica Valois.

Além do hotel Canto das Águas, a ABNT espera certificar outros 249 meios de hospedagem, em todo o Brasil, que estão em processo de avaliação. Outras informações sobre a certificação podem ser adquiridas no site do programa Bem Receber www.bemreceber.org.br.

O mercado promete


computex taipei

Feira asiática de informática e telecomunicações reúne 100 mil visitantes e mostra por que o futuro pertence aos portáteis notebooks e netbooks.

Nos tempos de glória da Comdex e PC Expo, há quase 30 anos, em Taipei, China Insular (então conhecida por Formosa), surgia a Computex. No começo, era mais uma feira local sem grandes pretensões. Agora, na era da internet, poucas feiras mundiais sobreviveram.

Já não há mais Comdex ou PC Expo. Mas a Computex, em sua 29ª edição, continua firme e forte, e é hoje a segunda maior feira mundial de informática, superada apenas pela CeBIT de Hannover, Alemanha.

A Computex 2009 aconteceu de 1º a 6 de junho, em Taipei, Taiwan. É organizada pela associação local da indústria de informática, a TCA (Taipei Computers Association) e, ao longo dos anos, ganhou o apoio formal do governo local por meio de seu órgão de fomento do comércio exterior, Taitra (Taiwan External Trade Development Council), que acabou por tornar-se seu principal mentor.

Taipei 101 – Como sabemos, vivemos tempos de crise. E se tem um evento que é afetado por crises globais são feiras de negócios. Poisbem: enquanto em 2009 as grandes concorrentes (a citada CeBIT de Hannover e a CES realizada em Las Vegas, EUA) sofreram uma redução de quase 25%, a Computex, embora não crescendo como fazia nos últimos anos, ao menos não encolheu – o que já é uma vitória. O número de expositores foi de 1.712, apenas 1% menor que o do ano passado. Uma diferença que pode ser considerada desprezível face à conjuntura atual.

A feira ocupou 4.498 estandes, em cinco salões, em quatro diferentes pavilhões. Três deles junto ao Taipei 101, o prédio considerado o marco da cidade. O quarto, maior, com estandes distribuídos em dois salões, distava poucos quilômetros, no novo Centro de Exposições de Nangang.

Centro de Exposições de Nangang

Este ano, a feira contou com cerca de 100 mil participantes, dos quais 35 mil vieram do exterior. Os estandes foram distribuídos em 12 conjuntos temáticos, cada um situado em uma área delimitada de seu pavilhão, permitindo encontrar com facilidade qualquer estande.

Grande parte deles era de empresas locais, como Acer, Asus, Gigabyte, MSI, Transcend e Zyxel. O restante, de praticamente toda parte do mundo, como AMD, Hitachi, Intel Microsoft, NVidia e SanDisk. Havia até uma brasileira, a paranaense Bematech.

Além de seu estande, o único outro oriundo do Brasil era do escritório comercial brasileiro em Taipei (onde não podemos manter embaixada devido a questões ligadas à política internacional), capitaneado pelo bravo diplomata Sérgio Abi-Sad, Diretor do Brasil Business Center.

A Computex é, sobretudo, uma feira de negócios concebida para pôr em contato compradores e vendedores. E faz isso de forma altamente eficaz através do Procurement Match, um ambiente onde compradores e vendedores em potencial se encontram e fecham negócios, coordenado pelos organizadores da feira.

Eles instalam um centro de informações em que os compradores se registram e informam seus interesses ao lado de um salão, onde os vendedores previamente inscritos aguardam a visita. E a organização da Computex procura por interesses em comum e põe uns em contato com os outros.

Procurement Match

O ambiente é simples. Não há luxo. Tudo é feito de forma rápida e direta. Depois de registrados, os representantes dos vendedores aguardam sentados em uma área do salão.

No centro, uma representante dos organizadores convoca os participantes para cada reunião e anota em um quadro branco os que já foram convocados.

No restante do salão, há dezenas de mesas onde são feitos os contatos comerciais.

Um sistema simples, mas muito funcional. E quanto à feira propriamente dita? E os grandes lançamentos de novos produtos?

Bem, na era da internet não se deve esperar grandes lançamentos em feiras, como costumava ocorrer há um par de décadas. É certo que a Intel apresentou a nova família de processadores móveis de voltagem ultra baixa e anunciou o lançamento dos processadores Lynnfield e Clarksfield para o segundo semestre e o do Westmere (o primeiro da geração de 32nm) para o início do próximo. E a MS antecipou para este ano o lançamento do Windows 7, prometido para 2010. Fora isso, alguns lançamentos de produtos específicos aqui e ali, mas nada de retumbante.

Mas para nós, usuários domésticos e não diretamente interessados nos negócios fechados no evento, o que realmente justifica a visita a uma feira como a Computex é detectar as tendências do mercado, verificando em que produtos os fabricantes apostam suas fichas.

E a Computex 2009 não deixou dúvidas: o futuro pertence aos portáteis (notebooks), sobretudo a seus irmãos menores, concebidos para acesso sem fio à internet e conhecidos como netbooks. Fora isso – pelo menos no âmbito doméstico -, preparem-se para a substituição dos velhos desktops pelos novos computadores AIO, acrônimo de all in one (tudo em um, em inglês).

Um netbook já rodando Windows 7

No que toca aos portáteis, relatórios da indústria de informática dão conta que na segunda metade de 2008, pela primeira vez na história, suas vendas ultrapassaram as dos micros de mesa (desktops). E a tendência é que a diferença passe a aumentar rapidamente a favor dos portáteis, cujas vendas no terceiro trimestre de 2008 apresentaram um crescimento de 40% se comparadas ao mesmo trimestre do ano anterior, enquanto a dos micros de mesa apresentou uma redução de 1,3%. Já os AIO…

Mas, afinal, o que exatamente vem a ser um AIO? Bem, na verdade o AIO não chega a ser uma novidade extraordinária. Um computador “tudo em um” é aquele destinado ao trabalho (pouco) e entretenimento (muito).

Em resumo, é aquilo que na década passada era um “multimídia PC”. Ou melhor: é aquilo que, na década passada, gostaríamos que fosse um “multimídia PC” mas não era porque os custos das telas planas de qualidade e tamanho adequado eram inacessíveis, os microprocessadores ainda não tinham a capacidade suficiente para arcar coma demanda dos programas multimídia, os controladores de vídeo pareciam um brinquedo comparados com os de última geração e os programas voltados para o entretenimento nos PCs domésticos ainda davam seus primeiros passos.

Agora, com a queda dos preços e o aumento de tamanho e qualidade da imagem propiciados pelos novos controladores de vídeo e monitores LCD e com o aumento da capacidade e a redução dos preços das UCPs, tudo mudou. Hoje, há software dedicado ao entretenimento.

Diversos modelos de AIO PCs

Resultado: nasceram os micros “tudo em um”. Com eles se pode fazer tudo o que se faz com um micro doméstico. Mas seu desempenho reluz principalmente quando são usados como instrumento de entretenimento, ou seja, para exibir imagens e vídeo e reproduzir áudio.

Para confirmar que se trata mesmo de uma tendência, basta examinar a lista dos fabricantes que lançaram seus AIO nos últimos meses: Apple, HP, Sony, Dell, ASUSTeK, MSI, Lenovo, Shuttle e Acer.

Um PC AIO, embora não seja um portátil (embora mesmo um exame superficial revele que é um descendente direto deles), deve ser suficientemente leve e compacto para ser movido pela casa. O áudio excede em qualidade. Sua tela é necessariamente LCD, tipo largo (wide screen) de 20″ou mais com imagem de alta resolução (na casa dos 1.600x 900 pixels) e, preferivelmente, sensível ao toque.

Todos vêm com controle remoto, mas alguns nem ao menos oferecem teclado e mouse.

Os que oferecem dão preferência absoluta aos do tipo sem fio. O que reduz o PC AIO a uma única peça, tornando-o muito semelhante a um televisor doméstico moderno. E como um AIO PC ficará a maior parte do tempo na sala, os fabricantes capricharam no design.

Quanto ao software, as coisas ficaram bem mais fáceis na medida em que o hardware evoluiu para permitir algumas gracinhas, como arrastar imagens com a ponta dos dedos, usar dois dedos para aumentar o tamanho das janelas e coisas tais. Em suma: um AIO é um micro doméstico disfarçado de televisão. Quando você precisa rodar uma planilha, editar um texto ou navegar pela internet, basta tirar teclado e mouse da gaveta e pôr-se a trabalhar.

Quer ver o noticiário da TV ou um filme gravado em DVD no disco rígido do AIO?

Sem problema: pegue o controle remoto e divirta-se. Por enquanto, ao que parece, os dispositivos AIO são apenas uma tendência. Mas, a julgar pela relação dos fabricantes e, sobretudo, pela quantidade e diversidade de modelos que havia na Computex 2009, prepare-se: tudo indica que um dia você vai ter um.

Fonte: DP

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, as tendências e inovação no setor de TI têm impactado cada vez mais nas balanças comerciais dos Países exportadores.

Mais informações sobre Tecnologia da Informação
  1. Teclado comum X tela de toque, a inovação tem nome: “touchscreen”
  2. Números, pesquisas e estatísticas do mercado de tecnologia da informação.
  3. Boleto digital: bancos brasileiros investem R$ 77 milhões em projeto
  4. HTML 5 ameaça padrões web como Flash e Silverlight, dizem especialistas
  5. Tecnologia da informação pode acelerar implantação de projetos habitacionais
  6. IBM investirá US$ 100 milhões em pesquisa de tecnologias móveis
  7. Área de risco será foco dos investimentos em TI no setor financeiro
  8. Projetos de Tecnologia E-Gov
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

TopoBlog_ Flammarion

O peso de ser Google


Vint Cerf google
Em sua última viagem ao Brasil, o vice-presidente do Google, Vint Cerf, recebeu o Correio/Diario para contar o que pensa sobre a internet atual, quais são os objetivos dos mais recentes projetos da companhia, como o Wave e o Android, e até para fazer o que mais sabe: previsões para o futuro da web.

Vint Cerf é conhecido por ter participado da criação do TCP/IP, protocolo considerado a base de toda a rede, o que lhe valeu o apelido de “pai da internet”. E como todo pai, ele se preocupa com o crescimento saudável de seu filho. “Devemos alertar as pessoas de que se abusarem do sistema (da rede) haverá consequências”, comentou, sobre os atuais projetos que pretendem vigiar o que internauta faz enquanto navega.

Entrevista – Vint Cerf

“Não achamos que toda a criatividade está no Google. Está em vários lugares”

Recentemente vimos algumas instabilidades sofridas pelos serviços do Google. Qual os principais fatores desse tipo de inconstância?

Usualmente, é um problema de configuração. Quando cometemos um erro nesse quesito, o serviço acaba não ficando acessível. Algumas vezes, também é devido à capacidade disponível no computador. Nós nos preocupamos muito com isso, porque sabemos que as pessoas esperam que os nossos serviços funcionem 24h e que respondam bem.

Atualmente, o Google é dono de 64% das buscas feitas na internet. O senhor acha que há lugar para muitos competidores nesse setor?

Eu acho que sim. Na verdade, isso é algo bom para os usuários, porque significa que existe uma competição constante para oferecer melhores serviços de pesquisa. Nós vemos isso como motivação para fazermos mais pesquisas de qualidade nas buscas.

E eu acredito que a razão pela qual as pessoas são atraídas para o Google é que nossa ferramenta de busca parece fazer um trabalho melhor, dirigindo as pessoas às informações que elas procuram.

O que o senhor acha da nova investida da Microsoft no setor de buscas, o Bing?

Acho que eles reconheceram o valor do serviço de buscas, assim como o Wolfram (Alpha), entre outros, e entendo a motivação de tentar entrar nesse setor. A verdadeira questão é como os usuários vão reagir.

O Android, o sistema móvel do Google, é a aposta da empresa para os smartphones.

O senhor acredita que o fato de a plataforma ser aberta faz dele um concorrente para o iPhone?

O Android tem a intenção de ser uma plataforma aberta, o que torna fácil para você fazer o download de novas aplicações. O iPhone tem aplicações mais restritas e a Apple deve decidir sobre quais serviços vão rodar nele. É um ambiente mais restrito.

Nossa filosofia é que se os clientes querem rodar uma aplicação que funcione nessa plataforma devem ser capazes de fazer isso. Então, a verdadeira resposta sobre a competição tem a ver com a criatividade da comunidade do software.

Quais as expectativas em relação ao Wave, considerado o e-mail do futuro?

Na verdade, o Wave é uma dramática integração de diferentes maneiras de se comunicar.

Nós acreditamos que o novo e-mail será poderoso para a colaboração, além de eliminar a separação entre mensagem instantânea, e-mail eletrônico, blog, e outros meios de interação.

O Wave diz: “Bem, estou pensando em um jeito para colocar tudo isso junto”.

Ele entende que cada um de nós procura diferentes maneiras de interagir. Se a ideia do Wave for entendida, isso não será realmente necessário.

O Google Chrome atingiu as expectativas?

O Chrome é uma contribuição muito popular porque é código aberto. Outras pessoas podem acrescentar novas ideias a ele. Isso é parte da filosofia do Google. Não achamos que toda a criatividade do mundo está no Google. Ela está em todos os lugares. Queremos tornar possível que as pessoas contribuam com suas ideias.

Há algum tempo o Google investe na computação nas nuvens (cloud computing).

O senhor acha que, no futuro, poderemos ter um sistema operacional completo naweb?

A resposta geral para sua pergunta é sim. Nós realmente acreditamos nessa noção de cloud computing, em que você pode acessar recursos fora do computador, além de qualquer coisa que você tenha em seu celular. Nós criamos um ambiente operacional onde o seu laptop ou o seu celular é parte de um sistema muito maior e isso é uma forma muito poderosa de trazer capacidade de computação às pessoas.

O senhor é considerado por muitos como o pai da internet, por ter desenvolvido o protocolo TCP/IP, que é a base de toda a rede. Hoje, como vê esse filho?

Antes de tudo, quero deixar bem claro que eu não me considero o único pai da internet.

É importante que todos saibam primeiro que outro homem, chamado Robert Kahn, e eu trabalhamos muito próximos no design original em 1973.

Quanto à sua pergunta, acho que, quando você cria uma infraestrutura como essa, algumas pessoas vão abusar, enquanto outras têm a oportunidade de inventar novas formas de usá-la. Infelizmente, algumas escolhem passar dos limites e colocar todos em risco.

É como um sistema rodoviário.

Infelizmente, algumas pessoas fazem coisas erradas, como beber e dirigir, e colocam todos em risco. Mas nós não paramos de construir rodovias ou fabricar carros quando há acidentes. Em compensação, dizemos: “Olha, se você abusar da estrada e nós pegarmos você, haverá consequências – como suspensão da carteira de motorista ou multas”.

Acho que o abuso na internet é como isso. Devemos alertar as pessoas de que se abusarem do sistema haverá muitas consequências.

Nos últimos anos, quais as novidades que surgiram na internet que chamaram a sua atenção?

Provavelmente, as coisas mais excitantes são os celulares, que se tornaram parte do ambiente da internet. A segunda coisa são ferramentas que estão aparecendo e que fazem parte da internet.

Todas elas estão se tornando parte do nossa rede e, quando isso acontece, elas também se tornam parte de nosso ambiente de informação. É algo extremamente rico e há muito mais coisas chegando.

No Brasil, o Orkut é um serviço de muito sucesso… O que acha da febre de redes sociais?

Acho muito ruim o fato de você entrar no Orkut e não poder se comunicar com alguém que esteja em alguma outra rede social. Estão todos separados.

O Wave foi uma intenção de tornar as coisas mais próximas. Outra coisa que fizemos foi oferecer o que chamamos de open social, com a intenção de permitir as redes sociais de interagirem entre si.

Historicamente, os serviços de e-mail eletrônico não se conectavam, até isso foi resolvido e as pessoas puderam se comunicar.

Atualmente, estamos vivendo a era da web 2.0. Como será a internet do futuro?

Empresas se desenvolvem na capacidade de suas redes de computação. Imagine como seria se todos os processos fossem automatizados# Para isso, nós temos formas de deixar esses processos e essas empresas interagirem entre si.

Acho que o futuro da web 2.0 e 3.0 vai ser um serviço de uma interação muito mais rápida entre as empresas, interagindo pela internet, como as redes sociais.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, o Google se destaca mundialmente como um centro de referêcia tecnológica para a Sociedade da informação e do Conhecimento do sáculo XXI.

”A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, sinaliza o interesse em firmar parceria com as universidades e centros de pesquisa para prover e disseminar soluções inovadoras e a baixo custo voltada para as micro e pequenas empresas do Nordeste do Brasil”.

Veja também

Mais informações sobre o Google:
  1. Google prepara mecanismo de busca para microblogs, afirma blog
  2. Wave quer agregar dados na web
  3. Inovação no Design 2.0 das Logos – Case Google
  4. Google inova mais uma vez e cria algoritmo para contratação de profissionais.
  5. Ferramentas Google para acesso offline em 39 idiomas (incluindo português!)
  6. Google quer oferecer web via satélite a 3 bilhões de pessoas
  7. Google chega ao 10º aniversário e desafia Microsoft e Apple
  8. Google, 10
  9. Google integra YouTube ao Google Talk
  10. Google cria recurso para ver Gmail offline
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

TopoBlog_ Flammarion

Finep anuncia novos parceiros para investimentos em empresas inovadoras


touchscreen

A Corporação Andina de Fomento (CAF) é um dos novos parceiros da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), agência de inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia, no programa Inovar Fundos. Formado por investidores públicos e privados, o Inovar Fundos objetiva estimular a criação de fundos de capital de risco (venture capital) que invistam em empresas inovadoras de base tecnológica do país.

Mais quatro parceiros serão anunciados na noite de hoje (24) pela Finep, durante evento no Rio de Janeiro: a Fundação Cesp, o fundo de pensão Fibra da Itaipu Binacional, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul.

O diretor de Inovação da Finep, Eduardo Costa, disse à Agência Brasil que embora as ações de capital de risco sejam recentes no Brasil, o país é pioneiro na América Latina. E o sucesso do Inovar já começa a ser replicado para mais países latinos. “É um reconhecimento do estágio em que nós estamos. Hoje, todo mundo reconhece que o capital de risco é uma das maiores alavancas para as empresas inovadoras”.

Atualmente, os fundos Inovar já contam com oito parceiros: Fundo Multilateral de Investimento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), os fundos de pensão Petros, Previ, Funcef, Fapes, Fachesf, Eletros e a BM&F Bovespa.

Eduardo Costa revelou que a Finep já tem aprovados investimentos em 22 fundos. “Só nesta rodada agora tem mais 17 [fundos] sendo analisados”. Dos 22 fundos iniciais, 13 já estão operando e aportaram recursos em torno de R$ 2,8 bilhões em quase 50 empresas inovadoras.

Cada fundo investe em dez ou 12 empresas inovadoras durante um período de cerca de três a quatro anos. Segundo Costa, a ideia é que o número de fundos cresça muito nos próximos anos. Ele disse que, com a crise internacional, a queda nos juros provoca um movimento na direção dos fundos de maior risco, em geral. No caso da Finep, isso é sentido nos fundos de capital de risco, que despertam interesse dos investidores, em especial dos fundos de pensão.

Na avaliação do diretor da Finep, os fundos de pensão “são, de longe, a maior poupança nacional. E quando elas viram essa poupança, da ordem de R$ 400 bilhões, para qualquer direção, provocam uma inundação naquele setor”.

No momento, segundo Costa, há uma tendência clara dos fundos de pensão procurarem ativos de renda variável, em particular os fundos de investimento. Considerando que o Brasil poderá atingir o padrão americano no futuro, em que os fundos de pensão investem 5% do seu patrimônio em fundos de capital de risco, isso significa que cerca de R$ 20 bilhões poderão ser aplicados em empresas inovadoras no país.

As empresas inovadoras apoiadas pelos fundos Inovar são, predominantemente, de tecnologia mais intensa. O maior setor é o de tecnologia da informação e comunicação (TIC), seguido de biotecnologia (biomassa) e energias renováveis. “A tendência vai ser concentrar nesses setores mais dinâmicos da tecnologia“.

A participação da Finep é de aproximadamente 10% dos fundos maiores até 49% dos fundos menores, com a participação média entre 15% a 20%. “No final, a gente multiplica o nosso dinheiro por seis ou sete”, afirmou.

Desde 2001, quando foi feita a primeira chamada do programa Inovar Fundos, até a nona chamada, foram recebidas pela Finep 105 propostas de fundos, enviadas por 51 gestores de vários tipos. Do total, foram pré-qualificadas 96 propostas, das quais 67 foram aprovadas para uma análise mais aprofundada.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, esta fluxo contínuo de incentivo à inovação no Brasil, já têm gerado resultados positivos, e vai colocar o País em destaque no cenário mundial nos próximos anos. “

A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, potencializa o surgimento e crescimento de empreendimentos inovadores no estado de Pernambuco,  e planeja ampliar sua atuação para os demais estados da Região.

Logomarca Cysneiros e Consultores Associados