TI na Web: PayPal, Expo GPS, Web 2.0, Imagine Cup 2009, Chrome


paypal-big

PayPal abrirá plataforma para desenvolvedores criarem aplicativos

Com as APIs do sistema de pagamentos online, será possível transferir dinheiro pela web por meio de transações personalizadas.

O sistema de pagamentos online PayPal abrirá sua plataforma para desenvolvedores, permitindo que eles criem aplicativos com várias opções para transferir dinheiro pela web, informou o eBay, dono do serviço, nesta quarta-feira (8/7).

O PayPal está desenvolvendo o que chama de Adaptive Payments Service, um conjunto de interfaces de programação de aplicações (APIs) que permite a troca de informações entre programas.

No dia 23 de julho, as APIs serão apresentadas na sede do PayPal, na Califórnia, Estados Unidos. “Acreditamos que a oferta de uma plataforma global de pagamentos abrirá possibilidades para os desenvolvedores inovarem e criarem receita”, diz o diretor de desenvolvimento de produtos do PayPal, Damon Houghland.

Um documento apresentado pelo blog TechCrunch aponta recursos como o pagamento paralelo. Com ele, um comprador envia apenas um pagamento, que pode ser dividido entre duas ou até seis pessoas. É diferente do pagamento em “corrente”, onde o contato é feito apenas com o primeiro receptor do dinheiro.

expogps

Expo GPS apresenta tendências das tecnologias de rastreamento em São Paulo

Congresso acontecerá entre os dias 21 e 23 de julho reunindo especialistas da área de localização, além de novos produtos e serviços.

As vantagens do uso de serviços ligados à geomobilidade serão apresentadas na segunda edição do Expo GPS,  congresso latino-americano de localização e rastreamento, realizado no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

O evento é voltado para profissionais que atuam no mercado de mobilidade em geral e desejam se atualizar sobre as principais tendências em produtos e serviços da área.

O evento reunirá mais de 70 palestrantes e debatedores que vão trazer palestras como “soluções e proposições das tecnologias de rastreamento e monitoramento” e “trânsito e as novas soluções para navegação”. A programação completa está disponível no site do Expo GPS.

Os interessados em participar devem fazer as inscrições no site do Expo GPS. Quem se credenciar até o dia 17/7 pagará 600 reais – após esta data o valor será de 650 reais.

O Expo GPS acontece entre os dias 21 e 23 de julho, das 12h às 19h, no Centro de Convenções Imigrantes que fica na Rodovia dos Imigrantes, km.1,5, São Paulo – SP.

beta Web 2.0

A era do “beta” acabou

O termo “beta” é um ícone da era Web 2.0.

Tim O’Relly, que cunhou a expressão Web 2.0, escreveu que a nova fase da internet era um “eterno beta”.

Para quem não sabe, beta é uma palavra usado por profissionais de tecnologia para designar um produto que ainda não está pronto ou está em fase de testes pelos usuários.

Ouvi de uma executiva do Google, durante um evento de Web 2.0 em São Paulo, uma definição curiosa do termo. “A gente tem o privilégio de fazer as coisas mais ou menos”, disse ela, definindo “beta”.

O anúncio do Google de que está entrando na área de sistemas operacionais para competir com a Microsoft é mais um sinal de que não dá mais para fazer “as coisas mais ou menos”.

O próprio Google já está revendo a sua política. O status de beta foi retirado de seus principais serviços, como Gmail, Google Calendar, Google Docs, Google Talk, e Google Video for Business.

Antes, pressionado pelos fabricantes de computadores, foi obrigado a remover o beta do navegador de internet Chrome, que se recusam a instalar um browser considerado inacabado.

A aventura do Google na arena dos sistemas operacionais não é só o fim da era do beta. É o mais forte desafio contra a rival Microsoft.

Pouco a pouco, o Google foi lançando alternativas aos produtos da Microsoft. Primeiro foram aplicativos online, que competem contra o pacote de automação de escritório Office.

Depois, foi a vez de um sistema para celulares, batizado de Android. Em seguida, entrou no segmento de browsers com o Chrome.

Agora, quer roubar uma fatia do ainda lucrativo mercado de sistemas operacionais da Microsoft. Com isso, enterra de vez a era do beta e começa uma nova fase de competição no mercado de internet.

Será que o Google é a nova Microsoft?

Imagine Cup 2009

PE duas vezes campeão na Imagine Cup 2009

Equipes venceram competição, no Egito, em Desenvolvimento de Jogos e Interoperabilidade

Comemoração é o que não vai faltar no setor pernambucano de TI. As duas equipes que viajaram para o Egito para representar o Estado na final mundial da copa de softwares da Microsoft Imagine Cup 2009 venceram em suas categorias. O resultado da competição, cujo tema são as oito metas do milênio da Organização das Nações Unidas (ONU), saiu ontem.

O grupo Levv IT, de Edgar Figueiredo (UFPE), Victor Nascimento (Unibratec), Vinícius Ottoni (IFPE, antigo Cefet-PE) e Luciano Firmino (Unicap) levou o primeiro lugar na categoria Desenvolvimento de Jogos, com o game Choice. O jogo mistura raciocínio e desafios com o dinamismo do estilo arcade, e foi construído tendo como mentor o ganhador da Imagine Cup 2007 Diogo Burgos.

A outra taça é da equipe Proativa – que tem incubada de mesmo nome no Centro de Inovação Microsoft, da Escola Técnica Estadual Professor Agamenon Magalhães (Etepam). O grupo é composto pelos alunos Lucas Mello, João Paulo Oliveira, Amirton Chagas e Flávio Almeida, todos do Centro de Informática (CIn) da UFPE, na categoria Interoperalidade, com a solução ProLearning. A plataforma vencedora busca evitar que seus usuários não se sintam sozinhos no ensino a distância, através da interação em redes de relacionamento durante os cursos.

google10

Google já fechou acordo com fabricantes para uso do sistema Chrome

Em lista similar à dos colaboradores do Android, Google planeja anunciar fabricantes que desenvolverão novo sistema operacional.

O Google planeja anunciar dentro dos próximos dias os nomes dos fabricantes de Taiwan e China que já se comprometeram a trabalhar com seu novo sistema operacional Chrome, afirmou uma porta-voz da companhia nesta quarta-feira (7/7).

A lista será similar à feita para o Open Handset Alliance, com os colaboradores de seu sistema operacional móvel Android.

O novo Chrome OS competirá com o Windows em netbooks, notebooks e desktops. Ele será baseado em Linux e chegará aos ultraportáteis na segunda metade de 2010 – a demonstração da interface de usuário será feita no final de 2009.

O Chrome OS rodará em computadores com diferentes microprocessadores, incluindo os de arquitetura x86 usados pela Intel e AMD, e de arquitetura ARM, comumente encontrada em dispositivos móveis.

O porta-voz da Intel na Ásia-Pacífico, Nick Jacobs, declarou que o novo sistema operacional do Google também valida a categoria de netbooks como dispositivos móveis. Ele aponta o Chrome como exemplo de inovação, criando oportunidades na indústria de tecnologia da informação e oferecendo mais escolhas para os consumidores.

A Acer, terceira maior fabricante de PCs do mundo, e a Asus, foram procuradas pelo IDG News Service, mas não comentaram o assunto.

Chrome OS: 7 questões importantes sobre o sistema operacional do Google


Chrome OS Google

Novo sistema operacional do Google pode ser uma ameaça maior ao Mac OS do que ao Windows. Confira possíveis impactos do Chrome OS.

O Google anunciou na terça-feira (7/7) o seu sistema operacional Chrome OS, que deverá chegar aos usuários no segundo semestre de 2010. Confira sete questões sobre o que a chegada do sistema ao mercado.

1 – Ameaça à Apple
Enquanto muitas notícias focarão na ameaça do Chrome OS ao Windows da Microsoft, o principal prejudicado pode ser o Mac OS, da Apple.

Usuários que buscam um sistema operacional alternativo ao Windows, normalmente consideram duas opções: o Mac OS X ou o tradicional Linux. O segundo ainda enfrenta reclamações de problemas de rede e drives dos periféricos. Já o Mac OS tem duas desvantagens: menor número de aplicações (o que não chega a ser um problema para muitos consumidores) e hardware caro.

Se houvesse uma versão do Mac OS que rodasse em máquinas que não são da Apple, talvez o Google não encontrasse um mercado tão promissor. Mas o Chrome OS provavelmente atingirá a mesma audiência do Mac OS X – daqueles que buscam alternativas ao Windows – enquanto oferece uma plataforma que roda em hardwares mais acessíveis.

2 – Preço do Windows 7
Pode-se esperar que a Microsoft pense duas vezes em como vai cobrar pelas variadas versões do Windows 7, especialmente se o sistema operacional do Google atrair a atenção do mercado. A companhia deve ficar mais receptiva às reclamações dos usuários do Vista que querem fazer a atualização de maneira mais barata.

3- Netbooks são apenas o ponto de partida
Usuários de desktops mais potentes podem, inicialmente, hesitar em enviar o controle de seus aplicativos “à nuvem”, mas essas mesmas pessoas podem ser menos resistentes a fazer isso com seus netbooks.

Usuários de ultraportáteis esperam – e usam – menos aplicativos. Libertar-se dos pesados softwares antivírus para Windows pode ser uma vantagem se o Google OS for simples, seguro e rápido como promete.

4 – Grandes empresas não serão as primeiras consumidoras
Os departamentos de tecnologia de grandes corporações não vão substituir seus softwares baseados em Windows pelo sistema do Google. Enquanto o Chrome OS tem boas possibilidades de conquistar espaço em pequenas empresas, as grandes corporações só começarão a adotá-lo quando o sistema provar que tem capacidades de gerenciamento corporativo.

Empresas menores, que necessitam de menos aplicações, podem estar mais interessadas, especialmente se os custos e a manutenção forem menores.

5 – Estudantes são mercado potencial
Atualmente os estudantes têm uma mobilidade que não poderia ser imaginada cinco anos atrás. Eles também são menos preocupados se seus aplicativos estão no desktop ou na web.

6 – Flashback
Pode ser que o Google esteja tentando trazer de volta o mantra da Sun Microsystems, de que “a rede é o computador”.

7 – O domínio do Google seria melhor que o da Microsoft?
No curto prazo, o anúncio do Google aumentará a competição no setor de sistemas operacionais e provavelmente vai incentivar a Microsoft a oferecer melhores condições àqueles que optarem pelo Windows 7. Mas o Chrome OS não roubará uma participação muito grande do Windows no mercado, em curto prazo.

Por outro lado, o Google já tem um ótimo negócio dominando o mercado de busca, que se tornou um dos principais fatores da navegação pela web.

Apesar de o Google tomar para si o slogan corporativo de que eles “são do bem”, a ideia de uma única empresa controlar o desktop, as aplicações e os dados armazenados deve ser preocupante. Será interessante ver se a comunidade do código aberto receberá bem o sistema operacional do Google ou se eles estarão atentos às possíveis consequências desta ação.

Veja 8 sites com navegação inusitada


sites design

Alguns web designers são mais ousados e criativos quando o assunto é layout na web.

Uma das coisas mais importantes na hora de criar um site é oferecer facilidade de navegação. Porém,  nada impede que alguns web designers fujam da rotina.

O Sitepoint selecionou alguns sites bem confusos, bonitos, criativos e engraçados. Quem sabe eles podem servir de inspiração para a sua próxima página?

Bio-Bak

Os ícones desse divertido site Bio-Bak são colagens como de desenhos feitos à mão. É divertido clicar nos botões, que sempre têm uma resposta sonora. Eles vão ajudando o usuário a encontrar o caminho pelo conteúdo.

Aksident

O Aksident usa atores segurando cartões para identificar diferentes partes do site. Ao clicar no cartão, o internauta  é levado a uma página onde a informação é apresentada de uma forma original pelo ator. Divertido.

Calliope

O layout do site Calliope imita uma típica revista feminina. As chamadas para as “reportagens” da revista são os links do site, todo em flash.

Dollar Dreadful

O Dollar Dreadful é desenhado para parecer um jornal antigo. Ao clicar nos links no centro da página, você acessa livretos em PDF. Os links na coluna da esquerda e direita oferecem informações sobre o site, bem como links para outras seções.

Gleis3

O Gleis3 usa o que parece um mapa do metrô como layout para o conteúdo do site.

Jacksons of Piccadilly

O Jacksons of Piccadilly é um site bonito, que confia fortemente no flash para uma boa animação. Ele exige que o visitante passe o mouse sobre as imagens para revelar as possibilidades de navegação.

Kashiwa Sato

Outro site em flash, o Kashiwa Sato é um pouco inusitado – talvez desafiador ou até mesmo um pouquinho insano. É difícil entender como complicar tanto um site para visualização de fotos esquisitas.

The Back Of The Napkin

Os gráficos desenhados à mão são usados para mostrar as seções do site literalmente nas costas do guardanapo, como sugere o nome do site. A ideia é ensinas as pessoas a criarem seus projetos e resolverem negócios usando um pedaço de papel e uma caneta.

Case de Inovação em Design Web

logomarca Web360GrausA empresa pernambucana WEB360Graus é case de inovação em design web, assim como no desenvolvimento de sistema de business inteligence .

Veja também
Mais informações sobre INOVAÇÃO:
  1. Diretor-geral da PROTEC faz balanço da Lei de Inovação
  2. PPPs da saúde gerarão economia anual de R$ 160 milhões
  3. Propriedade industrial: Universidade inova mais
  4. Mais de 490 empresas gaúchas inscrevem-se no Inova RS
  5. Laboratório de nanotecnologia pesquisa plásticos biodegradáveis
  6. Tecpar investe R$ 14 milhões em reestruturação tecnológica
  7. Fundação Certi recebe R$ 6 mi para montar Centro de Referência
  8. Santa Catarina bate o martelo para a Inovação
  9. Resultado da Primeira fase do PRIME Pernambuco seleciona 79 empresas
  10. Inovação tecnológica terá linha de crédito com juro de 1% ao ano
  11. PROTEC lança livro que ensina a elaborar projetos de inovação
  12. Financiamento de R$ 200 mil a empresas inovadoras
  13. Sem inovação, Brasil corre risco de “apagão tecnológico”

Arranjo produtivo de TI no Paraná comemora avanços


twitter sebrae

Associativismo impulsiona setor na região de Londrina, que terá laboratório-modelo para testes de software e Unifil é credenciado para análise do PAF-ECF

Um grupo de empresários da área de Tecnologia da Informação (TI) no norte do Paraná encontrou no associativismo uma alternativa para impulsionar seus negócios. Com a parceria de instituições de ensino, entidades de classe, associações e poder público, os empresários aceitaram o desafio proposto pelo Sebrae/PR e estruturaram, no final de 2006, o Arranjo Produtivo Local (APL) de Tecnologia da Informação de Londrina e Região, que vem trazendo grandes benefícios aos participantes.

Após três anos de atuação, o APL de TI acaba de obter duas grandes conquistas que tornam mais competitivas as empresas desenvolvedoras de softwares na região: o credenciamento do Centro Universitário Filadélfia (Unifil) para a análise de um programa que controla o funcionamento de impressoras que emitem cupons fiscais e a instalação, em Londrina, de um laboratório-modelo para a realização de testes de software. “O APL de TI quer ser reconhecido como um centro de referência em tecnologia da informação no País”, diz o consultor do Sebrae/PR em Londrina, Joel Franzim Junior.

Credenciamento

O processo de credenciamento do Unifil foi concluído no final de junho e o Centro Universitário passou a ser um órgão técnico para análise funcional do Programa Aplicativo Fiscal – Emissor de Cupom Fiscal (PAF-ECF). O PAF-ECF é um software que controla o funcionamento de impressoras que emitem cupom fiscal, utilizadas por diversos estabelecimentos comerciais.

O Unifil e o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), empresa pública com sede em Curitiba, são as duas únicas entidades credenciadas no Estado a emitir laudos de análise funcional de PAF-ECF.

O uso do PAF-ECF para gerenciar a emissão dos cupons fiscais nas transações comerciais do contribuinte passa a ser obrigatório a partir de 1º de outubro de 2009. A determinação é do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e objetiva padronizar as normas seguidas pelos desenvolvedores do Programa Aplicativo Fiscal de todo o País para adequação à legislação tributária nacional.

João Carlos Monteiro, presidente do APL de TI de Londrina e Região, comenta as vantagens da cidade ter uma entidade certificadora. “Se não houvesse uma certificadora em Londrina, a empresa desenvolvedora de software interessada em homologar um Programa Aplicativo Fiscal teria que se deslocar até a capital e arcar com todas as despesas da viagem, inclusive os custos dos serviços dos profissionais envolvidos”, esclarece.

Joel Franzim destaca a importância do APL para o setor de TI de Londrina e Região. “O fato do setor estar organizado em um APL permite o desenvolvimento conjunto de soluções como foi o caso do PAF-ECF em muito menos tempo e toda a cadeia de TI ganha com isso”, opina.

Laboratório-modelo

Atendendo a um edital para projetos de inovação, o Senai Londrina, a Audare, companhia especializada em engenharia de software, e a Identech, empresa líder em identificação de chamadas telefônicas, todos integrantes do APL de TI, conquistaram no dia 26 de junho a implantação do primeiro laboratório-modelo de testes de software embarcado.

Softwares embarcados são programas que controlam o funcionamento de equipamentos como telefones celulares, aeronaves, automóveis, navios, geladeiras, televisores etc.

Rosmar Aparecido da Luz, técnico de ensino e coordenador do curso técnico em Informática do Senai, comenta detalhes do projeto. “Neste segundo semestre, nos dedicaremos à montagem do laboratório, que funcionará nas dependências do Senai Londrina, e à aquisição de equipamentos e softwares específicos. Temos um prazo de 18 meses para desenvolver uma metodologia pioneira para teste de softwares”, revela.

De acordo com Rosmar da Luz, o novo laboratório de testes de Londrina é o único na rede Senai e o primeiro do Brasil nesses moldes. Ele explica que o aumento do uso de sistemas embarcados nos últimos anos exige que as empresas reduzam o tempo de desenvolvimento do sistema e aumentem a qualidade dos produtos.

“Até o momento, cada empresa isoladamente realiza testes em softwares desenvolvidos por elas. A vantagem do laboratório, que irá atender todas as empresas interessadas, está no aumento da produtividade, na redução dos custos e na diminuição das falhas na produção dos softwares, o que resulta em maior competitividade do setor”, avalia Rosmar da Luz.

Sobre o APL de TI

O objetivo do APL de TI é ser reconhecido como um centro de referência em tecnologia da informação no País. Isso só é possível porque empresários, entidades de apoio e instituições de ensino e pesquisa atuam de forma integrada na busca da inovação e na geração de novos negócios.

Essas parcerias envolvem, entre outras atividades, o desenvolvimento conjunto de produtos ou serviços, projetos para atração de investimentos, participação em eventos, visitas a centros de referência, rodadas de negócio e a realização de treinamentos.

O APL tem a adesão de 60 empresas e várias instituições que atuam na área da TI estabelecidas no eixo entre Apucarana e Cornélio Procópio. O norte do Paraná reúne cerca de 140 empresas da área de TI.

Recursos para ciência e tecnologia somaram R$ 2 bi em 2008


Recursos para ciência e tecnologia

Recursos para pesquisa

“Eles têm aumentado consideravelmente. O principal fundo de apoio à pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia, fora das universidades, é o Fundo Nacional de Desenvolvimento Cientifico Tecnológico (FNDCT). O fundo teve em 2002 R$ 350 milhões executados. Em 2008 esse número já alcançou R$ 2 bilhões. Os recursos estão aumentando. Tivemos esse ano, uma crise econômica mundial. Apesar da crise econômica mundial, os recursos para ciência e tecnologia não estão diminuindo esse ano em relação a 2008.”

Fomento para novas empresas

“Temos avançado muito nesse setor. Empresas tradicionais não têm a cultura de fazer inovação, de investir num processo de investigação, porque isso demora tempo, mas estamos de qualquer maneira ampliando as ações para empresas tradicionais. O grande campo no Brasil é exatamente estimular novas empresas de tecnologia, aquelas que são criadas por pesquisadores das universidades, por técnicos e estudantes.”

Primeira Empresa Inovadora

“O programa Primeira Empresa Inovadora (Prime) oferece recursos para empresas criadas até dois anos. São recursos não-reembolsáveis. Para recebê-los, as empresas entram numa competição muito grande. Para fazer essa competição em todo o País, a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) credenciou 17 incubadoras de empresa. Existem mais de três mil empresas inscritas no Programa. As empresas novas estão recebendo apoio para o financiamento.”

Monitoramento da Amazônia

“O controle do Brasil sobre a Floresta Amazônica melhorou muito nos últimos dez anos em grande parte porque hoje temos um sistema de satélite, desenvolvido junto com a China, que é o CBERS. Ele passa a cada 1h40 pela mesma latitude em torno da Terra, dando 13 voltas por dia, fotografando, mandando eletronicamente as imagens para uma estação que tem em Cuiabá. Não é um monitoramento diário porque a cada hora o satélite passa por um local diferente. A cada 15 dias temos o retrato da Amazônia. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) fornece aos órgãos de fiscalização a imagem do que está ocorrendo. Pelo controle do Inpe houve um aumento do desmatamento há um ano e meio. Há dois anos, o governo tomou medidas não só de fiscalização, mas de restrição. Por exemplo: atualmente os bancos oficiais estão exigindo certificação da origem do gado para que os frigoríficos tenham financiamento.”

Base de Alcântara

“O programa brasileiro tem dois principais componentes: um é o de fabricar satélites, e no momento o Inpe já tem a competência para fabricar satélites de observação da Terra, e está fazendo isso. A outra linha é a de colocar um satélite em órbita. A base de Alcântara tem essa finalidade: soltar foguetes que coloquem o satélite em órbita. Ocorre que para lançá-lo precisa ter o domínio do combustível e o Brasil ainda não domina completamente essa tecnologia. A torre que havia em Alcântara era usada experimentalmente para lançar foguetes, que não conseguia colocar o objeto em órbita. Eram foguetes experimentais, que subiam um certo número de quilômetros e caíam no mar e eram estudados. Houve aquele acidente sério e tivemos muitas dificuldades desde 2004 porque foi realizada uma licitação para uma empresa reconstruir a torre. A empresa que perdeu entrou na justiça. Só agora a torre de Alcântara está sendo reconstruída e estará pronta antes do final do ano. Isso atrasou os testes. Fizemos um acordo com a Ucrânia e criamos uma empresa binacional que chama Alcântara Cyclone Space. Ano que vem, receberemos um foguete feito na Ucrânia, grande fornecedora do programa espacial da União Soviética. O primeiro foguete será inteiramente ucraniano, mas o segundo já terá componentes nacionais. ”

Formação de Mestres e doutores

“O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) foi criado em 1951. Nas décadas de 50 e 60 e um pouquinho em 70 a maior parte dos bolsistas iam para o exterior. Atualmente, o CNPQ tem cerca de 70 mil bolsas de pós-graduação e, dessas, apenas duas mil para outros países. Passamos a ter no Brasil programas de mestrado e doutorado de qualidade internacional. Muitos bolsistas nem querem ir para o exterior. E, aqueles que querem, entram numa competição muito grande, porque o número de bolsas é pequeno. Há uma expansão do Sistema Universitário. Empresas estão contratando, principalmente mestres, mas também doutores e em muitas áreas faltam pessoas. Em 1987, o Brasil formou aproximadamente mil doutores e quatro mil mestres. No ano passado, formamos cerca de 40 mil mestres e doutores. Em 21 anos, aumentamos o número de mestres e doutores por um fator dez.”

Ciência nas escolas

“O Ministério da Educação tem um programa de colocar laboratórios de informática em todas as escolas públicas de todos os níveis. São poucas federais, mas são muitas estaduais e municipais. Já há laboratório de informática em cerca de 70 mil escolas de ensino médio em operação. Elas estão sendo gradualmente interligadas à internet por um programa que o governo federal lançou no ano passado. Teremos até o final deste ano cerca de 50 mil escolas públicas ligadas e alguns governos estaduais estão tomando iniciativas para melhorar isso. Como a Educação ficou meio desassistida durante muito tempo, não se resolve o problema da educação de uma hora para outra. É preciso um conjunto de programas. Há uma melhora considerável no uso de tecnologias e no resultado do ensino público no Brasil.”

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, esta fluxo contínuo de incentivo à inovação no Brasil, já têm gerado resultados positivos, e vai colocar o País em destaque no cenário mundial nos próximos anos. “

A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, potencializa o surgimento e crescimento de empreendimentos inovadores no estado de Pernambuco,  e planeja ampliar sua atuação para os demais estados da Região.

Contato: inovacao@icomuni.com.br

Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

As eleições serão decididas na Internet


barack-obama

Projeto de lei 5984/09 libera redes sociais e blogs em campanhas, mas restringe publicidade, regula direito de resposta e spam.

A regulamentação do uso da internet em campanhas eleitorais, prevista no Projeto de Lei 5984/09 sobre a reforma eleitoral aprovado na quarta-feira (8/7) pela Câmara dos Deputados,  abre espaço para candidatos de pequenos partidos por permitir o uso de redes sociais, por exemplo, mas estabelece uma série de restrições que exigirão monitoramento redobrado da grande rede pelos candidatos, caso o texto seja aprovado.

O projeto, que altera os textos da Lei 9.504/97 (envolvendo as normas para as eleições) e da Lei 9.069/95 (que estabelece normas para os partidos políticos), agora será encaminhado para o Senado Federal e, se aprovado e promulgado até o início de outubro, entra em vigor nas eleições de 2010.

“O candidato com menos recursos tem uma ferramenta maravilhosa nas mãos. Se antes ele tinha apenas um minuto no rádio, sua exposição se multiplica na internet. Mas ele precisa seguir regras e o eleitor também”, afirma o advogado especialista em direito digital, Helio Augusto Camargo de Abreu, do escritório Mariani & Santos Advogados Associados.


Para o advogado, a criação de uma lei eleitoral envolvendo a internet é uma medida positiva. “A internet não tinha regras definidas para campanhas eleitorais. É muito importante que exista esse regulamento. Desta vez há uma forma de o candidato ser punido pelo envio de spam, por exemplo”, aponta.

Veja os principais pontos do projeto de lei eleitoral envolvendo o uso da internet:

Sites, blogs, redes sociais e cabos eleitorais online
Se antes os candidatos podiam criar apenas um site com o endereço terminado em ‘can.br’, o novo projeto libera a criação de páginas com domínios diversos (incluindo ‘com.br’ ou ‘com’), além de blogs, perfis em redes sociais, no microblog Twitter e em sites de vídeo como o YouTube.

Conforme nota Abreu, a proposta não cita a criação de sites de terceiros para a campanha, e abre espaço para a criação de  A lei não aborda a criação de sites por eleitores podem criar sites (cabo eleitoral online).

Publicidade
O projeto da nova lei eleitoral restringe a propaganda eleitoral apenas aos sites do candidato, do partido ou da coligação. A medida impede a propaganda em portais e sites de buscas por meio de links patrocinados, por exemplo.

“Na internet é vedada qualquer veiculação de propaganda eleitoral paga através de pessoas jurídicas com ou sem fins lucrativos, com destinação profissional, oficial ou em sites hospedados por órgãos da administração pública” determina um trecho do Artigo 57 C do projeto. A violação prevê multa de 5 mil reais a 30 mil reais.

Além disso, em cada anúncio deverá constar de forma visível o valor pago pela publicidade, destaca o advogado.

Cadastro com dados de eleitores
De acordo com o artigo Artigo 57 da nova proposta, o candidato poderá enviar mensagens (incluindo e-mails, mensagens instantâneas ou de texto) aos eleitores usando contatos do seu próprio cadastro, não de cadastros públicos ou privados. “Se for comprovada a compra de cadastros de endereços eletrônicos pelo candidato ele também pode receber uma multa no valor de 5 mil a 30 mil reais”, destaca Abreu.

Spam
A nova proposta de lei eleitoral define o procedimento ‘opt-out’ para o envio de mensagens eletrônicas do candidato aos internautas desde que elas contenham um dispositivo de cancelamento.

O projeto de lei obriga os candidatos a bloquearem o envio de mensagens (incluindo  e-mail, SMS e  instant messaging) a eleitores que expressarem o desejo de não recebê-las em um prazo de até 48 horas após o pedido de cancelamento. Caso a medida não seja cumprida, o candidato está sujeito a uma multa de 100 reais por mensagem excedente enviada. Em caso de reincidência, o candidato também está sujeito a uma multa que pode variar de 5 mil a 30 mil reais.

Boca de urna
O prazo para a exibição de qualquer conteúdo de campanha na internet (incluindo sites do candidato, de eleitores, blogs e perfis em redes sociais) é de até 48 horas antes do início da votação
segue a mesma regra da veiculação eleitoral para TV, rádio ou veículos impressos.

De acordo com a lei atual, segundo a resolução 22.718/2008do Tribunal Superior Eleitoral, o site oficial do candidato teria de ser retirado do ar dois dias antes da eleição.

O Artigo 43, da nova proposta, também determina que seja permitida até a antevéspera das eleições a divulgação paga do candidato na imprensa escrita e a reprodução do conteúdo na internet, no mesmo formato. A definição, segundo o Abreu, é confusa já que os formatos de anúncios online diferem dos impressos.

Doações
As doações online – destinadas aos partidos e coligações, não aos candidatos – também serão permitidas, restritas a 10% da renda pessoal do eleitor (com base na renda declarada no imposto de renda do exercício anterior à campanha). A permissão também é válida para empresas, afirma Abreu. “Como a nova proposta não altera as doações e contribuições de pessoas jurídicas – relativas a até 2% do faturamento bruto de empresas com base no exercício fiscal declarado anteriormente – definidas pela Lei 9504/97(artigo 81 parágrafo 1º), pessoas jurídicas também poderão colaborar com campanhas online”, explica o advogado.

Direito de resposta
Na internet, um candidato garante o direito de resposta sobre um comentário considerado ofensivo, calunioso ou difamatório – tanto por seu concorrente como por um internauta – publicado em qualquer site, blog ou rede social. “Aí entra o poder de monitoramento da internet pelos candidatos. E muitos podem não ter poder aquisitivo para sustentar equipes monitorando redes sociais e blogs em busca de comentários ofensivos à campanha” comenta o advogado.

O Artigo 58 (inciso 4) do projeto de lei define que  o direito de resposta “dar-se-á no mesmo veículo, espaço, local, horário e página eletrônica, tamanho, caracteres e outros elementos de realce (aspas, letras maiúsculas ou grafadas) em até 48 horas após a entrega da mídia com a resposta do ofendido.”

A resposta deve ficar disponível online pelo menos o dobro do período em que a mensagem considerada ofensiva esteve no ar. Além disso, os custos de veiculação da resposta ficarão a cargo do responsável pelo site autor da informação original.

Caso não cumpra a determinação da Justiça Eleitoral, o candidato pode ser obrigado a retirar todos os conteúdos referentes à sua campanha do ar por 24 horas. “E a cada reiteração será duplicado o período de suspensão. Se o candidato não se comportar pode ficar um mês fora do ar”, observa o advogado.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, a internet já está desmistificada e os serviços online crescem em ritmo mais acelerado. E o melhor com aprovação e adesão dos usuários.

A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, presta consultoria online através do blog Empreendedorismo e Inovação, basta acessar Consultoria Online.

“Nossa agência já tem recebido diversas demandas de políticos para as campanhas eleitorais de 2010. As eleições daqui para frente se decidirão na internet. A internet foi decisiva nas eleições americanas, elegendo o atual Presidente dos EUA Barack Obama. ”

Veja também

Mais informações sobre Redes Sociais:
  1. Saiba quem são as 10 pessoas mais importantes da internet
  2. Quase 29% dos brasileiros acessaram a internet em 2008, diz estudo
  3. Virtual Target integra Twitter as ações de email marketing
  4. Bing adiciona posts do Twitter em buscas
  5. Redes sociais invadem o mundo corporativo
  6. Redes sociais no mundo
  7. Lifestreaming: Será que os blogs estão com os dias contados?
  8. Nova lei eleitoral permite blogs e redes sociais, mas restringe publicidade
  9. Redes sociais são estratégicas na busca de clientes
  10. Dell afirma ter faturado US$ 3 milhões com conta no Twitter
  11. Twitter é usado como “arma” Social
  12. Era ‘pontocom’ faz 20 anos
  13. Inovação: Construtora vende por R$ 500 mil 1º apartamento pelo Twitter
  14. Wave quer agregar dados na web
  15. Tempo gasto em redes sociais nos EUA quase dobra em um ano
  16. Qual melhor tipo de Blog para sua empresa?
  17. Internet2 via satélite
  18. Como ganhar dinheiro com o Twitter?
  19. A Web 2.0 somos nós
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

Consultoria aponta 5 requisitos para escolher fornecedores de tecnologia


tecnologia da informação.

Relatório da consultoria Forrester indica as cinco melhores práticas de negociação para empresas na escolha de software.

Adquirir um sistema, seja ele ERP (de gestão corporativa), CRM (de gestão do relacionamento com os clientes) ou, BI (inteligência de negócios) é mais uma atividade no escopo das obrigações da área de Tecnologia da Informação. “Mas dentre todas as aquisições realizadas pelas companhias, a operação de compra de soluções tecnológicas representa a que traz mais dificuldades às empresas”, diz Ray Wang, vice-presidente e diretor de análise da Forrester Research.

Mesmo colocando de lado o estresse gerado pela negociação com fornecedores, a complexidade das novas ofertas (como SaaS – software como serviço – e virtualização, por exemplo), somada às mudanças constantes no mercado de fornecimento de tecnologia da informação, torna a aquisição ainda mais difícil. E é nisso que a empresa de pesquisas se baseou para elaborar a segunda versão de relatório que indica as melhores práticas de negociação entre as empresas envolvidas.

“Antes de assinar um contrato, os gestores devem negociar cinco quesitos com seus fornecedores”, comenta Wang, que complementa: “São eles: seleção, implementação, utilização, manutenção e migração para novas versões”. Segundo o especialista, CIOs e outros profissionais ligados à tecnologia e negócios devem incorporar essas etapas aos relacionamentos com fornecedores e estratégias de contratação.

Estes são os cinco pré-requisitos que as companhias devem exigir antes de efetuar uma aquisição de software:

Seleção: suporte de operação e para novas versões do software;

Implementação: fornecedores devem provar que executivos confiáveis estão por trás do negócio;

Utilização: permissão para que os clientes compartilhem uns com os outros as modificações que realizaram na solução;

Manutenção: exigência de que fornecedores busquem melhores opções de suporte para a companhia;

Migração: possibilidade de evolução para outras versões do mesmo software sem custo ou estresse.

Por que tudo isso é importante? De acordo com Wang, agora é a hora de as empresas buscarem a reestruturação de suas operações para resolver problemas gerados no passado e ganhar fôlego para crescer. “A maneira como elas se relacionam com os fornecedores é determinante para o sucesso dessa fase de mudanças nas companhias”.