PNQ 2009 conta com 39 inscritas

PNQ 2009

A equipe responsável pelo Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) está realizando, em São Paulo, constantes reuniões para discutir o ciclo 2009, que conta com 49 organizações elegíveis e 39 inscritas, a maioria da região Sudeste do País. Até o dia 3 de julho os examinadores receberam o Relatório de Gestão (RG) das empresas elegíveis e, em seguida, entre os dias 14 de setembro e 16 de outubro, visitarão aquelas que passarem para a próxima etapa, quando verificarão in loco como são feitas as práticas descritas nos seus relatórios.

As organizações que se candidatam ao PNQ encaram uma maratona de quase quatro meses. Durante este período, precisam preencher relatórios, entregar dezenas de documentos detalhados sobre cada processo da gestão e receber uma série de visitas de especialistas em busca de cada detalhe das atividades mencionadas nos relatórios. Neste ano, mais de 146 mil pessoas integram a força de trabalho descrito na elegibilidade das organizações. De acordo com Gustavo Utesher, coordenador do prêmio, mais uma vez a FNQ está indo na contramão das tendências mundiais e nacionais. “Existem pesquisas que indicam perda de interesse no modelo de gestão pelo mundo afora, mas e não é isso que observamos no Brasil”, explica.

O PNQ não é um processo com começo, meio e fim, apesar de ser dividido em ciclos. É um processo contínuo, pois cada ciclo toma o anterior como base para melhorias. As organizações encaminham à FNQ uma série de documentos que são examinados pela área técnica da instituição, que determina a elegibilidade ou não de cada candidata. Aquelas que forem elegíveis devem fazer sua inscrição, mediante a apresentação do Relatório da Gestão, elaborado com base nos oitos Critérios de Excelência que fazem parte do Modelo de Excelência da Gestão® (MEG).

Avaliação

Entre julho e outubro acontecem as três etapas do processo de avaliação. A primeira, de Análise Crítica Individual, é eliminatória; a segunda é a de Análise Crítica de Consenso e a terceira é conhecida por Etapa de Visitação.  A Análise Crítica Individual é a etapa em que os examinadores fazem a avaliação dos questionários preenchidos pelas candidatas, os Relatórios de Gestão. Eles analisam se as organizações atendem ou não os Critérios de Excelência do MEG. Na sequência acontece a primeira reunião de juízes, que são examinadores com grande experiência no PNQ. Eles definem quais candidatas passarão para a segunda e terceira etapa, a de Visitação às Instalações.

É nesse momento que os juízes avaliam os Relatórios da Gestão e as pontuações para verificar quem atingiu a nota mínima para prosseguir no processo. As eliminadas são informadas e recebem seus respectivos Relatórios de Avaliação, mesmo sem serem submetidas às verificações in loco previstas na fase final.

As organizações que chegam à última etapa são submetidas a três dias de visitas, na qual seis a oito examinadores conferem tudo o que foi anteriormente descrito, avaliando se a teoria e a prática caminham juntas. Ao final do período é fechada a pontuação total de cada empresa, o que gera um material para outra reunião de juízes. Em seguida, os examinadores seniores se reúnem na FNQ para apresentar e defender o parecer da sua equipe referente às candidatas que estão na reta final do processo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s