Operação de Sucesso


Em ação estratégica com grupo líder de mercado, Criatec realiza desinvestimento

Crescimento de mais de 100%, alocação de recursos na contratação de funcionários e integração estratégica a um dos maiores grupos internacionais na área de desenvolvimento de softwares e e-commerce para o setor de seguros. Esse é o saldo do investimento do Criatec na empresa Usix Technology, uma das 21 investidas em 3 anos de operação do Fundo.

A Usix, sediada em Fortaleza e com escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo, tornou-se investida do Fundo Criatec no início de 2009. Em pouco mais de um ano e meio, a parceria alavancou a gestão e o faturamento da empresa, despertando o interesse do grupo americano Ebix Inc, que expandiu recentemente suas operações para a América Latina.

O resultado foi uma grande operação que levou à aquisição da Usix pela Ebix. “A proposta de compra veio no momento auge da empresa. Conseguimos, em um ano e meio, dar o salto que esperávamos para daqui quatro anos”, comemora o antigo diretor comercial da Usix, e agora vice-presidente de Vendas para a América Latina da Ebix, Marcelo de Sena.

Para Gustavo Junqueira, diretor de Operações da Inseed Investimentos, empresa do Instituto Inovação que participa da gestão do Fundo Criatec juntamente com a Antera, a venda da Usix pode ser considerada um grande sucesso por ter alinhado os interesses tanto dos investidores do Fundo quanto dos empreendedores.

“O retorno superou nossas expectativas, principalmente, em termos de prazo. Mas o mais importante é que a empresa continua operando com toda sua capacidade e, agora, usando o nome Ebix, poderá expandir seu portfólio e sua carteira de clientes”, aponta Junqueira.

De fato, a expectativa dos cinco antigos sócios da Usix, que agora fazem parte do corpo gerencial da nova subsidiária da Ebix América Latina, é aproveitar ao máximo a sinergia e os ganhos de eficiência que a operação irá trazer. “Queremos fortalecer a relação com os clientes já estabelecidos e abrir frentes em novos países”, explica Marcelo.

Para efetivar esses planos, todos os produtos e serviços oferecidos pela Ebix serão disponibilizados em português, complementando o portfólio da Usix, incluindo soluções para Vida, Ramos Elementares, Previdência, Saúde, Sistemas de back-end para seguradoras e corretores de seguros, Sistemas CRM, Sistemas de gerenciamento de riscos, Serviços de BPO e Serviços de desenvolvimento de software personalizado.

Fundo Criatec

Foi constituído em outubro de 2007, a partir de edital público do BNDES. Trata-se de um fundo de investimento de longo prazo em empresas, ou pesquisas, em estágio inicial, inovadoras, e que possuem uma projeção de retorno muito elevada. A gestão do Criatec é realizada por um consórcio formado pela Antera Gestão de Recursos e a Inseed Investimentos, com recursos oriundos do próprio BNDES e do Banco do Nordeste do Brasil S.A. (BNB).

O Criatec realiza aportes iniciais de até R$1,5 milhão nas empresas selecionadas e, nos anos seguintes, acompanha sua evolução e coordena o processo de desinvestimento. Essa operação ocorre quando a empresa alcança posição consolidada no mercado, permitindo ao Fundo vender suas ações do empreendimento, obtendo retorno financeiro para seus investidores.

Fonte: Radar Inovação

3º Congresso Internacional de Inovação


Congresso Inovação

Abertas as inscrições para o 3º Congresso Internacional de Inovação

Estão abertas as inscrições para o 3º Congresso Internacional de Inovação promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), Sesi-RS e Senai-RS. O evento é uma oportunidade para ter acesso a informações e ideias de profissionais e especialistas do Brasil, Estados Unidos, Suécia, Reino Unido, Alemanha e Coreia do Sul, que estarão em Porto Alegre para refletir sobre A inovação no centro da Nova Economia. No hotsite www.fiergs.org.br/inovacao é possível fazer inscrições, acessar a lista de palestrantes e a programação completa do evento que ocorre nos dias 17 e 18 de novembro no Teatro do Sesi, em Porto Alegre.

Nesta edição, por meio da ferramenta Webstorming (da Brightidea), disponível no hotsite, é possível realizar o compartilhamento de ideias antes, durante e pós Congresso. Ela permite interação direta entre os participantes habituais do congresso, público estimado em 1700 pessoas. O twitter também será usado na cobertura das atividades, atualizando o público instantaneamente.

Para os dois dias de Congresso, estão programadas sessões plenárias com especialistas em design, redes sociais, gestão da inovação, entre outros assuntos. Também serão promovidos painéis relacionados à economia de baixo carbono, inovação social, interação universidade-empresa, semicondutores, indústria naval e operações offshore, além da apresentação de cases de empreendimentos como China Mobile, HT Micron/Unisinos, Braskem e Biolab Sanus.

Na lista de palestrantes internacionais confirmados está o diretor executivo da Low Carbon Leaders Initiative e fundador da 21st Century Frontiers, o sueco Dennis Pamlin, que participará do painel Economia de Baixo Carbono. O encontro, que ocorre dia 17 de novembro, a partir das 8h30min, vai abordar a importância da sensibilização e ação empresarial para a redução da emissão de gases de efeito estufa. Já o professor britânico Richard Gerver, que foi conselheiro para política de educação do governo Tony Blair, abordará o tema “Como educar para a nova economia”, às 8h30min, no dia 18. O painel vai mostrar que o capital humano é a essência da inovação, são as pessoas que geram idéias e conhecimento cuja aplicação resulta em novas tecnologias, produtos e serviços, que dão origem à nova economia.

O Congresso Internacional de Inovação tem a intenção de contribuir para consolidar o ambiente favorável à inovação e ao empreendedorismo nas indústrias, criando oportunidades de aprendizagem, desenvolvimento de competências e conhecimento. Também busca mobilizar forças da comunidade empresarial, acadêmica e governamental em direção a um posicionamento estratégico pró-ativo do Estado no cenário de desenvolvimento tecnológico mundial, fortalecendo as alianças entre governo, universidades e empresas − a base da inovação de acordo com a tríplice hélice, teoria debatida durante o evento no ano passado.

O link do site do evento é:

http://www.fiergs.org.br/inovacao/2010/default.asp

http://www.fiergs.org.br/inovacao/2010/noticias_interna.asp?link=p9&idNoticia=7992

Fonte: Criatividade e Inovação

‘O poder da imaginação’


Artigo de consultor relativiza peso da tecnologia em processos de inovação

Quando patenteou o fonógrafo, em 1878, Thomas Edison acreditava que o aparelho seria utilizado para gravar as últimas palavras de doentes terminais, sem nunca imaginar sua aplicabilidade na indústria musical. Já o laboratório farmacêutico Pfizer buscava um vasodilatador que auxiliasse no tratamento de doenças coronarianas e descobriu o Viagra. Além disso, foi a dificuldade de dois estudantes americanos em encontrar material de referência para sua tese de doutorado na internet que originou o Google.

O que esses episódios têm em comum?

Para o consultor Clemente Nobrega, colunista da revista Época Negócios, eles são claros exemplos de como a tecnologia é uma condição necessária dentro do processo de inovação, mas nunca suficiente em si mesma.

“A tecnologia habilita a imaginação a alçar seus voos, mas é a capacidade de empregá-la em arranjos originais que é essencial para a inovação”, afirma.

O assunto é aprofundado no artigo O poder da imaginação, publicado por Nobrega na edição de setembro da revista. O texto completo pode ser acessado aqui.

Quem preferir, pode assistir à versão em vídeo aqui.

 

Fonte: Radar Inovação

Fomento à inovação na Colômbia


Estruturar áreas de Pesquisa & Desenvolvimento e conduzir projetos inovadores de forma alinhada à sua cultura é um desafio e tanto para as organizações, seja no Brasil ou em outra parte do mundo. Pois este é o objetivo de sete empresas que contaram com os serviços da Inventta na Colômbia, ao longo do segundo semestre deste ano:

Contempladas por um edital do Servicio Nacional de Aprendizaje (SENA) que visa a apoiar a criação e o fortalecimento de áreas de P&D, as empresas possuem portes variados e atuam em diferentes setores da economia. “O SENA é uma instituição similar ao Sebrae, mas que atende a companhias de tamanho pequeno, médio e grande na Colômbia”, explica Elimar Pires, gerente de projetos da Inventta.

O programa é dividido em duas etapas. Na primeira, é feito um diagnóstico acerca da cultura, padrões e processos das atividades ligadas à inovação. “O framework de gestão da inovação tecnológica da Inventta é muito útil nessa primeira fase, que cria as bases para segunda”, destaca Elimar.

Na etapa seguinte, as empresas devem apresentar ao SENA um projeto inovador, que seja relevante para a competitividade do negócio. O órgão de fomento oferece apoio financeiro para que profissionais das organizações participantes possam se capacitar com cursos de mestrado e doutorado, em outros países, para conduzir os projetos.

Quando a inovação faz parte do DNA

Para uma das empresas contempladas pelo edital do SENA, a SuperBrix, o termo inovação é algo bastante familiar. A companhia sediada em Barranquilla, que oferece soluções agroindustriais como máquinas separadoras de grãos, já recebeu diversos prêmios pela sua capacidade de inovar, alguns deles internacionais.

Quando iniciou suas operações, a SuperBrix importava da Alemanha um equipamento necessário em sua linha de produção. Atualmente, é a empresa colombiana que fabrica a mesma máquina e a exporta para todas as regiões do mundo.

“A inovação é a primeira e mais importante estratégia competitiva da SuperBrix. Por isso, há um comprometimento muito grande com a causa por parte da direção e dos colaboradores”, explica Leonardo Manotas, diretor de P&D&I da SuperBrix.

O diagnóstico realizado pela Inventta confirma que a inovação era algo tão comum na empresa que, geralmente, ocorria de maneira espontânea. Além disso, nas diferentes áreas da SuperBrix existiam formas distintas de se realizar e conduzir a inovação.

Sergio Zúñiga Bohórquez, consultor da Inventta Colômbia, conta que profissionais de diferentes áreas foram ouvidos para que fosse possível entender melhor os padrões e identificar as melhores práticas. “Além de indicar oportunidades e soluções em alguns quesitos, identificamos claramente a necessidade de unificar a gestão da inovação entre os diferentes departamentos”, avalia.

Para Manotas, a Inventta soube diagnosticar oportunidades de melhoria e implementar workshops para sensibilizar os colaborares: “Apesar da SuperBrix ser uma empresa que inova há mais de 40 anos, a consultoria ajudou a identificar pontos que podem ser aprimorados em nosso sistema de gestão e mostrou que a cultura da inovação sempre pode ser fortalecida”.

A consultoria ajudou a identificar pontos que podem ser aprimorados em nosso sistema de gestão e mostrou que a cultura da inovação sempre pode ser fortalecida”.

Leonardo Manotas, diretor
de P&D&I da SuperBrix

Além de sugerir o caminho para aprimorar a gestão da inovação tecnológica, o diagnóstico propôs outras ações, como a criação de espaços físicos adequados para geração e discussão de ideias, que já foram implantados pela SuperBrix.

“A Inventta nos ajudou a entender que, por mais inovadores que sejamos, sempre há maneiras de melhorar. Além de fortalecer a área de P&D e a vigilância tecnológica, é preciso envolver todos colaboradores. Sem dúvida, a consultoria ajudou a otimizar o processo de inovação e aumentar nossa competitividade empresarial”, destaca Manotas.

O projeto tecnológico escolhido pela empresa para ser apresentado ao SENA visa a aprimorar o processo de produção, a modularização e a customização de máquinas separadoras de grãos. A partir de 2011, dois colaboradores da empresa serão contemplados com bolsas para estudar na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Inovação a serviço da segurança e do tempo

Também contemplada com recursos do SENA, a GM Colmotores – indústria automobilística colombiana controlada pela General Motors – aposta na tecnologia para garantir a competitividade de seu negócio. O objetivo é utilizá-la para aumentar a segurança dos veículos e fazer com que as pessoas aproveitem melhor o tempo gasto dentro de automóveis, adiantando tarefas cotidianas com o auxílio de equipamentos conectados à internet.

“A direção da empresa entende e sabe a importância da inovação e, por isso, quer criar as condições necessárias para que a palavra passe a fazer parte do dia a dia dos colaboradores”, conta Luz América Castiblanco, consultora da Inventta Colômbia

O diagnóstico identificou que, apesar de existir a cultura de melhoria contínua na GM Colmotores, a empresa ainda precisava de um direcionamento mais claro em relação à inovação. “Era preciso inserir o tema na estratégia da organização e promover uma transformação cultural”, explica América.

Com poucos meses de trabalho, já é possível notar evolução: a empresa criou tanto sua visão estratégica da inovação quanto a composição hierárquica da área. “A Inventta está nos auxiliando, por exemplo, a estruturar uma tática para lidar com a inovação completamente transversal e alinhada aos objetivos do negócio”, destaca Juan Manuel Ardila, gerente de Recursos Humanos da GM Colmotores.

Hoje, temos um direcionamento muito mais claro em relação à inovação”.

Juan Manuel Ardila, gerente
de RH da GM Colmotores

Os colaboradores já começam a se envolver mais com o assunto. “Temos uma cultura aberta a mudanças, que é o motor para conseguirmos inovar. Enquanto isso, a Inventta traz o direcionamento estratégico que precisávamos”, constata o gerente.

Até o final do ano, a GM Colmotores definirá o projeto e o colaborador que será beneficiado com a bolsa de mestrado ou doutorado oferecida pelo SENA. A empresa irá priorizar iniciativas ligadas a tecnologias de alto impacto, que podem ser aplicadas a longo prazo.

A montadora continuará recebendo a consultoria da Inventta pelos próximos seis meses. O objetivo é estruturar e consolidar os processos relacionados à inovação tecnológica.

“Temos um direcionamento muito mais claro em relação à área, que possibilita a condução de todos os projetos futuros de maneira segura, fomentando ainda mais a inovação na empresa”, conclui Ardilla.

Muito além de soluções gráficas

Outra companhia inovadora a se beneficiar com os recursos do SENA é a Gráficas Los Andes. Criada em 1966, a empresa é especializada na produção de embalagens personalizadas e também oferece soluções relacionadas à logística e controle de estoque dos produtos. Entre seus clientes estão multinacionais dos setores de alimentos, farmácia e cosméticos, dentre outros.

A empresa, que já se destacou por inovações em seus desenhos e em modelos logísticos adequados às necessidades dos clientes, contou com a consultoria da Inventta para aprimorar os processos e o gerenciamento das questões ligadas à inovação, P&D e transferência de conhecimento para outras companhias que fazem parte da sua cadeia produtiva.

“A Los Andes tem uma estratégia de inovação bem definida. Além de criar produtos diferenciados, a empresa oferece outros serviços, como inovações na cadeia de distribuição. Ter objetivos claros facilitou o processo de consultoria”, informa Jaqueline Miranda, consultora da Inventta Colômbia.

A Inventta chegou em um momento oportuno para implantarmos ferramentas metodológicas que tornam a gestão da inovação mais eficaz”.

Fernando Márquez, gerente de Produção e Logística da Los Andes

Com todas as informações em mãos, a empresa tem até o fim do ano para eleger o projeto e os colaboradores que serão contemplados com os recursos do SENA.

“A Inventta chegou em um momento oportuno para implantarmos ferramentas metodológicas que tornam a gestão da inovação mais eficaz”, avalia Fernando Márquez, gerente de Produção e Logística da Los Andes.

Prime estimula espírito empreendedor


Com informações do Radar Inovação

O termo empreendedorismo é explicado no dicionário como a capacidade de decidir e tentar executar uma tarefa muito trabalhosa. Partir de uma ideia e se lançar no mercado com uma nova empresa ou produto inovador define bem esse conceito. Somente neste ano, mais de 20 empresários com espírito empreendedor e que foram contemplados pelo edital do programa Prime buscaram o apoio da Inventta para consultoria em estudo de mercado.

Coordenado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o Prime – Primeira Empresa Inovadora disponibiliza recursos para empresas nascentes de base tecnológica, auxiliando-as a se estabelecerem no mercado ou a consolidarem novos produtos. Duas dessas empresas, que são financiadas pelo Prime e contam com consultoria da Inventta, já se preparam para entrar em 2011 a todo vapor: a Cord Futuro e a Wertag.

Cord Futuro

Guilherme Granzinolli, Felipe Fernandes e Filipe Barros são estudantes de Engenharia de Produção, que partiram de um simples plano de negócios para o fechamento de um contrato com o maior banco de cordão umbilical da América Latina, o BCU.

A história de sucesso, que está sendo coroada agora com a inauguração da sede da empresa, em Juiz de Fora (MG), começou há pouco mais de um ano.  A ideia inicial era se lançar no mercado como um novo banco privado de células-tronco do sangue do cordão umbilical, a Cord Futuro.

Com o recurso do Prime garantido, os estudantes buscaram a parceria com a Inventta, que ficou responsável por prestar a consultoria em estudo de mercado e gestão. “O que fizemos foi estruturar e aprofundar o plano de negócio da Cord Futuro, com prospecção de dados, avaliação de concorrentes e entrevistas com pessoas que estariam, direta e indiretamente, envolvidas com o negócio”, explica o analista da Inventta Mateus de Queiroz Bernardes.

A Inventta trabalhou na formalização e compilação de informações, transformando um quebra-cabeça confuso em algo concreto e coeso”.

Guilherme Granzinolli, sócio do escritório regional da BCU

O resultado da primeira fase da consultoria, que durou cerca de seis meses, apontou que a Cord Futuro enfrentaria uma série de barreiras para conseguir se inserir no mercado. “Os riscos para um novo entrante numa área ainda bastante restrita eram muito altos”, avalia a coordenadora do projeto pela Inventta, Ana Carolina Calçado. Uma das alternativas identificadas por meio das análises realizadas foi a de se associar a uma grande empresa já estabelecida.

Foi a partir daí que veio o contato e o acordo para a abertura, em em Juiz de Fora, de um escritório regional da BCU, multinacional mexicana que possui operações em São Paulo.

Para o sócio da empresa Guilherme Granzinolli, porém, a negociação não teria dado resultado sem a parceria com a Inventta. “Tínhamos um plano de negócios pouco estruturado. A Inventta trabalhou na formalização e compilação dessas informações, transformando um quebra-cabeça confuso em algo concreto e coeso”, ressalta.

“O estudo de mercado foi muito importante para a profissionalização do projeto”, complementa Ana Carolina.

Cumprida a primeira etapa do trabalho, a Inventta agora presta consultoria de gestão para a empresa. Com dois profissionais de enfermagem já contratados e com as obras de estrutura física em fase final, a expectativa é que a BCU comece a operar em Juiz de Fora ainda este ano.

Wertag

Comprar e vender produtos pela internet já deixou de ser novidade há algum tempo. Mas que tal fazer isso utilizando uma ferramenta de anúncios integrada às principais redes sociais? Dessa forma, você não estará negociando com uma pessoa desconhecida e sim com alguém estabelecido dentro do círculo de confiança seu ou de seus amigos, por meio do Orkut, Facebook etc.

A ideia parece boa, não é? Pois ela é tão boa que o Anuncie Lá, produto criado pela empresa de softwares Wertag, conquistou o primeiro lugar na etapa regional do Desafio Brasil, competição de start-ups de base tecnológica coordenado pela Fundação Getúlio Vargas e apoiada por parceiros como Intel e Microsoft.

“Ouso afirmar que a história do Anuncie Lá se divide em pré e pós Desafio Brasil”, afirma um dos sócios da Wertag, Renato Mangini. “As fases de desenvolvimento e de mentoring foram muito importantes para o amadurecimento do produto. Além disso, vencer a etapa regional resultou em grande visibilidade para a empresa e nos abriu diversas portas”, complementa.

Assim como no caso da Cord Futuro, a Inventta foi contratada pela empresa para prestar consultoria em estudo de mercado e também em gestão.

“Buscamos entender o produto, levantamos informações sobre concorrentes e outras iniciativas similares, e fizemos pesquisas para compreender as motivações dos consumidores. Com tudo isso em mãos, formulamos estratégias para a inserção do Anuncie Lá no mercado”, esclarece o gerente do projeto pela Inventta, Felipe Matos.

Prestes a lançar comercialmente o produto, Renato Mangini ressalta a contribuição da Inventta para a concretização do projeto. “O estudo de mercado realizado foi muito importante para definir o foco exato do produto. Além disso, as reuniões de mentoring que acompanharam a consultoria de gestão nos permitiram diversos insights”, conclui.