Setor de petróleo, gás e energia é opção para desenvolvimento de micro e pequenas empresas


Até 2014, a indústria de petróleo no País prevê investimentos superiores a US$ 260 bilhões; palestra promovida pelo Sebrae/PR e ONIP orienta empresários de Curitiba e Região

Da Redação

Jeronimo Azevedo, gerente de cadastro da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP), esteve em Curitiba, a convite do Sebrae/PR, na última terça-feira, dia 25, para tirar dúvidas de empresários interessados em se tornar fornecedores da cadeia produtiva de petróleo, gás e energia. Durante palestra, o gerente da ONIP falou para aproximadamente 70 empresários sobre a estrutura da entidade, serviços oferecidos e o funcionamento dos cadastros ONIP de Bens e Serviços, CadFor e Navipeças.

Dentre as vantagens da obtenção do atestado de fornecedor do setor, estão o acesso às grandes operadoras, ampliação de mercado, processo único de cadastramento para várias operadoras e a possibilidade de fornecimento em projetos no exterior.

Nesta quarta e quinta-feiras, dias 26 e 27, Azevedo faz plantão no escritório do Sebrae/PR em Curitiba para atender individualmente empresários que agendaram horários ao fim da exposição. Na avaliação do especialista, as micro e pequenas empresas aproveitam pouco as oportunidades que o setor oferece. Para o gerente da ONIP, o setor pode gerar muitas vantagens para o Brasil, como geração renda, empregos e redução de parte problemas sociais.

“O alto valor dos contratos fechados pelas operadoras pode assustar as pequenas empresas. Tratando-se do setor de petróleo, gás e energia, tudo é grande: os riscos, possibilidades de prejuízos e os ganhos. Então, é preciso entender o processo para tirar proveito”, analisa Jeronimo Azevedo.

A previsão de investimentos, até 2014, para o setor de petróleo, óleo e gás é de US$ 262,7 bilhões no Brasil. Somente a Petrobras deverá injetar US$ 212,3 bilhões. O campo de exploração de petróleo Tupi deverá gerar entre 5 e 8 bilhões de barris. O início da produção está previsto para 2015. O campo está localizado a 7 mil metros abaixo do nível do mar. “As empresas podem mudar suas linhas para atender o setor e aproveitar as oportunidades”, observa Azevedo.

Incentivo

A vinda do representante da ONIP ao Paraná é uma das ações do Projeto Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás, iniciativa do Sebrae/PR e parceiros, que objetiva a inserção competitiva e sustentável das micro e pequenas empresas na cadeia produtiva de petróleo e gás do Estado.

O consultor do Sebrae/PR, Pedro Cesar Rychuv Santos, esclarece que a proposta da entidade é incentivar a inserção de micro e pequenas empresas no segmento, suprir dificuldades de qualificação, além promover a aproximação e a melhoria do relacionamento entre fornecedores e grandes corporações.

Segundo ele, para 2011 estão programadas várias atividades para alcançar esses objetivos. “Em fevereiro, o Sebrae/PR irá promover uma palestra para orientar futuros fornecedores da Petrobras. Também está agendado um café da manhã com uma instituição bancária que irá abordar questões de financiamento e um encontro de negócios que visa identificar as demandas da Copel (companhia de energia do Paraná)”, frisa o consultor.

Cadastros

O processo de cadastro de empresas na ONIP não tem custo algum. A solicitação é feita pelo preenchimento do Formulário de Solicitação do Cadastramento, disponível na internet: http://www.onip.org.br/main.php?idmain=cadastros. Logo após o pedido, a empresa encaminha à ONIP os documentos comprobatórios, juntamente com a Carta de Solicitação do Cadastramento. Então é feita uma avaliação técnica para verificar as informações fornecidas.

O laudo da avaliação e toda documentação envolvida são encaminhados à Comissão de Avaliação de Empresa (CAE-ONIP), que aprova ou reprova o pedido. A empresa aprovada passa a compor o Cadastro e tem suas informações acessadas pelos grandes compradores da indústria de petróleo e gás. Até janeiro de 2011, o cadastro ONIP registra mais 2,2 mil fornecedores.

Cadastro ONIP de Bens e Serviços – Esse cadastro é aberto e mantém informações sobre as empresas instaladas no Brasil, qualificadas para o fornecimento de bens e serviços ao setor de petróleo e gás. As empresas interessadas nas informações do cadastro são empresas de petróleo e operadoras atuantes no Brasil, fornecedores estrangeiros em busca de parceiros e grandes fornecedores nacionais em busca de novos subfornecedores.

Cadfor – O CadFor é um sistema de cadastro administrado pela ONIP e patrocinado pelas operadoras internacionais Anadarko, BG Brasil, Chevron, Devon, El Paso, Shell, Maersk, Repsol e Statoil. Para participar do CadFor, o fornecedor tem que estar habilitado a fornecer para a indústria do petróleo e gás. O cadastro de fornecedores no CadFor dá-se, exclusivamente, por meio de um Convite de Participação obedecendo as prioridades de bens e serviços estabelecidas pelas empresas patrocinadoras.  O CadFor utiliza procedimentos claros e objetivos de avaliação de fornecedores baseados em cinco critérios: legal, financeiro, técnico, SMS (saúde, meio-ambiente e segurança) e gerencial/responsabilidade social. O convite de participação pode ser solicitado pela empresa interessada por meio do portal da ONIP na internet.

Cadastro NaviPeças – O Catálogo Navipeças agrupa fornecedores nacionais de bens e serviços qualificados para atender à demanda da indústria de construção e reparação naval.

ONIP

A ONIP é uma instituição de âmbito nacional e atua como fórum de articulação e cooperação entre as companhias de exploração, produção, refino, processamento, transporte e distribuição de petróleo e derivados, empresas fornecedoras de bens e serviços do setor petrolífero, organismos governamentais e agências de fomento, de forma a contribuir para o aumento da competitividade global do setor. A meta da ONIP é aumentar a participação nacional no fornecimento de bens e serviços para o setor de óleo e gás, de forma a maximizar os benefícios para a indústria petrolífera do País.

Sobre o Sebrae/PR

O Sebrae/PR – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Paraná é uma instituição sem fins lucrativos que foi criada para dar apoio aos empresários de pequenos negócios e aos empreendedores interessados em abrir micro e pequenas empresas. No Brasil, são 27 unidades e 750 postos de atendimentos espalhados de norte a sul. No Paraná, cinco regionais e 11 escritórios. A entidade chega aos 399 municípios do Estado por meio do atendimento itinerante, pontos de atendimento e de parceiros como associações, sindicatos, cooperativas, órgãos públicos e privados. O Sebrae/PR oferece palestras, capacitações empresariais, treinamentos, projetos, programas e soluções empresariais, com foco noempreendedorismo, setores estratégicos, políticas públicas, tecnologia e inovação, orientação ao crédito, acesso ao mercado, internacionalização, redes de cooperação e programas de lideranças.

Informações para a imprensa:
Savannah Comunicação Integrada – empresa licitada do Sebrae/PR
Jaqueline Gluck (41) 3035-5669 ou (41) 9602-7541
Assessoria de Imprensa Sebrae/PR – Regional Centro-Sul: Cleide de Paula
(41) 8814-1046 / 3035-5669  jornalismocuritiba@savannah.com.br
Leandro Donatti –  Jornalista do Sebrae/PR –  (41) 3330-5895 ou (41) 9962-1754

 

Fonte: Agência Sebrae de Notícias – PR

 

Abertas as inscrições para o Selo de Qualidade em Serviços em Sergipe


Selo de Qualidade entra na 11ª edição sempre estimulando a qualidade dos serviços e produtos do setor turístico.

Betania Teixeira

Aracaju – Os empresários sergipanos já podem se inscrever no concurso “Selo de Qualidade em Serviços para Hotéis, Pousadas, Bares e Restaurantes de Sergipe”. O empreendedor que quiser participar deve comparecer ao Seminário de Adesão, que será realizado no dia 1º de fevereiro, às 15h, na sede do Sebrae em Sergipe. A entrada é gratuita.

A proposta do Selo é de buscar o reconhecimento e a valorização pública das empresas que investem em qualidade e no bom atendimento, explica Julia Vasconcelos, gerente da Unidade de Atendimento Coletivo-Comércio e Serviços do Sebrae/SE. “Os estabelecimentos recebem consultoria e orientações para fazer ajustes de modo a atender sempre melhor as expectativas de seus clientes. O projeto é aberto a todos os estabelecimentos desses segmentos localizados no Estado”, informa ela.

As empresas que participam do processo têm à sua disposição um modelo de auto-avaliação de gestão que possibilita a reavaliação constante de suas práticas. E um dos detalhes mais importantes é a continuidade do processo. “O Selo tem validade de um ano, e depois desse período uma nova avaliação é realizada. A proposta é fazer com que as empresas permaneçam atentas às melhorias da gestão organizacional e dos processos e invistam permanentemente na qualificação de seus profissionais”, diz Júlia Vasconcelos.

Outro detalhe é que o custo para as empresas é mínimo – mas as vagas são limitadas. O Selo de Qualidade é uma ação do Sebrae/SE em parceria com as instituições ligadas ao trade turístico de Sergipe, como Abav, Abeoc, Abih, Abrajet, Abrasel, Funcaju, Senac, Senar, Singtur e Secretaria de Estado do Turismo. Mais informações podem ser obtidas na Unidade de Atendimento Coletivo do Sebrae/SE – (79) 2106-7762, 2106-7711 e 2106-7720. O Sebrae em Sergipe está localizado em Aracaju, na Avenida Tancredo Neves, 5.500, Bairro América.

Como funciona

A metodologia do Selo é simples. Primeiro o empresário participa de Seminário de Adesão, onde são apresentados todos os passos do processo de avaliação e análise para a obtenção do Selo, com as regras de participação. Em seguida são realizados seminários de sensibilização para funcionários e colaboradores. O terceiro passo consiste na visita ao estabelecimento – feita por um analista técnico credenciado pelo Sebrae/SE – para aplicação de check-list com itens relacionados à qualidade no atendimento, produtos e serviços. Esse diagnóstico revela itens não atendidos e propõe melhorias.

A empresa recebe um prazo de 30 dias para executar as melhorias, com as adequações sendo checadas posteriormente pelos analistas técnicos. Depois são emitidos os relatórios finais que são encaminhados ao Comitê Gestor, formado por representantes das instituições parceiras ligadas ao trade turístico. É o Comitê Gestor que analisa e avalia o empreendimento e decide pela outorga ou não, do Selo de Qualidade. Os empreendimentos que conquistarem o direito de utilizar o Selo durante um ano recebem troféus e placa indicativa da conquista durante evento solene que acontece no mês de julho.