Indústria dos Games


A expansão do mercado de games em Pernambuco abre uma gama de oportunidades profissionais muito além da Tecnologia da Informação (TI). Um simples jogo infantil, por exemplo, utiliza uma quantidade considerável de recursos, uma criação que mobiliza, mais
do que programadores, designers, ilustradores, roteiristas de cinema e músicos responsáveis pelas trilhas sonoras. Sem contar a necessidade de profissionais das áreas de marketing, publicidade, mídias sociais, gerentes de projeto e de pesquisa. É um mercado bilionário que deve aumentar em cinco vezes sua receita até 2015, segundo projeções da consultoria Parks Associates.

“A lista de profissionais nesse segmento é grande. Já contamos com jornalistas, diretores de cinema, professores, entre outros”, avisa o CEO da Kokku Games, Thiago di Freitas, empresa desenvolvedora de jogos. Para ele, o mercado está crescendo no País e há sempre vagas abertas para novos talentos.
“O Brasil é o quarto maior mercado consumidor de games do mundo. O segmento infantil tende a impulsionar ainda mais o setor, porque hoje os pais são consumidores também, passando horas com seus filhos em meio a jogos eletrônicos. Os games ainda trazem benefícios para a educação da criança, como agilidade no raciocínio e nos reflexos”, ressalta Freitas. Foi de olho no segmento infantil e educacional dos jogos eletrônicos (e nas oportunidades profissionais que estão surgindo), que nasceu a Engenhoca Softwares Educativos. Para desenvolver seu primeiro game, o Jogo da Memória Família Ovo, o sócio Daniel Edmundson diz que foram mobilizadas duas outras empresas: a Estúdio Zero e a Fábrica Estúdios. “Nesse projeto se envolveram designers, programadores, músicos e ilustradores. Na trilha sonora, por exemplo, não foi usado nenhum instrumento musical. Os sons foram todos feitos com a boca, boa parte da diversão do aplicativo”, conta.
Daniel acredita que a mão de obra utilizada para a produção de games infantis agrega muito valor aos jogos. O outro sócio da Engenhoca, Henrique Cabral, afirma que há muita oportunidade na verticalização de alguns negócios.

“Pernambuco tem muitos talentos em design e ilustração e vários músicos e outros artistas dispostos a trabalhar com conteúdo digital móvel. Acho que muitos conteúdos educacionais podem ser trabalhados com maior interatividade. Por exemplo, imagina os
problemas que resolveríamos na escola se física, química e português fossem ensinadas com recursos como animação, replay e gráficos?”, questiona Henrique.

Felipe Almeida, da Mr. Plot (de games infantis), diz que sua empresa tem aumentado a equipe, hoje formada de seis profissionais, e contratado muitos profissionais terceirizados.
“O conteúdo digital está se aproximando cada vez mais do mercado.
Para desenvolver jogos e clipes musicados e animados, precisamos também de consultores para pensar no roteiro do game, que tem se mostrado um grande filão”, detalha Felipe.
Para ele, as oportunidades surgem além da área de tecnologia. “Precisamos sempre de profissionais da área digital como um todo para gerar conteúdo”, afirma o sócio da Mr. Plot.

Anúncios

Porto Digital lança o CICTEC, seu primeiro Centro de Inteligência Competitiva


Na próxima quarta-feira, dia 15 de maio, o Porto Digital vai realizar o lançamento do seu primeiro Centro de Inteligência Competitiva para Parques Tecnológicos, o CICTEC, que terá a missão de prover de informações estratégicas as empresas instaladas no Porto Digital e no Parqtel, para que elas possam tomar as melhores decisões em torno do futuro de seus negócios.

O lançamento vai acontecer no auditório do prédio do ITBC, Rua da Guia, 142, Bairro do Recife e contará com a presença de Guilherme Calheiros, Diretor de Inovação e Competitividade do Porto Digital, e da Gerente de Projetos Cidinha Gouveia.

Ao final da apresentação do CICTEC, o economista José Carlos Cavalcanti fará uma palestra sobre os cenários futuros das tecnologias da informação.
A palestra é parte do I Seminário do CICTEC, que terá início no dia do lançamento do Centro. Para participar do Seminário, que tem vagas limitadas, deve-se realizar inscrição prévia, através do seguinte link: http://event.tc/cictec_primeiroseminario.

O CICTEC é uma iniciativa que tem o intuito de observar tendências tecnológicas e mercadológicas globais, a fim de prover informações qualificadas para ajudar as empresas do Porto Digital e do Parqtel na tomada de decisões estratégicas, adaptando seus negócios a novas realidades e, consequentemente, ampliando seus horizontes e seu potencial competitivo.
Além disso, o Centro também oferecerá suporte na elaboração de projetos e captação de recursos.

O Centro é uma iniciativa do Porto Digital, financiada pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), pela Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (SECTEC) e pela Agência Brasileira da Inovação (FINEP).Imagem

Centro inicia atividades


O Porto Digital deu início às operações do Centro de Inteligência Competitiva para Parques Tecnológicos (Cictec), uma iniciativa do Porto financiada pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e pela Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (Sectec). O Cictec foi criado como um centro de inteligência competitiva que atuará no Porto Digital e no Parque Tecnológico de Eletroeletrônica de Pernambuco (Parqtel), identificando tendências de mercado e fazendo a ponte com as empresas embarcadas nas duas entidades.

Segundo a gerente de Projetos do Núcleo de Gestão do Porto Digital, Cidinha Gouveia, o Cictec, que fica sediado no próprio parque tecnológico, retira a sobrecarga operacional na área de experiência competitiva das empresas, que podem, assim, centrar-se em suas atividades primordiais. “O Centro observa o mercado e as tecnologias afim de prover informações às empresas e ajudá-las na tomada de decisão”, explica. Assim sendo, o centro faz a ponte entre o que as empresas locais produzem, o que o mercado oferece e o que ele requer.

Para isso, o Cictec possui uma equipe de pesquisa, em atividade desde fevereiro, que analisa o mercado nas áreas de Economia Criativa, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e Eletroeletrônica, nas quais atuam o Porto Digital e o Parqtel.
Após levantar as tendências, os funcionários promoverão, em breve, seminários e oficinas nas áreas correlatas para demonstrar às empresas como podem proceder. Também serão divulgados boletins eletrônicos com resumos de tendências identificadas, bem como
relatórios mais aprofundados.

Além disso, a equipe do Cictec também atua no apoio às empresas para captação de recursos. “Esse processo vai desde a elaboração de projetos consistentes à prestação de contas final”, esclarece Cidinha. Uma das vantagens da atuação, informa a gerente, é que as empresas são, em geral, de pequeno porte e, com essa ajuda, podem aumentar seu potencial competitivo e tomar decisões estratégicas mais centradas, com projetos melhor elaborados.

Fonte: Folha de Pernambuco – Caderno InformáticaImagem

Pernambuco em Cannes


Embora a presença de Pernambuco no Cannes Lions seja pouco representativa em números, a qualidade dessa participação subiu um degrau importante. Até agora o Estado só participava da premiação com delegados, este ano teremos um jurado na categoria Inovação, Francisco Saboya, diretor-presidente do Porto Digital.
Além disso, o diretor da consultoria DH,LO, Daniel da Hora, comandará seminário. 

“Pela primeira vez estou indo como uma pessoa reconhecida porque tem o que dizer”, ressalta Daniel, que estará diante de um público de mais de dez mil pessoas. “É o maior presente de minha carreira”, orgulha-se.

Segunda-feira, Daniel e Saboya reuniram diretores de criação para analisar uma lista de 13 favoritos, dos quais oito o diretor da DH,LO acredita que serão premiados. Os pernambucanos farão um bom lobby para uma ação da Arcos para a Cruz Vermelha, o Clube 25, inscrita na categoria Cyber Lions. A peça estimula a frequência na doação de sangue nos hemocentros do mundo inteiro. 

A partir desta edição a coluna publicará a cada semana, até o festival, notícias sobre esta 60ª edição, que acontecerá de 16 a 22 de junho.

Fonte: Jornal do Commercio – Caderno Economia.Imagem