Curso de capacitação para autônomos em PE


É autônomo em Pernambuco?

Curso de capacitação para profissionais autônomos previsto para ter início em setembro abre inscrições hoje, dia 28 de agosto.
“As oportunidades de capacitação são para empreendedores individuais ou autônomos, que passam a ter agora também uma nova agência do trabalho direcionada ao setor. A nova agência fica localizada na Rua da União, na Boa Vista, centro do Recife. “A agência de trabalho é muito conhecida na intermediação do trabalho assalariado, com vínculo empregatício, mas o trabalho individual está ganhando cada vez mais importância na vida das pessoas e das empresas. Hoje, em Pernambuco, temos mais de 90 mil empreendedores individuais formalizados, além de uma grande quantidade de autônomos que podem se formalizar”, contou Antônio Carlos Maranhão, secretário de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo.”
Inscreva-se para uma das 2 mil vagas aqui http://migre.me/atq4s

 

Fonte: G1 http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2012/08/em-pe-projeto-oferece-2-mil-vagas-de-capacitacao-para-autonomos.html

Anúncios

Doze projetos de desenvolvimento operacional


KST é o exemplo de doze projetos de design de funcionamento das PME em fase de desenvolvimento do projecto “Crescimento aprender -. Aprendendo a crescer” Os doze PME diferem na indústria, negócios, etc, e também nas soluções específicas que tenham implementado. Cada uma destas empresas aqui poderia contar sua própria história de sucesso. O que une as histórias que promovam a capacidade de expandir seus negócios de acordo com o conceito de gestão baseada em competências (COM) é:

  • Gestão por competências (COM): O diagnóstico inicial mostrou que dos 124 respondentes representava para as PME inovadoras, a gestão por competências da contribuição mais importante para o crescimento.
    Continue lendo: Os resultados do diagnóstico inicial
  • alavancas de crescimento: Reconhecimento e ponto de referência dos projectos de design operacional são identificados especificamente os desafios do crescimento ter sido. Cada projeto tem um conjunto de alavanca de crescimento específico.
    Continue lendo: O conceito de aconselhamento e da alavanca de crescimento
  • Projeto de Aprendizagem: desafios foram utilizados para desenvolver as habilidades dos empregados e da empresa de forma sistemática. Isto foi feito de acordo com os princípios e métodos de projeto de aprendizagem.
    Leia Mais: O projeto de aprendizagem de apoio à viabilidade de uma PME
  • Consultoria de Processos: As empresas foram acompanhados por consultores RKW que guiaram o processo de desenvolvimento, em conformidade com o princípio de “ajudar as pessoas a ajudarem a si mesmos”
    Leia Mais: Como tirar esse consultor externo para o processo

A fase de desenvolvimento foi concluído em finais de 2009. Nesta fase, o conceito de gestão por competências junto aos decisores das PME participantes, RKW consultores e especialistas da Universidade Tom desenvolvidos e adaptados às necessidades de crescimento das pequenas e médias empresas. Esta abordagem melhorou agora será sistematicamente testados em uma fase de implementação em 15 PME seleccionadas.

Para as empresas que não são acompanhadas de um projeto de design este incluir na presente fase de desenvolvimento, grupos regionais regionais serão realizados. Você está convidado a beneficiar das experiências de empresas que implementaram abordagens baseada em competências para a promoção do crescimento já.

Fonte: http://www.lernend-wachsen.de

 

Curso de e-commerce para pequenos empreendedores


Micro e pequenas empresas representam 54% das vendas realizadas pelo Mercado Livre em 2009

O Mercado Livre entrou no universo da capacitação. O site de vendas lançou o Circuito de Capacitação para E-Commerce, programa inédito de educação a distância para vendedores e empreendedores da web. A solução atende a novos usuários, que ainda estão conhecendo as oportunidades de ganhar dinheiro por meio do comércio eletrônico, e também os mais experientes, interessados em profissionalizar e incrementar seus negócios.

“Temos como missão democratizar o comércio eletrônico para que seja rápido e com uma política de preço agressiva. Criamos soluções para que o empreendedor anuncie, venda, compre e tenha segurança. Tudo isso muitas vezes de maneira gratuita”, afirma o diretor geral de operações da empresa no Brasil, Helisson Lemos.

São 19 cursos voltados para quem quer vender no site, com diversas técnicas de construção e gestão em e-commerce. Para participar do programa, o interessado deve preencher o cadastro no site http://www.mercadolivre.com.br/circuito e fazer sua matrícula no curso desejado. A taxa de inscrição pode ser paga pela plataforma de pagamentos online MercadoPago e varia de acordo com o nível desejado, iniciando com cursos gratuitos e chegando ao valor máximo de R$ 69,90 para os cursos avançados.

Os números do MercadoLivre impressionam. São 50 milhões de usuários cadastrados em 13 países, 9 milhões de compradores e 3 milhões de vendedores. O alvo principal da gigante de compras online nos últimos meses têm sido os empreendedores e as micro e pequenas empresas. O segmento representa 54% das vendas realizadas no site, em 2009.

Pesquisa realizada pela Nielsen a pedido do MercadoLivre revela que hoje existem na América Latina 52 mil famílias cuja renda depende exclusivamente das vendas no site de compra e venda. O levantamento mostra também que nos próximos seis meses 9 mil postos de trabalho deverão ser criados. A média de cada lojista no site é de 3,4 empregados.

A empresa recentemente lançou o Mercado Shops, uma plataforma gratuita de desenvolvimento de comércio eletrônico. “As lojas virtuais recebem publicidade do MercadoLivre. O nosso objetivo é gerar conhecimento”, diz Lemos. Para quem quer uma página sem publicidade, mais limpa e com suporte, pode optar por uma versão paga de R$ 99 por mês. Segundo Lemos, já foram desenvolvidas milhares de lojas online.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias – AL

Programa do Sebrae ajuda empresas a adotarem modelos avançados de gestão


Sua empresa está consolidada no mercado e você pensa em evoluir seus negócios? Conheça o programa que apoia o processo de crescimento de pequenas empresas. O Programa Sebrae para Empresas Avançadas, Sebrae Mais, apresenta diversas soluções que ajudam empresas a adotarem modelos avançados de gestão empresarial, a ampliarem rede de contatos e a implantarem estratégias para estimular a inovação.

O Sebrae Mais foi criado para empresários, que têm mais de dois anos no mercado, mais de dez funcionários e que já conseguiram resolver problemas básicos de gestão e agora querem crescer, evoluir. Esse universo é composto por trezentas mil empresas, que precisam reinventar a fórmula do sucesso, inovando nos modelos de gestão, quebrando paradigmas e mudando o patamar de desenvolvimento. O crescimento é sempre uma meta a ser atingida e o Sebrae está à disposição para auxiliar nesse processo

O programa é divido em seis módulos: Estratégias Empresariais; Gestão da Inovação – Inovar para Competir; Planejando para Internacionalizar; Gestão Financeira – do Controle à Decisão; Encontros Empresariais; e Empretec.

No módulo de Estratégias Empresariais são abordados temas sobre como tornar as decisões estratégicas mais eficientes, a partir da avaliação dos ambientes interno e externo dos empreendimentos. Em Gestão da Inovação, os participantes recebem informações sobre tipos e estratégias de inovação, o que é fundamental para a competitividade.

“Depois que participei do Estratégias Empresariais, aprendi a avaliar melhor o meu empreendimento e a utilizar ferramentas como planilhas eletrônicas para o cálculo de honorários de profissionais e do custo do atendimento. Outro ganho foi que, com as mudanças organizacionais e comportamentais, passei a visualizar melhor as oportunidades de negócios”, afirma Aderson Luz, da Hidrofisio.

Ainda segundo o empresário os conhecimentos adquiridos e as técnicas implantadas na empresa permitiram um crescimento no faturamento. “Nosso faturamento aumentou em 30% em apenas quatro meses, com o mesmo número de profissionais e de equipamentos e os mesmos serviços. O que fizemos foi otimizar a produtividade”, acrescenta Luz.

A elaboração de um plano de internacionalização acontece durante o módulo Planejando para Internacionalizar, num passo-a-passo de como tornar uma empresa global e deixá-la preparada para o mercado internacional. O módulo de Gestão Financeira apresenta técnicas para controlar, analisar, planejar e simular informações financeiras dos negócios, para a eficiente tomada de decisões.

Para a empresária Juliana Davis, da Radical Tênis, participar do curso de Gestão Financeira permitiu a ela conhecer ferramentas para mensurar melhor os resultados e ver as coisas com mais objetividade. “Tudo isso teve reflexo direto no meu faturamento. As mudanças já são visíveis. Quebrei paradigmas e coloquei em prática dicas repassadas no curso”, destaca.

Juliana ressalta ainda que, durante o treinamento, enxergou a necessidade de mudar a política de crédito de sua empresa. “Vi que o percentual do cartão de crédito era muito alto e que não se adequava à realidade da minha empresa. Hoje só trabalho com cartões de débito, e isso já tem reflexo direto nos resultados”, completa a empresária.

Nos Encontros Empresariais, as pessoas responsáveis pelas decisões nas empresas reúnem-se e trocam experiências acerca de temas de interesse comum, fortalecendo uma rede de relacionamento e compartilhando erros e acertos.

 

O EMPRETEC

Outro módulo do programa é o Empretec, uma metodologia da Organização das Nações Unidas, ONU, aplicada há quase vinte anos no Brasil pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Sebrae. O Empretec se propõe a promover mudanças no comportamento dos empreendedores, para que desenvolvam habilidades de negociação e gestão, e tenham maior segurança na tomada de decisão, aumentando as chances de sucesso da empresa.

Segundo levantamento encomendado pelo Sebrae ao Instituto Ver, o Empretec ajuda a aumentar a renda pessoal e impulsiona a carreira profissional dos participantes, já que 79% dos entrevistados afirmaram isso. A pesquisa, realizada de julho a agosto de 2010, nas cinco regiões brasileiras, revela ainda que no Nordeste, 67% dos empreendedores que participaram do seminário, ganham mais desde então. Foram entrevistadas 1.347 pessoas em todo o país.

Ainda de acordo com a pesquisa, o rendimento médio das empresas aumentou de R$ 54 mil para mais de R$ 74,5 mil após a participação dos gestores no treinamento e o número de funcionários de nove para onze. Os entrevistados dizem que esse crescimento veio porque, após o treinamento, eles aprenderam a preparar melhor metas, planos e projetos; se reeducaram para se relacionar com os clientes, passaram a ter uma melhor visão do mercado e maior facilidade para identificar oportunidades, investiram na melhoria da qualidade de produtos e serviços, além de exercerem uma melhor gestão sobre resultados e recursos humanos.

Outro índice que mostra a eficácia desse treinamento é que a mortalidade das empresas brasileiras em que os gestores participaram do Empretec é bem menor. Na China, que juntamente com o Brasil faz parte do grupo de trinta e dois países onde a metodologia é aplicada, 80% das empresas que tiveram acesso ao seminário se tornaram exportadoras. Das 180 mil pessoas capacitadas no mundo através dessa metodologia, 154 mil são brasileiras.

Maiores informações sobre o Sebrae Mais, visite a página do Programa no Portal do Sebrae.

Mercado para bilíngue deve crescer 30%


FONTE: Callcenter.info

 

 

Considerado um dos segmentos que mais empregam no país, apenas no estado paulista o setor prevê encerrar 2010 com 400 mil profissionais atuantes na área, sendo que o país já conta com 514 mil funcionários no segmento, o mercado de Call Center também abre novas frentes de empregabilidade com a contratação de profissionais bilíngues.

De acordo com o Sintelmark (Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos), nos próximos quatro anos, a expectativa de contratações de colaboradores com um segundo idioma está estimada em 30%. Com a proximidade de eventos mundiais, como a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas no país, o setor indica uma oportunidade aos jovens de ingressarem nesse mercado, além de prever um impulso das atividades offshore dentro das operações de call center.

Para Stan Braz, diretor-presidente executivo do Sintelmark, não se pode negar a deficiência educacional que o país tem em relação à formação desse perfil de profissional. “O Brasil é hoje uma das maiores bases de call center do mundo, ficando atrás apenas da Índia. São necessárias ações governamentais para estimular o aprendizado competente de uma segunda língua no país. Contudo, pessoas que possuem essa habilidade podem encontrar no setor chances de trabalho, já que muitas empresas da área estão dispostas a investir neste tipo de operação bilíngue”, comenta o executivo.

Crescimento

Além de representar uma chance aos jovens que desejam ingressar no mercado de trabalho, o setor de call center bilíngue também oferece oportunidades de desenvolvimento rápido da carreira.

“Pelo fato de serem bilíngues, as oportunidades para transferências a outros clientes são maiores e com isso suas habilidades em atuação e desenvolvimento também serão mais exigidas e desenvolvidas. Habitualmente são remanejados para vagas de liderança e gerencial, pois o idioma é um dos pré-requisitos para a promoção ou crescimento profissional”, explica o gerente de Recursos Humanos da Sitel, Fabiano Cinti.

O salário médio de um operador bilíngue é quase três vezes maior do que o de um operador comum. Para quem deseja ingressar na área é importante ter postura, desenvoltura e fluência em um segundo idioma, sobretudo inglês ou espanhol.

Saiba tudo sobre o Projeto para Lan Houses 2010


Lan houses

=====

Câmara cria comissão especial para analisar regras para lan houses
A Câmara dos Deputados instalou uma comissão especial para analisar o Projeto de Lei 4361/04, que exige a classificação indicativa de jogos eletrônicos e o cadastro dos usuários de internet em casas de jogos, chamadas de lan house (Local Area Network – ou rede local de computadores, na sigla em inglês). O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) foi eleito o presidente da comissão e o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) foi designado o relator da proposta. O projeto é de autoria do deputado Vieira Reis (PMDB-RJ). O andamento da Comissão pode ser acompanhado por meio do site da Câmara dos Deputados.
PNAD 2008: Lan houses estão em segundo lugar no acesso à web

Mais de 35% das 56 milhões de pessoas que se conectaram à internet em 2008 utilizaram uma lan house. Essa é uma das constatações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2008, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com este percentual, as lan houses conquistaram o segundo lugar no ranking de onde mais se acessa a internet no Brasil. Em primeiro, ficou o domicílio dos usuários (57,1%). O ambiente de trabalho, que antes ocupava a segunda colocação, em 2008 caiu para a terceira posição com 31% dos acessos. Como cada pessoa pode ter acessado a web de mais de um local, o resultado da pesquisa é superior a 100%.

:: Acesse a íntegra da pesquisa.

=====

Brasil chega à marca de 60 milhões de usuários de computador

As lan houses são o grande motor da inclusão digital no Brasil e mais uma vez a Pesquisa TIC domicílios 2008 comprova isso: 58% dos usuários informaram acessar a internet em centros públicos de acesso pago – lan houses. Os resultados do estudo mostram cla ramente quais desafios o país precisa enfrentar para massificar o acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação.

O custo elevado para a posse do compu tador e da conexão à internet nos domicílios e a falta de habilidade com a tecnologia, a exemplo dos anos ante riores, continuam sendo as principais barreiras para o uso da internet.

:: Saiba mais

===
Lan house: espaço de amor à educação

Reportagem publicada no site do jornal Bom Dia Brasil relata a iniciativa do Comitê para a Democratização da Informática (CDI) de transformar as lan houses em espaço de oportunidade. “A estratégia é aprimorar o negócio das lans. As pessoas vão continuar indo a lans para se divertir, fazer amigos, conhecer pessoas. Mas vão também poder acessar esse ambiente do CDI para geração de oportunidades, empreendedorismo, cursos, capacitações, primeiro emprego, segunda via de certificados e de documentos”, explica Rodrigo Baggio, do Comitê de Democratização da Informática.

De acordo com o texto, as cerca de 100 mil lan houses existentes no país são apontadas como responsáveis pela ausência de alunos em salas de aula. No entanto, muita gente se esquece que é graças a elas que muitos brasileiros têm acesso à internet e à informação.
Para saber mais sobre o projeto, acesse:

:: Sobre o CDI Lan

:: Notícia do Yahoo! Brasil

:: LANs no Brasil

====
Eventos

Abril

Alagoas Digital 2010
Data: 21 a 23 de abril de 2010
Local: Maceió (AL)

Maio

7th Contecsi – Congresso Internacional de Gestão de Tecnologia e Sistemas de Informação
Data: 19 a 21 de Maio 2010
Local: São Paulo (SP)

Junho

ALA Annual Conference & Exhibition 2010
Data: 24 a 29 de junho de 2010
Local: Washington (Estados Unidos)

Agosto

World Library and Information Congress: 76th IFLA General Conference and Assembly
Data: 10 a 15 de agosto de 2010
Local: Gothenburg (Suécia)

Setembro

Creating Knowledge VI Information Literacy and Divesity in Higher Educations

Data: 8 a 10 de set de 2010
Local: Bergen (Noruega)

III Congresso Internacional de Bibliotecología y Ciencias de La Información
Data: 14 a 16 de setembro de 2010
Local: Lima (Peru)

Outubro

The 17th International Conference on Knowledge Engineering and Knowledge Management – EKAW 2010

Data:11 a 15 de outubro de 2010
Local: Lisboa (Portugal)

XVI SNBU- Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias
Data: 17 a 22 de outubro 2010
Local: Rio de Janeiro (RJ)

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, este Projeto Lan House do Futuro, será o catalizador da inclusão e educação digital no País.

A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, presta consultoria em empreendedorismo e inovação, e capacitará empresas e dará assessoria à proprietários de Lan Houses a investirem cada vez mais em projetos inovadores e de alto valor competitivo.

” A formalização do empreendimento é fundamental. A categoria de Empreendedor Individual é aconselhada como ponto de partida no processo. Vale a pena investir  nesta idéia.” Ressalta Flammarion Cysneiros.

Mais informações, serviço:


=================
Projeto Lan House 2010
ICOMUNI Consultoria
Fone/Fax: (81) 3445-2956
E-mail: lanhouse@icomuni.com.br
=================
Acesse:
https://flammarion.wordpress.com/2010/03/26/tire-suas-duvidas-sobre-o-projeto-lan-house-do-futuro-do-sebrae/