Programa do Sebrae ajuda empresas a adotarem modelos avançados de gestão


Sua empresa está consolidada no mercado e você pensa em evoluir seus negócios? Conheça o programa que apoia o processo de crescimento de pequenas empresas. O Programa Sebrae para Empresas Avançadas, Sebrae Mais, apresenta diversas soluções que ajudam empresas a adotarem modelos avançados de gestão empresarial, a ampliarem rede de contatos e a implantarem estratégias para estimular a inovação.

O Sebrae Mais foi criado para empresários, que têm mais de dois anos no mercado, mais de dez funcionários e que já conseguiram resolver problemas básicos de gestão e agora querem crescer, evoluir. Esse universo é composto por trezentas mil empresas, que precisam reinventar a fórmula do sucesso, inovando nos modelos de gestão, quebrando paradigmas e mudando o patamar de desenvolvimento. O crescimento é sempre uma meta a ser atingida e o Sebrae está à disposição para auxiliar nesse processo

O programa é divido em seis módulos: Estratégias Empresariais; Gestão da Inovação – Inovar para Competir; Planejando para Internacionalizar; Gestão Financeira – do Controle à Decisão; Encontros Empresariais; e Empretec.

No módulo de Estratégias Empresariais são abordados temas sobre como tornar as decisões estratégicas mais eficientes, a partir da avaliação dos ambientes interno e externo dos empreendimentos. Em Gestão da Inovação, os participantes recebem informações sobre tipos e estratégias de inovação, o que é fundamental para a competitividade.

“Depois que participei do Estratégias Empresariais, aprendi a avaliar melhor o meu empreendimento e a utilizar ferramentas como planilhas eletrônicas para o cálculo de honorários de profissionais e do custo do atendimento. Outro ganho foi que, com as mudanças organizacionais e comportamentais, passei a visualizar melhor as oportunidades de negócios”, afirma Aderson Luz, da Hidrofisio.

Ainda segundo o empresário os conhecimentos adquiridos e as técnicas implantadas na empresa permitiram um crescimento no faturamento. “Nosso faturamento aumentou em 30% em apenas quatro meses, com o mesmo número de profissionais e de equipamentos e os mesmos serviços. O que fizemos foi otimizar a produtividade”, acrescenta Luz.

A elaboração de um plano de internacionalização acontece durante o módulo Planejando para Internacionalizar, num passo-a-passo de como tornar uma empresa global e deixá-la preparada para o mercado internacional. O módulo de Gestão Financeira apresenta técnicas para controlar, analisar, planejar e simular informações financeiras dos negócios, para a eficiente tomada de decisões.

Para a empresária Juliana Davis, da Radical Tênis, participar do curso de Gestão Financeira permitiu a ela conhecer ferramentas para mensurar melhor os resultados e ver as coisas com mais objetividade. “Tudo isso teve reflexo direto no meu faturamento. As mudanças já são visíveis. Quebrei paradigmas e coloquei em prática dicas repassadas no curso”, destaca.

Juliana ressalta ainda que, durante o treinamento, enxergou a necessidade de mudar a política de crédito de sua empresa. “Vi que o percentual do cartão de crédito era muito alto e que não se adequava à realidade da minha empresa. Hoje só trabalho com cartões de débito, e isso já tem reflexo direto nos resultados”, completa a empresária.

Nos Encontros Empresariais, as pessoas responsáveis pelas decisões nas empresas reúnem-se e trocam experiências acerca de temas de interesse comum, fortalecendo uma rede de relacionamento e compartilhando erros e acertos.

 

O EMPRETEC

Outro módulo do programa é o Empretec, uma metodologia da Organização das Nações Unidas, ONU, aplicada há quase vinte anos no Brasil pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Sebrae. O Empretec se propõe a promover mudanças no comportamento dos empreendedores, para que desenvolvam habilidades de negociação e gestão, e tenham maior segurança na tomada de decisão, aumentando as chances de sucesso da empresa.

Segundo levantamento encomendado pelo Sebrae ao Instituto Ver, o Empretec ajuda a aumentar a renda pessoal e impulsiona a carreira profissional dos participantes, já que 79% dos entrevistados afirmaram isso. A pesquisa, realizada de julho a agosto de 2010, nas cinco regiões brasileiras, revela ainda que no Nordeste, 67% dos empreendedores que participaram do seminário, ganham mais desde então. Foram entrevistadas 1.347 pessoas em todo o país.

Ainda de acordo com a pesquisa, o rendimento médio das empresas aumentou de R$ 54 mil para mais de R$ 74,5 mil após a participação dos gestores no treinamento e o número de funcionários de nove para onze. Os entrevistados dizem que esse crescimento veio porque, após o treinamento, eles aprenderam a preparar melhor metas, planos e projetos; se reeducaram para se relacionar com os clientes, passaram a ter uma melhor visão do mercado e maior facilidade para identificar oportunidades, investiram na melhoria da qualidade de produtos e serviços, além de exercerem uma melhor gestão sobre resultados e recursos humanos.

Outro índice que mostra a eficácia desse treinamento é que a mortalidade das empresas brasileiras em que os gestores participaram do Empretec é bem menor. Na China, que juntamente com o Brasil faz parte do grupo de trinta e dois países onde a metodologia é aplicada, 80% das empresas que tiveram acesso ao seminário se tornaram exportadoras. Das 180 mil pessoas capacitadas no mundo através dessa metodologia, 154 mil são brasileiras.

Maiores informações sobre o Sebrae Mais, visite a página do Programa no Portal do Sebrae.

Anúncios

Aprenda a planejar de três maneiras diferentes


Bem que às vezes tentamos, mas não há como escapar: planejar é a melhor maneira de obter resultados concretos e mensuráveis, de forma que se saiba quando e como obtê-los. Mas como devemos começar a planejar, quais as ferramentas e métodos úteis e necessários para dar início às primeiras linhas de um planejamento bem sucedido, seja ele financeiro, pessoal ou profissional?

O primeiro passo é saber que tipo de planejamento você deve aplicar. Segundo o diretor regional da Business Partners Consulting, Carlos Contar, há 3 tipos de planejamento: o estratégico, o tático e o operacional, e cada um difere do outro por apenas um fator: tempo.

“O estratégico ocupa-se das grandes questões e requer visão de futuro, pois cuida do que se deseja que aconteça nos próximos anos. O tático interpreta as decisões estratégicas e traça planos concretos a serem aplicados nos próximos meses, ou um ano, no máximo. E o operacional desdobra a tática em ações do cotidiano”, explica Contar.
Planejar ou fazer planos?

Apesar de implícita, há uma diferença nos termos. Se você simplesmente almeja algo, seja material ou simbólico, e não dispõe de métodos para atingir os objetivos sonhados, você não está fazendo nada, apenas planos. Mas quando os sonhos e desejos são sucedidos de imediato por ações concretas e direcionadas para realizá-lo, aí sim, há planejamento.

Não que o plano ou sonho não tenha uma importância menor do que o planejamento, na verdade ele é o ponto de partida, embora não represente nada sozinho. Carlos afirma que, para começar a planejar, são necessários dois passos simples:
1. Definição dos objetivos: ‘este ano, quero comprar um carro’ (sonho, desejo)

2. Traçar as metas necessárias para realizar os desejos: ‘para comprar o carro que eu quero, vou economizar R$ 200 por mês da seguinte forma…’ (planejamento tático)
Também não adianta ser ganancioso demais e achar que tudo vai ser resolvido com um planejamento. “O importante é traçar metas arrojadas, porém possíveis de se realizar. A preocupação também deve estar ligada ao prazo estipulado por você mesmo. Se você fez ou irá fazer um planejamento, vale ressaltar que é preciso seguir à risca. Suas ações irão refletir no seu futuro”, conclui Carlos.

Por Eber Freitas , http://www.administradores.com.br

Gestão eficiente faz a diferença para sobrevivência de empresas


Projeto Empreender SEBRAE

Coordenador Nacional do Projeto Empreender, Gustavo Reis, afirma que as pequenas empresas devem investir em gestão empresarial para sobreviver no mercado.

A era do ‘achômetro’ acabou no mercado brasileiro. A opinião é de Gustavo Reis, coordenador do Projeto Empreender do Sebrae Nacional. Para Reis, o chamado ‘feeling’ (sentimento, percepção) para os negócios pode funcionar até certo ponto, mas não promove a sustentabilidade de uma empresa. “Atualmente, é preciso que o empresário invista em procedimentos de gestão no dia-a-dia do seu empreendimento”.

O coordenador lembra que parte das micro e pequenas empresas brasileiras, principalmente nos municípios do interior do País, são administradas por empreendedores familiares, onde as experiências dos pais, os fundadores dos negócios, ainda dominam o cotidiano empresarial. “Conheço empresas com grandes possibilidades de crescimento, mas que continuam atreladas a uma gestão sem o mínimo de organização”, observa Reis.

Com um arranjo financeiro ruim, por exemplo, o coordenador ressalta que até o acesso ao crédito é dificultado para as empresas, “pois os bancos costumam olhar com desconfiança para um empreendimento que não consegue demonstrar sua capacidade de gestão e investimento”. Aliás, Reis afirma que este é um processo natural nos dias atuais, quando as garantias para um financiamento vão além do patrimônio apresentado.

Ao enumerar a presença do Projeto Empreender em 16 Estados do Brasil, o coordenador nota que a cultura da cooperação entre os empresários pode fazer a diferença quanto à melhoria da gestão nas micro e pequenas empresas. Reis enfatiza que “o empreendedor brasileiro não deve ver o seu concorrente como inimigo no mercado, mas participar da mobilização do segmento pela implantação de processos de gestão eficazes em suas empresas.”

Ao viajar por todo o Brasil para a promoção do Empreender, o coordenador acentua a importância das cidades onde a ação está presente, funcionando como um pólo para a transmissão da cultura empreendedora e cooperativa. “Em Goiás, por exemplo, o projeto atua em 35 municípios, beneficiando cadeias produtivas de cerca de duas mil micro e pequenas empresas de 150 segmentos empresariais”, destaca Reis.

O Projeto Empreender reúne um conjunto de ações, cujo objetivo é o desenvolvimento e fortalecimento das micro e pequenas empresas, por meio do associativismo. O objetivo maior do Empreender é contribuir para o desenvolvimento socioeconômico, principalmente na geração de emprego, ocupação e renda.

Para o coordenador, a previsão de investimento de R$ 1,3 milhão que este ano o Sebrae/GO fará no Projeto Empreender “é prova de que as micro e pequenas empresas do Estado podem dar um salto de qualidade na gestão empresarial”.

Informações: 0800 570 0800

Peter Senge participa de webcast do Grupo Santander Brasil


peter-senge

A Liderança Necessária para a Sustentabilidade
Pensamento sistêmico

No dia 01 de junho, Peter Senge, um dos maiores especialistas do mundo em aprendizagem organizacional e autor do livro A Quinta Disciplina, participará do Encontro de Sustentabilidade, promovido pelo grupo Santander Brasil, com o apoio da FNQ. O tema da palestra de Senge será: Liderança Necessária para a Sustentabilidade.

Pela primeira vez o evento será transmitido ao vivo, via webcast, das 19h30 às 21h. A condução dos trabalhos ficará por conta de Hélio Mattar, presidente do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, e contará com a participação de Fabio Barbosa, presidente do Grupo Santander Brasil.

Peter Senge ministrou palestra durante o 6º Fórum Empresarial, promovido pela FNQ em junho de 2008, em Campinas/SP. Para ele, a liderança em alta performance está ligada à satisfação pessoal e ao envolvimento intenso com o ambiente em que se vive. Assim, o líder passa a ser não apenas um cargo, mas um estilo de vida capaz de gerar profundas mudanças na sociedade.

Realizados desde 2003, os Encontros de Sustentabilidade visam promover a reflexão e o debate entre especialistas e a sociedade acerca da construção de um mundo sustentável. Entre os palestrantes que já passaram pelos eventoss estão John Elkington (consultoria Sustainability), Karl Henrik Robert, (organização The Natural Step) e Muhammad Yunus, (Banco Grameen e Prêmio Nobel da Paz em 2006).

Para acompanhar a transmissão em português, clique aqui. 
Para acompanhar a transmissão em inglês, clique aqui.

Em Pernambuco a Presidente da SBGC – PE, Maria de Fátima Torres, em parceria com o IEL-PE.  viabilizará a transmissão no auditório da FIEPE – primeiro andar .

[Dicas] Conheça as dez dicas mais populares de todo o ano de 2008


10mais_generico_150De TV digital na parabólica a ajustes no Windows para o PC trabalhar mais rápido, confira as dicas:

1- Dá para captar o sinal da TV digital utilizando antena parabólica?
Saiba o que é preciso para não só sintonizar o sinal digital de TV, mas assistí- lo em alta definição.

2- Ajustes simples para fazer um PC com Windows dar boot mais rápido
Se você acha que o computador demora muito para ligar, pode ser que ele esteja fazendo coisas demais; veja como resolver isso.

3- Aprenda a baixar vídeos do YouTube
Faça o download de seus vídeos favoritos do YouTube e assista no computador a hora que quiser.

4- Seis dicas para resolver problemas e obter uma conexão web mais rápida
Um guia para ajudar você a descobrir se está pagando por um serviço de banda larga e recebendo outro, de qualidade inferior.

5- Dicas para comprar um notebook
O que levar em conta antes de comprar e mais 14 sugestões de portáteis para você escolher.

6- O que você precisa saber sobre formatação de HDs e recuperação de dados
Entenda as diferenças entre formatação física e lógica, sistemas de arquivos e como trazer de volta dados que estavam no disco apagado.

7- Como tirar o máximo proveito da bateria do notebook e do celular
Não deixe que ela se ‘vicie’ durante o procedimento de recarga e melhore a sua autonomia configurando corretamente os aplicativos.

8- Dezoito recursos que o Windows deveria ter, mas não tem
Algumas das funções mais bacanas para um sistema operacional não podem ser encontradas no Windows XP nem no Vista.

9- Windows em um memory key
Aprenda a transformar seu pen drive em um “disco de boot” para o sistema operacional Windows XP

10- Como trocar de HD sem perder os dados nem o sistema operacional
Basta contar com a preciosa ajuda de utilitários que clonam facilmente o conteúdo de um disco para outro, byte por byte.

[Dicas] Acesse a rede da empresa pela web


dicasCrie uma VPN com software livre e tenha acesso aos dados do servidor pela internet.

O que fazer quando você está fora do escritório e precisa acessar (com segurança) um documento ou planilha que está armazenada no servidor? Uma das soluções e a VPN (Virtual Private Network). Basicamente, ela é um conjunto de ferramentas – que podem combinar recursos de software e hardware – para criar uma forma segura de se conectar a uma rede utilizando um meio inseguro – a internet.

No entanto, ela exige conhecer informações específicas da rede em questão, como os endereços IP dos servidores DNS, portas de comunicação e estratégias de segurança, informações estas que são de conhecimento do administrador da rede.

Soluções VPN pagas integram um grande número enorme de funcionalidades que na maior parte das vezes são desnecessárias para uma empresa de pequeno porte. Felizmente, é possível encontrar soluções muito boas e gratuitas. É o caso da OpenVPN, distribuída com licenciamento GNU, e que possibilita, entre outras coisas, configuração de acesso remoto à rede e recursos de segurança adicional para acesso por meio de redes Wi-Fi. A solução está disponível para servidores Linux e Windows e também roda no ambiente Mac OS X. [Leia mais]