Projeto Delta de Bem inicia suas atividades em Parnaíba


Trinta crianças e pré-adolescentes da comunidade Barro Vermelho, litoral piauiense, por meio de uma ação dos empresários que compõe o Delta TIC’S Polo Tecnológico, passaram a ser beneficiadas por atividades do Delta de Bem Projeto Social, que tem como foco, o empreendedorismo social e a inovação.
O Delta TIC’S Polo Tecnológico é um projeto que tem a parceria da Prefeitura de Parnaíba com o Governo do Estado, além do apoio da ATI (Agência de Tecnologia da Informação do Estado) e da FAPEPI (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí). O espaço é voltado para a promoção tecnológica, inovação e ciência. O Polo de Desenvolvimento Tecnológico de Parnaíba funciona no Dunnas Shopping.
Paulo César Coutinho, a representante dos empresários do Polo, Valeska Menezes e Flammarion Cysneiros
E, o Projeto “Delta de Bem” é uma idealização dos empresários Paulo César Coutinho e Flammarion Cysneiros, da cidade de Recife, que utilizam a metodologia code.org para formar programadores em comunidades carentes. A meta é que as parcerias a serem desenvolvidas no polo sejam transformadas em ações reais e de benefício à população.
Dando continuidade ao trabalho, foi inaugurada na noite da última quinta-feira (03/06), em uma das salas do Polo Tecnológico, o espaço do Projeto Delta de Bem. Na ocasião, as crianças beneficiadas, empresários, representantes do Sebrae, regional Parnaíba, o prefeito Florentino Neto e a secretária de Desenvolvimento Social, Flaviana Veras, participaram da inauguração da sala onde funcionará atividades ligadas ao trabalho social.
Um dos empresários responsável pelo Delta de Bem, Flammarion Cysneiros, ressaltou que qualquer projeto que trabalhe os quatro pilares: educação, empresas, governo e o social, há todas as possibilidades de dar certo. Trata-se de uma metodologia inovadora, onde a cidade de Parnaíba é pioneira.
O prefeito Florentino Neto disse o Polo Tecnológico se destaca em suas ações, já que agora além das atividades já existentes, já que as empresas que compõe o polo estão cumprindo a sua função social, onde as crianças terão um espaço para desenvolver suas atividades.
As trinta crianças que participarão de todas as atividades do Projeto de Bem foram levadas para uma visitação no Campeonato de Robótica que aconteceu no prédio da Faculdade Maurício de Nassau.

Por Tacyane Machado

Fonte: Extra Parnaíba

Caso de Sucesso: Sonda Procwork reforça negócio de terceirização


Sonda Procwork

Aposta da companhia é oferecer equipamentos sob demanda.

No filme de 1999 “Piratas do Vale do Silício”, que conta a história da criação da Microsoft e da Apple, uma sequência chama a atenção. Ao oferecer à gigante IBM o sistema operacional que havia desenvolvido na recém-criada Microsoft, Bill Gates escuta de um executivo: tudo bem, afinal o dinheiro não está no software, e sim no equipamento.

Os anos seguintes mostraram o quanto a afirmação estava equivocada, mas não tiraram da venda de equipamentos seu valor. No mercado de tecnologia da informação atual eles podem não ser mais as grandes estrelas, mas se tornaram a porta de entrada para a oferta de software e serviços.

É nesse conceito que a Sonda Procwork está apostando suas fichas. A companhia está investindo US$ 4 milhões no fortalecimento da área responsável pela terceirização de equipamentos de tecnologia, modalidade também conhecida como hardware como serviço, ou HaaS. Em vez de comprar os equipamentos, o cliente paga uma mensalidade pelo seu uso. “É um termo da moda, mas é um conceito sem volta”, diz Carlos Henrique Testolini, executivo-chefe da Sonda Procwork.

Ter uma oferta que começa em equipamentos e pode ser complementada por software e serviços é estratégico pois estimula a assinatura de contratos de longo prazo com os clientes, o que garante um fluxo de receita contínuo. De acordo com Testolini, no Chile a Sonda tem contratos de até 15 anos. No Brasil eles ainda estão na faixa dos três a cinco anos.

Computadores, servidores, impressoras e qualquer outro tipo de equipamento podem ser terceirizados com o pagamento feito apenas pelos recursos usados. Assim como no mundo do software como serviço, o cliente troca um custo fixo por outro variável. A atividade é um dos principais focos da Sonda no Chile. No Brasil, a empresa já terceirizou 3 mil equipamentos – um dos clientes é a rede McDonald’s. Na avaliação de Testolini, metade dos clientes da empresa adotarão o modelo nos próximos dois anos. “Depois vem o movimento de manada”, diz.

O centro da atividade ficará em um andar do prédio que a empresa está construindo no município de Santana de Paranaíba, região metropolitana de São Paulo, mas estoques avançados de equipamentos ficarão disponíveis nas unidades da empresa em 13 Estados.

O passo seguinte, avalia o executivo, é a evolução para a terceirização de processos de negócios como folha de pagamento e gestão de recursos humanos, conhecida como BPO (do inglês “business process outsourcing”). “As empresas estão começando a experimentar o modelo internamente com a criação dos centros de serviços compartilhados. O próximo passo será entregar isso para outra empresa”, diz Testolini.

A Procwork caminhava no sentido de se tornar uma fornecedora de serviços de TI quando foi vendida para a chilena Sonda em 2007. A aquisição, de R$ 230 milhões acelerou, o crescimento das atividades de serviços. De 2006 a 2008, o número de clientes no Brasil passou de 300 para 800 e o faturamento subiu de R$ 257 milhões para R$ 482 milhões. A atividade brasileira foi responsável por 43% do faturamento de US$ 650 milhões da Sonda no ano passado. “Queremos ser uma alternativa regional às grandes companhias de tecnologia e a escala é muito importante nesse processo”, diz Testolini, referindo-se à competição com IBM, Hewlett-Packard (HP) e Accenture.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, a Sonda Procwork tem crescido a cada ano com uma inovação de processo e modelo de negócio que vêm dando certo. Cada vez mais a TI tem sido tratada como commodities devido ao alto grau de inovação tecnológica do setor.

”A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, sinaliza o interesse em firmar parceria com Sonda Procwork para prover e disseminar soluções a baixo custo voltada para as  empresas do Nordeste do Brasil”.

Mais informações sobre Tecnologia da Informação
  1. Teclado comum X tela de toque, a inovação tem nome: “touchscreen”
  2. Números, pesquisas e estatísticas do mercado de tecnologia da informação.
  3. Boleto digital: bancos brasileiros investem R$ 77 milhões em projeto
  4. HTML 5 ameaça padrões web como Flash e Silverlight, dizem especialistas
  5. Tecnologia da informação pode acelerar implantação de projetos habitacionais
  6. IBM investirá US$ 100 milhões em pesquisa de tecnologias móveis
  7. Área de risco será foco dos investimentos em TI no setor financeiro
  8. Projetos de Tecnologia E-Gov
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

Resultado da Primeira fase do PRIME Pernambuco seleciona 79 empresas


prime

 

Foram divulgados, na última sexta-feira, os pré-selecionados em Pernambuco para o programa Primeira Empresa Inovadora (PRIME), iniciativa da FINEP que oferece subvenção não-reembolsável de R$ 120 mil para empresas nascentes inovadoras. Dos 135 inscritos, 79 foram selecionados – um a menos do que o programa permitia. “O pré-requisito era que o projeto obtivesse nota superior a seis, o que apenas esses conseguiram”, explica o coodenador do programa, Eiran Simis.

Segundo ele, a falta de leitura atenta do edital elimina muitos candidatos que deixam de cumprir pontos importantes. Apesar da seleção focar no Estado, operada localmente pelo Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR), apenas 50% dos pré-selecionados são de Pernambuco. Entre eles, estão a empresa de design e tecnologia Quarta Dimensão e a empresa de reuso de software do CESAR, Rise.

Também se destacaram com as melhores notas três empresas da Incubadora Temática de Base Tecnológica de Empresas em Agronegócios da UFRPE (Incubatec Rural). De acordo com Simis, a próxima fase é uma capacitação com um representante de cada empresa e a terceira é a submissão de um plano de negócios mais detalhado para a seleção final.

logomarca Web360GrausA WEB360Graus é case de inovação para o setor da saúde, no desenvolvimento de sistema de business inteligence que permite a redução de custos de internação home care, focados em auditoria médica.

Confira os pré-selecionados em: www.primepe.com.br

Seminário: Clientes e pessoas são o foco da gestão da Brasal


Brasal

Há  dez  anos,  a  busca  pela  excelência  na  gestão  dos  negócios  norteia  os  trabalhos  da  Brasal Refrigerantes,  que  tem  alcançado  reconhecimento  nacional.  O  resultado  deste  trabalho  pode  ser  comprovado  em  números.  O  market  share  de  valor  da  empresa  passou  de  62,9%  em  2001  para  79%  em  2008.  O  faturamento  bruto  da  empresa  cresceu  mais  de  51%,  passando  de  R$  288  milhões  em  2005,  para  R$  436  milhões,  em  2007.  Renato Barbosa, diretor geral da Brasal Refrigerantes, destaque no critério Clientes no Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) 2008, foi um dos palestrantes do 17º Seminário Internacional em Busca da Excelência, promovido dia 20 de maio pela FNQ.

“Nossos  indicadores  econômicos  são  os  melhores  do  Brasil,  mesmo  em  comparação  com  outras  empresas  fabricantes  de  Coca-Cola  do  mundo  todo.  A  gente  consegue,  por  meio  da participação no PNQ  e  do  Modelo de Excelência da Gestão® (MEG),  transmitir  para  a  organização  inteira  o  aspecto  motivacional  pelo  aperfeiçoamento  da  gestão”,  explicou  Barbosa.

No  relacionamento  com  os  clientes  e  o  mercado,  a  Brasal  é  totalmente  focada  no  desenvolvimento  de  relações  de  parceria.  Adota  vários  programas  para  ajudar  a  identificar,  analisar  e  compreender  as  necessidades  dos  clientes.  Entre  eles,  as  “visitas  ao  mercado”,  que  consistem  em  pesquisar  as  necessidades  dos  clientes,  as  novas  tendências  de  mercado  e  dar  um  feedback  sobre  as  atividades  de  comercialização  e  distribuição. 

Pessoas e sustentabilidade

De acordo com o diretor, a organização acredita que a chave do êxito são as pessoas, pois são elas que criam, implementam, movem acompanham e aperfeiçoam todos os processos. “Para receber uma promoção, os funcionários têm de passar por treinamentos e, ao final do curso, há uma prova escrita. O resultado dos testes, somado ao atingimento das metas, permite que o funcionário seja promovido. A empregabilidade depende dessa equação”.

O  Centro  de  Negócios é  um  espaço  de  capacitação  onde,  diariamente,  são  recebidos  clientes,  convidados  pelos  coordenadores  de  vendas,  para  um  treinamento  em  técnicas  de  vendas  no  varejo,  além  de  uma  visita  a  um  ambiente  cenográfico,  representando  quatro  canais  de  mercado:  bar,  padaria,  mercado  e  loja  de  conveniência. 

Segundo Barbosa, o conceito de sustentabilidade pode ser definido como a capacidade de desenvolver a atividade econômica, atendendo às necessidades da geração atual sem comprometer as gerações futuras. “Envolve temas como o uso racional dos recursos naturais, reciclagem, ética e cidadania, entre outros. A Brasal tem consciência da importância de se aprofundar no compromisso com as práticas sustentáveis. Por isso, atua junto aos órgãos governamentais, com propósito de atender os requisitos legais vigentes relacionados à responsabilidade sócio-ambiental”, finalizou o diretor.