Entenda como uma incubadora vai ajudar sua Startup a decolar


o-modelo-cerne

 

Segundo uma  pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral no final do ano passado, um quarto das startups brasileiras não aguentam a pressão do primeiro ano de vida e fecham as portas por ali mesmo — seja por causa de desavença entre os sócios, volume de capital investido ou até local de instalação.

Do restante que sobra, 25% acaba batendo as botas em menos de 4 anos. No entanto, um fato interessante levantado por essa mesma pesquisa é que boa parte das empresas que conseguem se manter de pé, dão conta do recado por causa da ajuda de algum tipo de incubadora de startups.

Responsáveis por dar uma mão para as empresas recém-criadas, as incubadoras conseguem reduzir em até 3 vezes as chances de uma startup afundar logo no começo da corrida. Mas você sabe o que mais uma incubadora é capaz de fazer? Então confira meu post!

Por dentro das incubadoras de startups

Diferente daquela incubadora da série Silicon Valley, as do mundo real não são locais de festas recheadas de pessoas malucas. Mantidas por instituições públicas ou privadas, as incubadoras são organizações capazes de auxiliar as empresas em vários aspectos comerciais importantes, como:

  • Descobrir qual o melhor modelo de negócios para o projeto;
  • Gerar um network interessante para os negócios;
  • Criar um plano de negócios consistente;
  • Criar um plano de marketing (inclusive o digital) também consistente;
  • Desenvolver a noção contábil da startup;
  • Treinar o lado empresarial dos sócios;
  • Ajudar a encontrar algum investidor para o projeto;

Quem pode participar de uma incubadora

Qualquer pessoa ou empresa pode entrar em uma incubadora, desde que tenha em mãos a ideia de um produto que seja inovador. Para avaliar isso, as incubadoras costumam ficar de olho em alguns pontos dos projetos:

  • Aquele projeto da startup deve ser realmente inovador em algum aspecto;
  • O produto precisa ser viável para o mercado;
  • Quem for cuidar da startup precisa de uma boa qualificação técnica;
  • Deve existir um mínimo de capital inicial para bancar o começo do projeto;
  • O projeto precisa ter a ver com a filosofia daquela incubadora.

Quais são os objetivos de uma incubadora de startups

Bem, talvez você esteja se perguntando: porque uma incubadora ajudaria no nascimento de outras empresas sem lucrar nada (ou quase nada) com isso? A resposta é simples: ela lucra, mas nem sempre é diretamente.

Por estarem bastante ligadas à instituições de ensino, causas sociais ou programas do governo (como o Sebrae), as incubadoras, ao desenvolver o surgimento de tecnologias e novos mercados no país, ajudam a aumentar não só o número de empregos como a qualidade do que é produzido no Brasil.

Responsável por ajudar aqueles que estão começando no mundo do empreendedorismo (ou até alguns veteranos que precisam de uma forcinha em novos projetos), a incubadora de startups é uma verdadeira mão na roda para qualquer empresa que esteja começando a andar. Por isso, mais do que uma bela parceira, ela pode também ser a salvadora de muitos projetos futuros.

Espero que você tenha tirado suas dúvidas e aprendido um pouco mais sobre as incubadoras por aqui, mas se tiver alguma pergunta ou quiser acrescentar mais alguma coisa, basta usar a nossa caixa de comentários! Ah, e não se esqueça de conferir os nossos outros posts no nosso blog.

Fonte: http://www.guiaempreendedor.com

Serviço:

Consultoria para Incubadoras e Aceleradoras e Startups – www.cysneiros.com.brr

Anúncios

Mercado de Consultoria, inovação e oportunidades.


como-ser-um-consultor

O segmento de consultoria cresce na medida que a turbulência e incertezas de mercado avanças. Esse  cenário econômico turbulento abra espaço para o profissional consultor.
— É um mercado atrativo para os jovens, que buscam uma independência financeira e horários flexíveis.

Segundo a IBCO, em 2015, segundo a pesquisa Perfil da Consultoria no Brasil 2015, respondida por 939 consultores de todo o país, os setores mais atendidos pelos serviços de consultoria são: Comércio (57%), Indústria (56%), Micro e Pequenas Empresas (52%), Empresa Familiar (49%) e Serviços (48%). Ainda segundo a pesquisa, os consultores com graduação, MBA’s e especialização são 71,5%. Já os que têm mestrado e doutorado são 28,5%.

 

Quer saber mais sobre como se tornar um consultor deixe seu e-mail: http://bit.ly/QueroSerUmConsultor

Sebraetec ajuda a melhorar a produtividade da sua empresa


Conheça as ações contempladas pelo Sebraetec na área de Produtividade.

Ainda hoje existem empresários que acreditam que quanto mais sua empresa produzir, melhor ela está.

Para ajudar o empresário a superar esta crença, e aumentar o seu lucro, oferecemos o Sebraetec Produtividade.

A iniciativa parte do princípio de que uma empresa deve, antes de qualquer coisa, ser eficiente. Fazer mais com menos é o lema do empresário moderno, não importa o segmento: indústria, comércio, serviço ou agronegócio.

O Sebraetec possui um conjunto de serviços para auxiliar a sua empresa neste desafio. Entre esses serviços, estão:

  • Orientação para melhoria do planejamento e controle de produção;
  • Apoio na alteração do layout (indústria e comércio);
  • Adequação de estoque;
  • Aplicação de técnicas de logística e distribuição;
  • Avaliação das condições para exportação/importação de produtos.

http://tv.sebrae.com.br/media/player/2251/

Sua empresa precisa de consultoria tecnológica?

Flammarion CysneirosEmpresas de qualquer segmento podem se beneficiar do programa.

Ao receber uma demanda da micro e pequena empresa, o Sebrae solicita aos prestadores de serviços cadastrados propostas de plano de trabalho para realizar projetos de inovação e incremento tecnológico desta empresa.

Cadastre-se: www.cysneiros.com.br

A Copa do Mundo em 2014 e os bons negócios


O maior evento do futebol vai movimentar vários setores da economia e gerar oportunidades para pequenas empresas. Os preparativos para o evento devem movimentar cerca de 30 bilhões de reais e gerar quatro milhões de empregos, segundo o SEBRAE.

O programa prevê a construção de estádios, hotéis, restaurantes e apoio logístico para receber milhares de turistas que torcem e vibram com o futebol. Um estudo encomendado pelo SEBRAE mostra os benefícios que o evento traz para a economia brasileira. Quase oito mil micros e pequenas empresas devem fechar algum negócio gerado pela Copa do Mundo. As possibilidades são mais fortes em nove setores: construção civil, tecnologia da informação, turismo, produção, agronegócio, madeira e móveis, têxtil-confecção, comércio varejista e serviços.

Segundo o estudo, as pequenas empresas deverão ficar com 15% do dinheiro investido na Copa. E, segundo informações do novo presidente do SEBRAE, Luiz Barretto,  estão sendo mapeadas as possibilidades de cada setor. Além disso, o SEBRAE vai promover seminários empresariais em cada uma das 12 cidades-sede da Copa: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife e Salvador. O objetivo é melhorar o nível de gestão das pequenas empresas.

Para isso o SEBRAE vai investir 48 milhões de reais. De acordo com Luiz Barretto, presidente do SEBRAE, o importante é inserir as pequenas empresas nesse contexto, com qualidade e competitividade. Só no ano da Copa, o país espera receber oito milhões de visitantes, sendo 600 mil apenas no mês do mundial. O número de brasileiros que deve viajar pelo país durante o evento esportivo deve chegar a três milhões.

Só o setor hoteleiro pretende investir dois bilhões e meio de reais na construção de noventa e dois estabelecimentos. Um programa vai qualificar mil e trezentos hotéis e pousadas para 2014. É neste ramo que o empresário Francisco Castro Júnior deseja entrar. Ele é dono de uma pequena construtora em Brasília. A empresa dele tem 18 anos de mercado e no momento constrói casas populares. O empresário deve aumentar em 50% o faturamento da empresa com a Copa do Mundo. E para resolver o problema das construtoras com a falta de mão-de-obra qualificada, o SEBRAE, o SENAI e as empresas do setor fizeram uma parceria para capacitar e reciclar os funcionários.

O SEBRAE também vai desenvolver ações para que os estrangeiros visitem várias cidades com atrações turísticas, durante a Copa de 2014.

CONTATOS:

SEBRAE

Central de Relacionamento: 0800-570-0800

www.sebrae.com.br

Consultorias:

ICOMUNI CONSULTORIA.

Tel.: (81) 3445.2956

Rua Helena de Lemos, 330, Sala 103, Empresarial Ilha do Retiro

CEP: 50750-630 – Recife – PE

icomuni@icomuni.com.br

====

CYSNEIROS E CONSULTORES ASSOCIADOS LTDA.

Tel.: (81) 3051-1775/ Cel.: (81) 9916-9550

Rua Mauro Borrione, 55, 03

CEP: 50750-000 – Recife – PE

flammarion@cysneiros.com.br

======= Contact  Center =======

PLATAFORM TELECOM CONTACT CENTER

Tel.: (81) 3051-1775

Porto Digital – Recife – PE

comercial@plataform.com.br

======= Incubadora de Empresas =======

INCUBATIC – Incubadora de Base Tecnológica de Inovação e Conhecimento

Tel.: (81) 3051-1775

Porto Digital – Recife – PE

incubatic@icomuni.com.br

======

DRAKAR ENGENHARIA LTDA

Empresário: Francisco Castro Jr.

Tel.: (61) 3361.8099/ Cel.: (61) 9982.1346

SIA Sul Quadra 5 C , número 135 – sala 206

CEP: 71200-055 – Brasília – DF

drakarjr@ig.com.br

Reportagem:

Pequenas Empresas Grandes Negócios

  • Programa 966
  • TV Globo
  • No ar – Inédito – Domingo – Dia 06/03/2011 – 07h30

Reapresentações

Globo News

  • Domingo – 06/03/2011 – 09h05

Canal Futura

  • Segunda-feira – Dia 07/03/2011 – 07h30
  • Terça-feira – Dia 08/03/2011- 04h00

Sebraetec lança edital para empresas de consultoria


 

Com o intuito de facilitar o acesso das pequenas empresas aos serviços tecnológicos, visando a melhoria de sua capacidade competitiva, o Sebrae criou em 1982 o Programa Sebraetec (Serviços em Inovação e Tecnologia). No próximo dia 20 de janeiro, será lançado um edital, no site do Sebrae Alagoas, para selecionar empresas prestadoras de serviços de consultoria tecnológica, que possam atender às demandas existentes. O objetivo é que estas empresas, em 2011, atendam 1300 MPE do estado de Alagoas.

O edital é válido para empresas de consultoria de Alagoas, Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia. Para participar é necessário ter CNPJ, Certidão Negativa, Contrato Social, Atestado de Capacidade Técnica, entre outros quesitos divulgados no edital.

O Sebraetec serve de elo entre as empresas de consultorias e os empresários, disponibilizando de 50% a 80% dos custos que o empresário teria com as empresas consultoras. “Como o serviço de consultoria tem um custo elevado, o Sebraetec aparece para ajudar à micro e pequena empresa, que precisa desses serviços, mas não tem como custear. Entre 50% a 80% dos recursos são disponibilizados pelo Sebraetec e o restante fica para os empresários”, disse a analista da Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia, Silvia Chamusca.

A Rede Metrológica de Alagoas (Rmal) já faz parte do Sebraetec há 2 anos, prestando consultoria para as empresas. A rede atende cerca de 90 empresas por ano. Segundo a secretária executiva da Rmal, Norma Acioli, o Sebraetec contribui para que a rede cumpra sua missão. “Nós já somos um parceiro do Sebrae e através do Sebraetec nós difundimos todas as ferramentas do TIB – Tecnologia Industrial Básica para as empresas, o que contribui para o cumprimento de nossa missão”, disse ela.

Já o empresário Afrânio Lages, da Aeroturismo, buscou o programa para melhorar o atendimento interno da sua empresa. Segundo ele, com as consultorias, os resultados melhoraram rapidamente. “Já notamos uma grande melhoria na nossa empresa, mudando a forma de atendimento, nós mudamos outras estruturas internas o que agregou valor à nossa gestão”, disse ele.

Ainda segundo Afrânio, o Sebraetec oferece boas oportunidades para o empresário das MPE. “É muito importante esse incentivo que o programa dá ao diminuir o custo que teríamos com uma empresa de consultoria. Nós melhoramos nossa estrutura, melhoramos o nosso atendimento e assim acabamos melhorando nossos serviços e aumentando nossos lucros”, completou.

Entre as áreas de conhecimento selecionadas no edital são Planejamento Empresarial, Gestão de Produção, Gestão de Qualidade – Adequação dos critérios de excelência da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Propriedade Intelectual, Gestão Ambiental, Adequação à Legislação Ambiental, Eficiência Energética, Segurança Alimentar, Produção Integrada, TIB – Tecnologia Industrial Básica, Design e Prospecção Tecnológica.

Sebraetec

O Sebraetec atende às micro e pequenas empresas dos setores do comércio, serviços, agronegócios e indústria com faturamento anual inferior a R$2,4 milhões. O projeto será ampliado em 2011 e pretende atender, em todo Brasil, 48 mil empreendimentos. Para isso, só neste ano, serão investidos cerca de R$ 85 milhões em projetos que busquem ampliar estes pequenos negócios, promovendo mais competitividade e sustentabilidade.

Ao todo, o projeto que vai de 2011 a 2013, tem um orçamento de R$ 787 milhões. Mais informações pelo 82 4009-1751 ou no site http://www.al.sebrae.com.br.

Fonte: Sebrae/AL

PRIME: Programa Primeira Empresa Inovadora


subvencao
Nove empresas alagoanas, sendo sete da área de tecnologia da informação, tiveram seus projetos aprovados no Programa Primeira Empresa Inovadora. Além de oferecer curso de capacitação para o aprimoramento dos planos de negócios apresentados pelas empresas, a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), que coordena essa ação, disponibilizará uma verba não reembolsável no valor de R$ 120 mil para a contratação de novos funcionários e para a execução dos projetos.

O Programa Prime, é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia e visa apoiar as empresas que desenvolvem produtos e soluções inovadores na área de tecnologia. Os projetos são acolhidos pela fundação Parque Tecnológico da Paraíba, onde os gestores irão cumprir parte da carga horária do curso de capacitação.

O curso funcionará como guia para os gestores, que serão qualificados a colocar em prática seus projetos de trabalho. As aulas terão início em setembro e serão ministradas por profissionais reconhecidos na área de inovação tecnológica.

Para o gestor do Arranjo Produtivo Local Tecnologia da Informação (APL-TI) pela Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan), Sacha Passos, a importância da iniciativa consiste na geração de emprego e na diminuição de importação de serviços tecnológicos para Alagoas. “Já de início, cada empresa deve contratar pelo menos quatro novos funcionários, entre gestores de negócios e consultores, melhorando assim a qualidade dos serviços e suprindo as demandas nessa área que ainda é precária no Etado”, disse.

Consultoria para as Empresas Inovadoras

Empresa de consultoria especializada como a Icomuni Consultoria participa do Programa Primeira Empresa Inovadora (PRIME) oferecendo consultoria para novos empreendimentos que desejam submeter projetos de inovação tecnológica ao PRIME. Atualmente a empresa está disponibilizando esse tipo de serviço para a recente e inovadora Web360Graus, que está no mercado com o desenvolvimento de sistemas embarcados e mobile de Auditoria médica para o Arranjo Produtivo Local (APL) de Saúde. O outro empreendimento que está sendo assessorado, também pela Icomuni, é a Lupa Tecnologia e Soluções Inovadoras, voltada para desenvolvimento de sistemas GPS integrados com API do Google Maps. A empresa especializada em Educação a Mídias Educativas, assessorada pela ICOMUNI, também foi aprovada n aprimeira fase do programa.

flammarion-cysneiros-consultoria-em-inovacao-prime-finep

Para o diretor da empresa Icomuni Consultoria e consultor credenciado do SEBRAE/PE, Flammarion Cysneiros, a importância de está fazendo parte desse processo de seleção apoiando as novas empresas é fundamental para o crescimento econômico do Estado e melhora na competitividade de mercado. “Atualmente estamos oferecendo para as empresas, serviços de pré-incubação e de consultoria para participação de editais de fomento e inovação, como por exemplo: legalização de empresa, elaboração da proposta simplificada para o PRIME, consultoria para participação em outros editais de fomento, articulação com steakholders (planejamento estratégico) da rede de inovação e incubadoras, dentre outros serviços”, explica.

O PRIME foi lançado este ano pela Financiadora de Estudos e Projetos do Governo Federal (Finep), com o objetivo de apoiar e desenvolver recentes empresas inovadoras. Em Pernambuco oitenta empresas que possuem serviços e produtos de alto teor de inovação vão ser beneficiadas através de recursos no valor de R$120.000 por empresa.

A proposta para participar deste programa deve ser enviada até o dia 30 deste mês. Desta forma, a Icomuni Consultoria continua assessorando as empresas que desejam participar deste projeto e precisam de apoio na elaboração e entrega dos materiais necessários.

Serviço:
Icomuni Consultoria: (81) 3445-2956
E-mail: icomuni@icomuni.com.br

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, as empresas que foram contempladas na primeira fase do PRIME, devem se dedicar ao curso de Capacitação em Projetos e Plano de Negócios, para a etapa final de seleçaõ que será a proposta detalhada. É importante salientar que o modelo de negócios será fundamental para o sucesso a seleção. ”

A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, sinaliza que em breve estará divulgando a nova data do PLANTÃO PRIME, que fornece consultoria individualizada de 1 hora, para cada empresa, por meio de um pré-agendamento.

Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

Sebrae presta consultoria e acompanhamento gratuito a pequenas empresas


sebrae_primeirospassos01

Um dos desafios de quem está desempregado é conquistar uma vaga no mercado de trabalho. Já para quem é patrão, o desafio é se manter no mercado. De acordo com o Sebrae, muitos comércios, pequenas e microempresas fecham as portas pouco depois de iniciar as atividades.

Mas existe um programa do Sebrae que pode ajudar o comerciante ou empresário a não cair em ruínas. Quem explica é a gestora de Orientação Empresarial da entidade, Conceição Morais.

De acordo com ela, o programa Primeiros Passos presta uma consultoria coletiva para empresários com até dois anos de negócio, ao custo inicial de R$ 150. Depois, especialistas do Sebrae acompanham a empresa durante seis meses gratuitamente. “Nesse tempo, os comerciantes podem participar dos treinamentos que a gente oferece”, explica.

Ela diz que o primeiro dos erros combatidos pelo projeto é relativo ao planejamento financeiro das empresas. “Muitas vezes, as pessoas abrem um empreendimento, mas não vislumbram recursos necessários para sustentar ao negócio enquanto ele se firma no mercado”.

Nos primeiros dois anos, a atenção deve ser voltada principalmente para a gestão financeira do negócio. “É preciso acompanhar o capital de giro, o estoque, o que tem a receber dos clientes”, diz a gestora. “Além disso, os clientes ainda não conhecem a empresa, então é preciso divulgar o empreendimento”.

No caso de empréstimos, mais recomendações. “A pessoa precisa saber se o dinheiro vai ser suficiente, porque muitas vezes é uma armadilha. Tem que ter cuidado com juros e prazos de pagamento”, lembra Conceição.

Se as vendas estiverem fracas, não precisa se desesperar. “O comerciante deve rever se está de fato a atender o cliente ao qual ele se dispõe”, explica a gerente do Sebrae. “Ele pode estar sem o produto certo para o público dele, ou o ponto comercial pode não ser ideal para atividade. Podem ser problemas também de estratégia ou na arrumação da loja. Tudo isso é parte da perspectiva de comercialização”.