Edital SENAI SESI de Inovação (Aeronáutica e Saúde)


Foi prorrogado até 30 de janeiro de 2017 o prazo para empresas inscreverem projetos de protótipos ou estudos de viabilidade técnica; serão selecionadas dez propostas com investimento total de R$ 2 milhões.

Empresas do setor aeronáutico interessadas em obter financiamento para ideias de protótipos conceituais ou estudos de viabilidade técnica têm até 30 de janeiro de 2017 para inscrever projetos no Edital SENAI SESI de Inovação. Foi prorrogado o prazo para a inscrição que terminaria em 30 de novembro. O desafio foi lançado pela agência de inovação sueca Vinnova, com investimento de R$ 2 milhões.

Serão selecionadas dez ideias em áreas tecnológicas como sistemas inteligentes de bordo e tráfego aéreo. Cada projeto receberá R$ 100 mil aportados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) aos integrantes brasileiros da equipe e R$ 100 mil pela agência aos membros suecos. As propostas têm de ser apresentadas em inglês. Os protótipos serão desenvolvidos entre julho de 2017 e julho de 2018. “O objetivo, neste primeiro momento, é encontrar parceiros e testar as suas ideias para verificar a viabilidade e impacto da inovação proposta”, explica o gerente-executivo de Inovação e Tecnologia do SENAI, Marcelo Prim.

DESAFIOS – Assim como a Vinnova, a aceleradora de empresas Techmall S.A e a Fundepar, gestora de um programa de investimentos para firmas emergentes, já apresentaram desafios específicos a pequenas empresas e startups por meio do Edital SENAI SESI de Inovação. Instituições interessadas podem apresentar propostas a qualquer momento. “Nosso objetivo é conectar empresas nascentes, principalmente as startups, a grandes indústrias e, assim, fortalecer as cadeias produtivas industriais no campo da inovação”, afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

A exigência é que a empresa invista no projeto selecionado, pelo menos, o mesmo volume aplicado pelo SENAI, com valor mínimo de R$ 75 mil. A instituição-âncora poderá, a seu critério, empregar quantias superiores. As empresas devem preencher o modelo de submissão de desafios constante no site do Edital. O documento também deve ser enviado para o email equipeinovacao@cni.or.br.

PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO – O Edital SENAI SESI de Inovação integra os esforços do Sistema Indústria para promover a cultura de inovação no país e aumentar a competitividade das empresas. Além de desafios específicos, o Edital também está recebendo propostas de empresas e startups interessadas em recursos para projetos de inovação tecnológica em diversas áreas. Em 20 de fevereiro de 2017 serão conhecidos os escolhidos do terceiro ciclo de seleção.

Neste ano, serão aportados R$ 23,6 milhões, a maior parte (R$ 20 milhões) executada pelo SENAI e o restante (R$ 3,6 milhões) pelo Serviço Social da Indústria (SESI). Nesse último caso, são financiadas iniciativas que reduzam riscos de doenças e de acidentes de trabalho na indústria.

Os projetos serão selecionados com base em critérios como o potencial de inovação e de comercialização do produto ou do processo. O edital prevê um bônus de 50 pontos para as seguintes startups inovadoras:

• As formadas a partir de projetos finalistas do INOVA SENAI Nacional a partir de 2015;
• As apoiadas por programas de aceleração do SENAI;
• As finalistas da fase 3 do programa Inovativa Brasil do MDIC a partir de 2014;
• As apoiadas pelo programa Startup Brasil do MCTI em 2016;
• As finalistas das edições do Lemonade de 2016;
• As vencedoras do ITA Challenge 2016;
• As selecionadas pelo SENAI no Open 100 Startups 2016.

Além do fomento, o SENAI oferece apoio na forma de infraestrutura. Uma rede nacional com 25 Institutos de Inovação realiza pesquisa tecnológica e desenvolve novos produtos e soluções diretamente com empresas de todos os portes. O SENAI conta ainda com 57 Institutos de Tecnologia, com 1.200 especialistas que prestam serviços em áreas como metrologia, testes de qualidade, consultoria em processos produtivos específicos de diferentes setores, entre outros. Desde a primeira edição, em 2004, até 2015, o Edital de Inovação recebeu 5.450 propostas. Ao todo, 686 projetos foram aprovados.

Categorias do edital para submissão de projetos
-Inovação tecnológica, para projetos de até R$ 400 mil
-Protótipos de inovação, para projetos de até R$ 150 mil
-Inovação em Saúde e Segurança no Trabalho e Promoção da Saúde, para projetos de até R$ 400 mil

Seleção das instituições-âncora
Instituições interessadas podem apresentar a qualquer momento desafios a serem resolvidos por pequenas empresas. Basta preencher o documento modelo de submissão no site do Edital. Após o preenchimento, o documento deve ser enviado para o email equipeinovacao@cni.or.br.

COMO FUNCIONA
– Quer saber mais sobre o Edital? Veja o passo a passo no site do programa.
Por Helayne Boaventura
Da Agência CNI de Notícias

 

Edital SENAI SESI de Inovação e Biominas Brasil selecionam projetos de startups na área de ciências da vida

Soluções em saúde humana, digital health, saúde animal, agronegócio e meio ambiente poderão receber até R$ 400 mil cada uma e apoio de rede de laboratórios. Inscrições estão abertas até 5 de fevereiro de 2017

Arte digital healthO Edital SENAI SESI de Inovação e a Biominas Brasil selecionam projetos apresentados por startups de base tecnológica de todo o país que apresentem soluções (produtos ou serviços) nas áreas de saúde humana, digital health, saúde animal/agronegócio e meio ambiente. Serão escolhidas 21 propostas, que poderão receber até R$ 400 mil cada uma. As inscrições estão abertas até 5 de fevereiro de 2017 e podem ser feitas pela internet. O anúncio dos selecionados ocorrerá em 22 de fevereiro.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) vai aportar até R$ 200 mil no projeto e o restante será aplicado por um parceiro investidor – grande empresa ou fundo de investimento – ligado à Biominas, instituição privada sem fins lucrativos, especializada em promover negócios de impacto em ciências da vida. O montante disponibilizado pelo SENAI é destinado ao custeio do desenvolvimento tecnológico necessário no projeto. Já o valor oferecido pelo parceiro investidor poderá ser destinado ao custeio da operação da startup e demais despesas estratégicas para o desenvolvimento do negócio, conforme as condições e termos em que a parceria for estabelecida.

O objetivo do desafio lançado pela Biominas Brasil em parceria com o Edital SENAI SESI de Inovação é conectar instituições âncoras e seus parceiros com startups de base tecnológica. As startups selecionadas participarão, inicialmente, do BioStartup Lab, programa de pré-aceleração que dura aproximadamente três meses, com atividades de capacitação, mentoria, acompanhamento e de avaliação, realizadas em Belo Horizonte. As startups estarão aptas as receber os recursos aos projetos inovadores desde que cumpram e compareçam a todas as atividades classificadas como obrigatórias pelo programa e pelas regras do Edital.

Para o gerente-executivo de Inovação e Tecnologia do SENAI, Marcelo Prim, o desafio é um mecanismo de aproximação de startups com a indústria, promovendo a construção de confiança técnica entre as partes, e, desta forma, o empreendedorismo industrial. “Ganha a indústria, pela agilidade com a qual a startup desenvolve ciclos de desenvolvimento e de aprendizado e ganha a startup, que tem acesso a problemas concretos da indústria e a um potencial mercado”, avalia. O coordenador do BioStartup Lab, Rafael Silva, também destaca que “o modelo desenhado é interessante pois diminui os riscos para o investimento nas startups, favorecendo o casamento entre investimentos privados e recursos de fomento”.

Além do fomento, o SENAI oferece apoio na forma de infraestrutura. Uma rede nacional com 25 Institutos de Inovação realiza pesquisa tecnológica e desenvolve novos produtos e soluções diretamente com empresas de todos os portes. O SENAI conta ainda com 57 Institutos de Tecnologia com 1,2 mil especialistas que prestam serviços em áreas como metrologia, testes de qualidade, consultoria em processos produtivos específicos de diferentes setores, entre outros. Desde a primeira edição, em 2004, até 2015, o Edital de Inovação recebeu 5.450 propostas. Ao todo, 686 projetos já foram aprovados.

DESAFIOS – A possibilidade de grandes empresas e instituições lançarem desafios específicos a serem solucionados por jovens empresas e startups é a grande novidade do Edital SENAI SESI de Inovação em 2016. Instituições interessadas podem apresentar propostas a qualquer momento. A exigência é que a empresa invista no projeto selecionado, pelo menos, o mesmo volume aplicado pelo SENAI, com valor mínimo de R$ 75 mil. A instituição-âncora poderá, a seu critério, empregar quantias superiores. As empresas devem preencher o modelo de submissão de desafios disponível no site do Edital. O documento também deve ser enviado para o email equipeinovacao@cni.or.br.

Além da Biominas Brasil, a agência de inovação sueca Vinnova, a aceleradora de empresas Techmall S.A e a Fundepar, gestora de um programa de investimentos para firmas emergentes, já apresentaram desafios específicos por meio do Edital SENAI SESI de Inovação. Com investimento de R$ 2 milhões, a Vinnova lançou desafio para empresas do setor aeronáutico. As inscrições vão até 30 de janeiro de 2017. Serão selecionadas dez ideias de protótipos conceituais ou estudos de viabilidade técnica em áreas tecnológicas como sistemas inteligentes de bordo e tráfego aéreo. Cada projeto receberá R$ 100 mil aportados pelo SENAI aos integrantes brasileiros da equipe e R$ 100 mil pela agência aos membros suecos.

SAIBA MAIS – Acesse o site do Edital SENAI SESI de Inovação para conhecer todos os detalhes de como participar.

Por Helayne Boaventura
Foto: Arquivo/CNI
Da Agência CNI de Notícias

Inovações para pessoas com deficiência terão R$ 10 milhões


Foto: Finep
Inovacoes-para-pessoas-com-deficiencia-terao-Rs-10-milhoes-.jpg

25/01/2010 – A FINEP acaba de lançar um edital para apoiar projetos de desenvolvimento de inovações para inclusão social de pessoas com deficência. Os R$ 10 milhões em recursos não reembolsáveis (que não precisam ser devolvidos) serão aplicados em tecnologias que tragam melhoria de vida e autonomia e que facilitem o diagnóstico precoce, tratamento, reabilitação e prevenção de deficiências física, auditiva, visual, intelectual e múltipla.

As propostas devem ser enviadas até 19 de março e devem trazer simplicidade e independência às atividades da vida diária desse público específico. Podem se candidatar, por exemplo, tecnologias inovadoras para promover a melhoria da acessibilidade aos serviços de transporte e instalações prediais, ou ainda para facilitar o uso dos meios de informação e comunicação, entre outras.

O executor do projeto deve ser uma instituição científica e tecnológica pública ou privada sem fins lucrativos, que pode ter outros parceiros e financiadores. O prazo de execução do projeto deverá ser de até 24 meses.

Dos recursos financeiros a serem concedidos, 30% deverão ser aplicados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Caso o valor total das propostas selecionadas para aprovação oriundas dessas regiões seja inferior a este percentual, os recursos não aplicados serão automaticamente transferidos às propostas com melhor classificação de outras regiões.
Fonte: Finep

Mais de 490 empresas gaúchas inscrevem-se no Inova RS


Inova RS

Total de solicitações superou dez vezes os recursos financeiros disponíveis para aplicação no programa. Edital, voltado para MPEs, irá destinar entre R$ 100 mil e R$ 500 mil por projeto.

Mais de 490 empresas do Rio Grande do Sul, de 21 setores, se inscreveram para o processo de seleção da Chamada Pública Inova Pequena Empresa prevista no edital Finep/Pappe 01/2009.

O total superou em dez vezes os recursos financeiros disponíveis, não-reembolsáveis, na ordem de R$ 13,3 milhões para os projetos de inovação tecnológica a serem implantados nos empreendimentos. A próxima etapa será a avaliação e seleção das propostas.

O Inova Pequena Empresa RS é uma ação conjunta da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (Sebrae/RS) e da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs/IEL). No ranking de inscrições, as micro e pequenas empresas que apresentaram maior número de propostas atuam nos setores de Comércio/Serviços (80), Meio Ambiente (48) e TI (48).

O período para participar do processo de subvenção econômica terminou no dia 2 de junho. “A inovação significa vitalidade para as micro e pequenas empresas e é essencial para a escalada da competitividade”, destaca o superintendente do Sebrae/RS, Marcelo Lopes. De acordo com ele, foram recebidas propostas de 86 municípios gaúchos.

A avaliação dos projetos será realizada em três etapas: pré-qualificação, avaliação de mérito e análise operacional. Poderá, ainda, ser requisitada uma apresentação presencial da proposta pelo proponente, a critério do Comitê de Avaliação, para obtenção de eventuais esclarecimentos que se fizerem necessários.

O valor do apoio é de no mínimo R$ 100 mil e de no máximo de R$ 500 mil, por projeto. Puderam apresentar proposta para a seleção na primeira Chamada, micro e pequenas empresas nacionais, estabelecidas no Rio Grande do Sul, registradas na Junta Comercial, e que apresentaram faturamento bruto anual de, no máximo, R$ 10,5 milhões no último exercício.

A divulgação dos resultados será feita a partir do dia 6 de julho, conforme previsto no cronograma da Chamada Pública. Para ficar a par dos resultados, os empreendedores podem acessar os seguintes sites: www.inovapers.com.br, www.sebrae-rs.com.br, www.fiergs.org.br ou www.ielrs.org.br.

Fonte: ASN

Veja também
Mais informações sobre INOVAÇÃO:
  1. Laboratório de nanotecnologia pesquisa plásticos biodegradáveis
  2. Tecpar investe R$ 14 milhões em reestruturação tecnológica
  3. Fundação Certi recebe R$ 6 mi para montar Centro de Referência
  4. Santa Catarina bate o martelo para a Inovação
  5. Resultado da Primeira fase do PRIME Pernambuco seleciona 79 empresas
  6. Inovação tecnológica terá linha de crédito com juro de 1% ao ano
  7. PROTEC lança livro que ensina a elaborar projetos de inovação
  8. Financiamento de R$ 200 mil a empresas inovadoras
  9. Sem inovação, Brasil corre risco de “apagão tecnológico”
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados