Parabéns a todos vencedores do Prêmio MPE Brasil 2014


Parabéns a todos vencedores do Prêmio MPE

Parabéns a todos vencedores e do Prêmio MPE
Foto de Flammarion Cysneiros Junior.
Foto de Flammarion Cysneiros Junior.
Foto de Flammarion Cysneiros Junior.

Prêmio MPE Brasil 2014

Foto de Flammarion Cysneiros Junior.
Foto de Flammarion Cysneiros Junior.

Parabéns a Silvana da Beco de Noronha pela premiação vencedora da categoria Turismo.

João Paulo de Lemos – atual presidente da ACIAG, acompanhou na noite da quarta-feira (12), um grupo de empresários gravataenses a capital pernambucana para a entrega do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas – MPE Brasil
Valéria De Fátima Lidiane Bezerra Flammarion Cysneiros Junior Lilian Lemos

Foto de Valéria e Você.
Foto de Valéria e Você.
Foto de Valéria e Você.
Foto de Valéria e Você.
Valéria e Você adicionou 6 novas fotos.

João Paulo de Lemos – atual presidente da ACIAG, acompanhou na noite da quarta-feira (12), um grupo de empresários gravataenses a capital pernambucana para a entrega do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas – MPE Brasil

Apresentação Meiry Lanunce – TV Globo

Foto de Valéria De Fátima.
 CRÉDITO: Blog Valeria e Você

Práticas de governança da CPFL Energia é tema do webcast desta quinta-feira


FNQ

A FNQ realiza no dia 18 de junho, das 9h às 11h, o webcast com a participação especial de Wilson Ferreira Jr, presidente da holding CPFL Energia, uma das vencedoras do Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) 2008. Ele abordará práticas de boa governança corporativa, baseadas nos princípios de transparência, eqüidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa, alinhadas com as melhores práticas existentes no Brasil e no exterior.
(evento gratuito e com vagas limitadas)

Faça a sua inscrição para assistir presencialmente
Atenção: Para assistir pela internet, basta clicar no banner do evento, no portal FNQ, no dia e hora divulgados.
Portal FNQ: http://www.fnq.org.br/

Próximos eventos FNQ:

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, os eventos promovidos pela FNQ contribuem para o aumento da excelência das empresas, e impulsionam a economia do País.

As vagas são limitadas, inscreva-se!

 

Veja também
Mais informações sobre eventos da FNQ:
  1. Pernambuco recebe seminário da FNQ  
  2. Últimas vagas para o Seminário Regional Em Busca da Excelência
  3. Como as organizações podem e devem se preparar para novos riscos sistêmicos
  4. Como a CPFL e Suzano enfrentam os riscos sistêmicos
  5. Visão sistêmica é essencial para lidar com riscos
  6. Pensamento Sistêmico pauta negócios da Natura
  7. Sustentabilidade é vetor de inovação para o Santander
  8. AES dissemina boas práticas de gestão
  9. Volvo estrutura seus processos com base no MEG
  10. Seminário: Clientes e pessoas são o foco da gestão da Brasal
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados
 

Como a CPFL e Suzano enfrentam os riscos sistêmicos


CPFL%202

As vencedoras do Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) 2008, CPFL Paulista e Suzano Papel e Celulose, foram as participantes do primeiro painel do 17º Seminário Internacional em Busca da Excelência, promovido pela FNQ no dia 21 de maio. Os respectivos presidentes das premiadas, Wilson Ferreira Júnior e Antonio Maciel Neto, participaram do painel sobre  liderança e estratégia em um ambiente de incertezas, mediado pelo jornalista Carlos Mello.

Ferreira e Maciel vêem no Modelo de Excelência da Gestão® (MEG) uma importante ferramenta para que as empresas passem pela crise econômica mundial e superem suas possíveis consequências. Para eles, organizações que focam na excelência da gestão atravessam momentos turbulentos de uma maneira menos impactante negativamente. “Essas empresas estão mais bem preparadas para enfrentar a crise. Acredito que as organizações que adotam o MEG sairão em melhores condições desta crise, perante aquelas que não o utilizam”, afirmou Maciel.

Para Ferreira, a crise é gigantesca e com um poder de contaminação global. “O sistema de gestão disseminado pela FNQ prepara melhor as organizações para encarar esta realidade. Elas se fundamentam muito mais em fatos e dados e aprendem a ver, na crise, oportunidades importantes”, disse o executivo da CPFL. De acordo com ele, vivemos num mundo em transformação, no qual a busca por resultados não pode acontecer a qualquer preço.

“Nos últimos anos, por não considerarem o equilíbrio dos interesses de todos os stakeholders e os impactos de suas atividades, muitas empresas sucumbiram às transformações na sociedade e no planeta”, afirmou Ferreira, citando como exemplos de busca desenfreada por resultados os escândalos financeiros, casos de corrupção, danos ambientais e trabalho infantil, entre outros.  “Algumas empresas simplesmente desapareceram. Outras, tiveram seus negócios seriamente afetados”.

O MEG

Maciel salientou que os fundamentos de excelência, bem como os critérios da FNQ, compõem um conglomerado de estratégias consistentes e capazes de fazer as organizações ultrapassarem situações como a atual. “O modelo da FNQ, com sua excelência operacional, nos proporciona focar nos fundamentos para enfrentar cenários de incerteza”.

O executivo da Suzano disse que sua empresa e a CPFL são exemplos importantes de que o trabalho da FNQ é fundamental para o sucesso das organizações. “Somos empresas robustas, do ponto de vista financeiro, e ganhadoras do PNQ. Se o MEG não fosse eficaz, não estaríamos aqui para contar nossas experiências”, disse Maciel. 

“O MEG é o nosso principal direcionador estratégico. Somos bons de gestão e disseminamos isso para todos os nossos stakeholders”, afirmou Ferreira. “A crise tem seus aspectos negativos, mas também tem seu lado positivo, pois coloca todo mundo pensando na sociedade, de maneira sustentável e igual”, completou ele.

Futuro

Questionados sobre qual o olhar que têm para o futuro, Wilson Ferreira e Antonio Maciel disseram que os próximos anos evidenciarão grandes desafios, alguns riscos e oportunidades imensas. “Retomar o crescimento econômico; ampliar a eficiência de consumo; reduzir desigualdades sociais; gerar energia inteligente, a partir de fontes limpas e renováveis; mitigar os impactos do aquecimento global; e adaptar-se a um mundo mais regulado e com maior controle são alguns desses desafios que nos esperam pela frente”, afirmou o presidente da CPFL. 

Ferreira afirmou que estamos assistindo a revolta do meio ambiente, em decorrência do que fizemos no passado. “Um desafio é descobrirmos como reverter isso. É preciso fazermos uma gestão ambiental adequada, termos um consumo consciente”.  O executivo ressaltou que a desigualdade social é outro aspecto que o preocupa, em relação ao futuro. “O Brasil melhorou muito, mas há muito o que evoluir, ainda existe muita injustiça social, que também gera instrumentos de revolta. Precisamos trabalhar para que possamos resguardar e incorporar mais justiça social”.

Para o executivo da Suzano, um fator de extrema relevância para encarar positivamente o futuro é trabalhar preventivamente, com visão a longo prazo.  “O Brasil tem jeito. Temos muitos exemplos do que é a capacidade brasileira de realização. O que precisamos é adaptar e evoluir na agenda”, afirmou Maciel.

Para ele, além das questões citadas por Ferreira, outros dois aspectos são fundamentais para o futuro das organizações e do País. “É preciso replicar e aperfeiçoar modelos de gestão de sucesso. A FNQ faz isso de maneira espetacular, mas há a necessidade de outras instituições fazerem o mesmo”.  Além disso, a educação também é de extrema relevância. “A educação é a base de tudo. Por meio dela podemos mitigar os riscos de desenvolvimento social, ambiental e econômico”, finalizou.

AES dissemina boas práticas de gestão


AES_Projeto%20Pomar%201

A AES Eletropaulo, finalista do Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) 2008, foca seu trabalho de qualidade da gestão na busca pela excelência, de acordo com Fátima Molina, que integra a gerência de planejamento estratégico da empresa.  Ela apresentou o caso durante o 17º Seminário Internacional em Busca da Excelência, no dia 20 de maio, promovido pela FNQ.

Para incentivas as boas práticas de gestão, a AES Eletropaulo dissemina sua estratégia para 100% dos colaboradores. “Se eles não souberem qual é a estratégia, não poderão trabalhar alinhados a ela. Por isso é preciso disseminar o mapa estratégico de forma lúdica”, contou Fátima. “É importante que os colaboradores percebam onde estão inseridos dentro da empresa, para que contribuem e onde seus trabalhos agregam valor”. 

Ela explicou que são identificados os gaps e as práticas de gestão aderentes aos fundamentos de excelência. “Ser membro da FNQ evidencia nossos padrões rígidos que pautam nossos trabalhos. Para disseminar e incentivar as experiências, a AES adaptou o Modelo de Excelência em Gestão® (MEG) da FNQ para a linguagem dos seus colaboradores. “Fizemos isso para criar um modelo com a nossa identidade, que possa ser compreendido pelo operacional”, afirmou a executiva.

Metodologias

A dinâmica de trabalho que envolve boas experiências na AES Eletropaulo é composta por reuniões de trabalho, seleção de práticas indicadas como pontos fortes, realização de oficinas de boas práticas, redação dos formulários de boas práticas da FNQ e submissão das mesmas para avaliação e aprovação da instituição. “A partir do diagnóstico da gestão fazemos as melhorias, refinamentos e inovações necessárias”, disse Fátima.

Ela explicou que a disseminação e o reconhecimento dos resultados é de extrema relevância para a continuidade e aperfeiçoamento dos processos. “É preciso que todos saibam quais os pontos fortes da empresa e quais as oportunidades de melhoria. Bons trabalhos são reconhecidos por meio da intranet, boletim, mural, revista mensal, encontros e seminários”.

Na AES, existem boas práticas em todas as frentes de trabalho e para todos os Critérios de Excelência. “Se trabalharmos focados, de forma integrada, o reconhecimento acontece naturalmente”, disse ela, referindo-se ao PNQ. “A constância de propósitos e o patrocínio da alta direção são fatores primordiais para o sucesso de uma organização. São as pessoas que colocam os processos em prática, por isso elas precisam ser envolvidas, valorizadas e reconhecidas”, finalizou Fátima.

Volvo estrutura seus processos com base no MEG


volvo_logo,jpg

A Volvo é um grupo sueco que atua no mercado brasileiro desde 1934. A empresa, destaque no critério processos no Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) 2008, é a segunda do mundo em fornecimento de soluções de transportes comerciais, de acordo com Regimar Michelin, responsável pela engenharia de manufatura da Volvo do Brasil. Ele proferiu uma palestra no 17º Seminário Internacional em Busca da Excelência, promovido pela FNQ, no dia 20 de maio. “A empresa utiliza conhecimentos para criar soluções aos clientes, sob os valores corporativos: qualidade, segurança e respeito ao meio ambiente”, afirmou.

A Volvo, que atua sob uma gestão matricial, tem na energia, paixão e respeito os pilares que norteiam o relacionamento com seus funcionários. “A organização realiza grandes investimentos para capacitar, valorizar e motivar seus colaboradores”, disse Michelin. Em 2003 a diretoria brasileira da Volvo decidiu utilizar o Modelo de Excelência de Gestão® (MEG), da FNQ, em sua unidade de caminhões, que representa 70% do volume de negócios. “A empresa mergulhou sua equipe de executivos em auditorias internas para montar os critérios. Estabeleceu um sistema de conselhos, processos e subconselhos”.

A partir daí, a equipe implantou o relatório da gestão, com foco no processo. “Introduzimos metodologias para classificar, analisar e tratar os riscos empresariais, visando a continuidade dos negócios. A crise financeira mundial que vivenciamos hoje foi identificada em 2004/2005 pelo nosso grupo”, contou  Michelin. “Os requisitos que gerenciam os processos nos permitem analisar melhorias para seus principais negócios. No caso da unidade de caminhões, produção e distribuição trabalham juntas e visam a melhoria da ecoeficiência dos produtos”, finalizou.

Pernambuco recebe seminário da FNQ


Seminario FNQ Busca da Excelencia

Pernambuco é um dos 13 estados brasileiros escolhidos pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) para receber a edição 2009 dos Seminários Regionais Em Busca da Excelência (Sebe). O evento aportará no Recife no próximo dia 17, com o propósito de difundir as melhores práticas gerenciais de empresas pernambucanas entre empresários, gestores, líderes organizacionais e acadêmicos do Estado. As inscrições para o Sebe – que acontece das 8h30 às 17h, no auditório do Sebrae, na Ilha do Leite – já estão abertas e podem ser feitas gratuitamente pelo site http://www.fnq.org.br.seminário da FNQ

Ao todo, 200 vagas são disponibilizadas para o evento que, em Pernambuco, é realizado em parceria com o Programa Pernambucano da Qualidade (Propeq) e com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Para efetuar a inscrição, o internauta deve acessar a seção “Produtos & Serviços”, no site da FNQ, e, em seguida, clicar na opção “Seminários Regionais”. Depois, é preciso selecionar a opção Sebe-PE e preencher os dados solicitados na ficha de inscrição. Ao final do processo, será gerado um comprovante, que deverá ser apresentado pelo participante no dia do evento.

Na programação do Seminário, cases de sucesso de empresas reconhecidas pelo Prêmio da Qualidade e Gestão Pernambuco (PQGP) e pelo Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas (MPE Brasil), promovidos pelo Propeq e Sebrae, respectivamente. Palestras sobre “Modelo de Excelência da Gestão” e “Excelência na educação” e painel sobre as vantagens da participação em um prêmio da qualidade gerencial também integram a agenda do evento.

Em 2008, foram realizados Seminários em Porto Alegre (RS), São Luís (MA), Vitória (ES), Fortaleza (CE), Palmas (TO), Belo Horizonte (MG) e cidades do interior de São Paulo, reunindo mais de mil pessoas interessadas em conhecer práticas de gestão que possam aprimorar as atividades de suas empresas a fim de torná-las mais competitivas. A última vez que Pernambuco sediou o Sebe foi em 2007.

Confira a programação completa do Sebe – PE:

08:30 Credenciamento
09:00 Palestra “Modelo de Excelência da Gestão® – MEG” – FNQ
09:40 Apresentação Propeq
10:10 Caso de Sucesso “JBR Engenharia” – Vencedora na Categoria Prata do Prêmio Pernambucano da Qualidade ciclo 2008
10:40 Café de relacionamento
11:00 Apresentação Sebrae/PE
11:30 Caso de Sucesso “Escola Paulo Freire” – Vencedora do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas – MPE Brasil ciclo 2008
12:00 Caso de Sucesso “Borda Já” – Vencedora do Prêmio Mulher de Negócios ciclo 2007
12:30 Almoço
14:00 Palestra “Excelência na educação”
14:40 Caso de Sucesso “Sistema de Gestão Integrada”
15:20 Café de relacionamento
15:50 Caso de Sucesso “Processo de Implementação do MEG”
16:30 Painel “Quais as vantagens de participar de um Prêmio de Qualidade da Gestão?”
17:00 Encerramento

FNQ estrutura Banco de Boas Práticas 2.0


FNQ logo

A 17ª edição do Seminário Internacional em Busca da Excelência, promovido pela FNQ, começou, no dia 20 de maio, com a apresentação do novo Banco de Boas Práticas (BBP), iniciativa da instituição que visa a fortalecer o compartilhamento e a disseminação na sociedade de boas práticas de gestão alinhadas aos fundamentos e aos requisitos do Modelo de Excelência da Gestão® (MEG). 

“É um ambiente virtual em que as organizações podem sociabilizar suas experiências. As práticas agregam valor e geram resultados às empresas”, disse Filipe Cassapo, líder de Gestão do Conhecimento da FNQ.

O BBP foi reformulado, aperfeiçoado e passou a ser muito mais interativo. “A intenção é que todos os que colaboram com o BBP falem e escutem ao mesmo tempo, segundo Cassapo. É a nova forma e identidade da ferramenta, a lógica da web 2.0”, explicou o líder.

Funcionalidades

Segundo ele, o processo de Gestão do Conhecimento da FNQ objetiva fortalecer o papel da instituição como ‘energizadora’ de redes de criação e transferência de conhecimentos em excelência de gestão. “O novo ambiente está associado ao MEG e gera resultado para todas as organizações participantes e para a sociedade. Boas práticas existem em todas as empresas”.

Com as novas funcionalidades do BBP 2.0 as empresas e colaboradores têm a oportunidade de interagir diretamente e localizar com mais facilidade uma experiência. Entre as novidades estão o cadastro online da prática, avisos automáticos por e-mail e  sistema de busca mais abrangente. Há ainda a possibilidade de postar comentários sobre as práticas já inseridas.

“O cadastro online, por parte das empresas, agiliza o processo de inserção e os filtros de busca facilitam a transferência de conhecimento e experiências”, disse Cassapo. Ele ressaltou que, assim que inseridas, as práticas são encaminhadas para a FNQ para que possam ser avaliadas e validadas. “Elas passam por um processo de avaliação e refinamento. Aquelas que atingirem uma pontuação mínima de 60% estão maduras o suficiente para serem compartilhadas e publicadas no portal”, explicou.