Ministro destaca papel dos estados na construção da política de CT&I


 

clelio-campolina

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina, destacou que os secretários estaduais de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) terão papel fundamental na construção de um plano ousado para a ciência brasileira. A afirmação foi feita durante a abertura do Fórum Nacional dos Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti), no dia 20 de março, em Cuiabá.

De acordo com o economista, os titulares das secretarias devem ampliar as ações para intensificar o trabalho das fundações de amparo à pesquisa (FAPs), instituições que têm entre os objetivos estimular e financiar projetos locais de pesquisa e desenvolvimento (P&D). “Os secretários terão o papel de elaborar os parâmetros para a política que iremos construir”, disse.

Os programas de CT&I dos estados também foram citados pelo ministro. Na opinião de Campolina, para que a “política nacional de ciência e tecnologia seja integradora e se efetive é necessário construir e fortalecer os planos regionais que vão contemplar estratégias e demandas locais.”

Presente na mesa de abertura, o presidente do Consecti, Jadir Péla, lembrou que os secretários estaduais participam do processo de construção de políticas públicas, como o Projeto de Lei 2.177/11, que prevê aperfeiçoamento nas legislações reguladoras das atividades de P&D. “A entidade está aberta ao diálogo e este é um importante momento para alinhar as metas e promover a integração das ações”, finalizou.

FONTE: (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras)

Mais um projeto SebraeTec entregue: Identidade Visual da Ligno Móveis Corporativos



ligno_moveis_corporativos_marcenaria_planejados_recife_pernambuco_assin_email

Projeto: Cysneiros & Consultores Associados

Contato: sebraetec@icomuni.com.br

Fone: (81) 3052-1775

Ação do Sebrae quer mobilizar gestores


negociosDentro dos próximos meses o Sebrae irá firmar um termo de adesão com os municípios da Região Metropolitana para identificar as deficiências administrativas de cada cidade para então incentivar o desenvolvimento de micro e pequenas empresas. Ontem, foi lançado o Programa Cidade Futuro, como é chamada a iniciativa. O objetivo é mobilizar os gestores a adotarem uma maneira mais moderna de trabalho, articulando projetos que são realizados pelo Sebrae.

“Os prefeitos vão designar duas pessoas para formarmos uma rede de interlocutores com agentes locais. Iremos fazer dez cursos com eles, para capacitá-los e depois solicitarmos a assinatura do termo de adesão ao programa”, explicou a gerente da unidade de Projetos Especiais do Sebrae, Tereza Alves. No próximo dia 12, o Cidade do Futuro será lançado durante um evento da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe).

Ainda ontem, foi criado o prêmio Governador Barbosa Lima Sobrinho, para o prefeito considerado com o maior ímpeto empreendedor em iniciativas trabalhistas. Os agentes capacitados serão os responsáveis por elaborar os projetos que participarão da premiação. O projeto está disponível no site www.pe.sebrae.com.br.

Tecnologia da informação pode acelerar implantação de projetos habitacionais


tecnologia da Informação Construção Civil

O Brasil ainda está atrasado em termos de utilização da tecnologia da informação (TI) e comunicação como ferramenta na construção civil.

O Brasil ainda está atrasado em termos de utilização da tecnologia da informação (TI) e comunicação como ferramenta na construção civil. Embora existam empreendedores, construtoras e contratantes públicos que sabem como essa tecnologia pode ajudar na implantação de processos, “infelizmente isso não significa que os empreendimentos tenham essa tecnologia implementada”.

A avaliação foi feita pelo presidente da Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (Antac), professor Francisco Ferreira Cardoso, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Segundo ele, a maioria não usa esses recursos. “A tecnologia está disponível, mas ainda é novidade para a grande maioria dos empreendimentos e dos projetistas isolados”.

De amanhã (17) a sexta-feira (19), a Antac realiza, no Rio de Janeiro, em parceria com as universidades Federal Fluminense (UFF) e Federal de Juiz de Fora (UFJF), o 4º Encontro de Tecnologia da Informação e Comunicação na Construção. O tema principal é a Modelagem e Integração do Conhecimento na Construção e o objetivo é destacar a importância da tecnologia da informação na construção civil. Seu uso ganha realce com o programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida, que prevê a construção de 1 milhão de casas para a população com renda entre três  e dez salários mínimos, com recursos subsidiados.

O presidente da Antac disse que hoje em dia, mesmo as construções habitacionais mais simples são complexas e a produção corre em ritmo acelerado. “Então, ter ferramentas que apoiem a troca de informações entre os diferentes agentes do processo de produção é fundamental para acelerar o processo e garantir a qualidade do resultado”.

Para Cardoso, além de agilizar a troca de informações, a tecnologia da informação aumenta a qualidade do projeto e dá mais confiabilidade às decisões tomadas. Ou seja, “diminui as chances de erros”. O professor confirmou que o uso dessa ferramenta pode contribuir para a redução do custo inicial do empreendimento.

“Tudo o que concorre para a melhoria dos processos gerenciais tende a reduzir custos. Ela não vai mexer no produto em si: na casa, no prédio que vai ser construído. Mas, vai trazer elementos para aqueles que trabalham no projeto e na construção acelerarem o processo”, comentou.

Francisco Cardoso lembrou, por outro lado, que a TI pode ajudar na redução de outro custo fundamental, ligado à operação e à manutenção das construções. “Construções que tenham erros de projeto vão ter chance de funcionar mal ao longo do uso. Ou coisa até pior. São o que a gente chama de manifestações patológicas”.

Isso significa que um prédio ou uma casa mal projetados e mal construídos podem apresentar “doenças” posteriormente, como problemas de passagem de luz, isolamento mal feito, trincas, acarretando ônus aos futuros moradores. “Isso representa custo para consertar o problema”. O presidente da Antac destacou que um projeto de melhor qualidade tende a ter custo menor de operação e de manutenção.

A gerente regional de Negócios da Caixa Econômica Federal no Rio, Solange Barata Duarte, participa do encontro no próximo dia 17, abordando o programa Minha Casa. Minha Vida.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, existem atualmente diversos projetos de TI voltados para o setor da construção civil. São ferramentas que auxiliam desde a gestão de projetos, CRM, até o controle de custos operacionais. O que falta é o diálogo entre as entidades representantes do setor da construção e as empresas de tecnologia da informação. 

Essas informaçãoreforçaa importância das micro e pequenas empresas de TI trabalharem em forma de consórcio para suprirem as demandas do setor da Construção Civil.

 

icomuni_5anosA ICOMUNI Consultoria é especialista em Gestão do conhecimento, em gerenciamento de projetos (PMI), gestão de processos, padronização de metodologias, capacitação e o treinamento, e na metodologia de desenvolvimento ágil de Projetos (SCRUM).

Para as demandas de projetos de TI, para consultoria, gerenciamento, parcerias, orçamento e consócio de empresas podem ser enviadas através do e-mail: icomuni@icomuni.com.br.
 
Veja também
Mais informações sobre Tecnologia da Informação:
  1. Projetos de Tecnologia E-Gov
  2. Área de risco será foco dos investimentos em TI no setor financeiro
  3. Saiba quais são as certificações que garantem destaque no mercado
  4. Cresce investimento em TI
  5. Inovação: Uma vantagem competitiva para as empresas de todos os portes
  6. Parceria de sucesso: Gestão do Conhecimento para as Micro e Pequenas Empresas