Todas as empresas de Google, Alphabet e produtos da A a Z


alphabet

O Google anunciou que vai se dobrar em uma empresa maior, chamada Alphabet. O novo Google “slimmed”, como o atual CEO Larry Page colocou, agora será dirigido por Sundar Pichai, até agora o chefe de produto da empresa. A Pichai gerenciará os negócios principais do Google, como pesquisa e publicidade. Alphabet será essencialmente uma holding para o Google, bem como todos os projetos, ideias loucas, investimentos de capital e subsidiárias que a Google adquiriu ao longo dos anos. A página continuará como CEO do Alphabet, e o co-fundador do Google, Sergey Brin, será seu presidente.

E é um nome bastante adequado, visto que, de fato, existe um projeto, negócio ou produto do Google: desculpe, alfabeto – por cada letra do alfabeto. (Embora ainda não esteja claro em todos os casos, quais deles serão executados como unidades de negócios Alphabet separadas do Google).

A – Android / AdSense / Analytics / Ara / AdMob / Alerts

B – Blogger / Boston Dynamics / Books

C – Calico / Cardboard / Capital / Contact lenses

D – Drive / DeepMind / Design / DoubleClick

E – Earth / Express

F – Fiber / Fi / Flights / FeedBurner / Firebase / Finance

G – Google (duh) / Gmail / Glass / Groups

H – Hangouts

I – Images / Ingress / Inbox / Invite Media

J – Jump

K – Keep

L – Local / Loon

M – Maps / My Business / Makani

N – Nexus / News / Now / Nest

O – Offers

P – Plus / Play / Photos / Picasa / Pixate / Patents

Q – [Nexus] Q

R – Refine / reCaptcha

S – Search / Self-driving car / Shopping / SageTV / Stackdriver / Skybox / Skia / Scholar

T – Translate / Tango

U – URL shortener

V – Voice / Ventures / VirusTotal / Video

W – Wear / Wallet / Web Toolkit / Wing

X – Google X labs

Y – YouTube

Z – Project Zero / Zagat

And in case you want a visual representation of that:

The above image was taken by OC Always and shared under a CC BY 2.0 Creative Commons license from Flickr.

Google_Alphabet_subcompanies1

Anúncios

Os passos essenciais para gerenciar a reputação online do seu hotel


Post do convidado Daniel E. Craig, fundador da Reknown

Nos últimos anos, o gerenciamento da reputação online para hotéis emergiu como uma estratégia fundamental para medir a satisfação do cliente, focalizar em melhorias e atrair mais reservas.

De acordo com uma pesquisa recente do TripAdvisor mais de 10.000 empresas no ramo da hotelaria do mundo inteiro consideram o gerenciamento da reputação online como a principal prioridade de investimento em 2015, superando reformas, marketing, treinamento dos colaboradores e tecnologia (TripBarometer, 2015).

Fonte: TripBarometer

Mas não é todo hotel que sabe definir a melhor abordagem para o gerenciamento da reputação. Ao definir uma abordagem organizada para todo o hotel se aumentam as chances de lucro, de evitar armadilhas como oportunidades perdidas, evitar comentários negativos e perda de tempo.

Para ajudá-lo a manter o foco, aqui estão os 10 passos essenciais para gerenciar a reputação online do seu hotel:

1. Compreender a importância do gerenciamento da reputação online
O gerenciamento da reputação online consiste no processo de monitoramento, gerenciamento e realização de ações de acordo com o feedback das avaliações online, o que ajuda a gerar mais consciência, satisfação do cliente e receita. Como cada vez mais os turistas consideram as avaliações online como parte do planejamento e forma de compartilhar uma viagem, uma reputação positiva é fundamental para o sucesso dos hotéis.

2. Defina as metas e estratégias de reputação
Defina a visão que gostaria que os seus hóspedes tivessem do seu hotel depois que forem embora. Analise suas pontuações e classificações nos sites de avaliações mais relevantes e decida onde você gostaria de estar (metas) e como vai fazer para chegar lá (estratégias).

3. Faça uma abordagem em equipe
Compartilhe sua visão, metas e estratégias de reputação com sua equipe e garanta que eles compreendam seus papéis no cumprimento delas.

4. Esteja preparado
A parte mais importante do gerenciamento da reputação online acontece no próprio hotel. Estabeleça uma política e diretrizes de redes sociais no próprio hotel para garantir que os funcionários compreendam os riscos de maltratarem os hóspedes. Treine e capacite a sua equipe para superar as expectativas dos hóspedes e evitar problemas na propriedade, que possam gerar reclamações on-line.

5. Otimize sua presença on-line
Reivindique e atualize seus perfis em páginas relevantes de avaliações online como TripAdvisor, Google Business, Yelp e agências de viagens on-line. Adicione descrições, imagens e informações de contato, e garanta que o conteúdo seja mantido com precisão e atualizado com o decorrer do tempo.

6. Configure ferramentas de monitoramento
Com tanta conversa nas redes sociais, é praticamente impossível manter-se ao tanto de tudo. Para garantir que não perca informações, configure alertas para os sites de avaliações e redes sociais para ser notificado de comentários e menções sobre o seu hotel. Nomeie uma pessoa para ser responsável de monitorar comentários e distribuí-los aos departamentos apropriados. A ferramenta de gerenciamento da reputação ajudará a automatizar esse processo.

7. Analise o feedback
Preste muita atenção nos comentários das avaliações e procure padrões que devem ser considerados, assim como os pontos fortes para que possam ter influência nas comunicações de marketing como os principais diferenciais com relação aos concorrentes. Combine o feedback das avaliações online dos hóspedes com o feedback dos questionários internos aos hóspedes para obter uma visão completada satisfação dos clientes.

8. Realize ações
Compartilhe o feedback com sua equipe e use-o como uma ferramenta construtiva de aprendizagem. Reveja as políticas e procedimentos, tome as medidas necessárias para corrigir problemas, evitar reclamações recorrentes e para gerar um fluxo constante de avaliações positivas.

Picture39. Reconheça e recompense
Forneça aos funcionários atualizações frequentes sobre o progresso para atingir as metas de reputação. Incentive e recompense funcionários e gerentes para alcançarem suas metas, atribuindo-lhes avaliações positivas e comemorando os seus sucessos.

10. Responda as avaliações
Responder é uma oportunidade para mostrar que você está ouvindo e se preocupa com o feedback dos hóspedes, para mudar percepções e tranquilizar potenciais clientes. Priorize comentários que exigem um pedido de desculpas, um esclarecimento ou uma demonstração de gratidão. Agradeça ao hóspede, se desculpe se alguma coisa deu errado, e diga que está fazendo acompanhamento do seu caso.

Integre essas etapas nas operações diárias e cultura de seu hotel, e terá aumentos na satisfação dos clientes, receberá melhores avaliações e irá atrair mais turistas, contribuindo assim para garantir o sucesso em longo prazo do seu hotel.

ReviewPro pode ajudá-lo em todas as etapas do processo de gerenciamento da reputação online. Proporcionamos os dados de avaliações e classificações de 142 sites de avaliação com o Global Review Index TM, use-o para ter um referencial do seu desempenho e analisar comentários e identificar oportunidades para aumentar a satisfação do cliente e permanecer à frente da concorrência.

Share on LinkedInEmail this to someone

Qual é a importância da gestão de reputação?

Três dicas especiais para melhorar o desempenho no TripAdvisor

Veja o que nossos especialistas recomendam para melhorar o desempenho do seu estabelecimento no TripAdvisor, o que influenciará suas reservas diretas, sua reputação online e muito mais.

Com tanto conteúdo no TripAdvisor, é possível que você encontre dicas ou informações fraudulentas ou até mesmo contrárias às diretrizes do TripAdvisor. Aproveitar ao máximo os benefícios do TripAdvisor é muito importante. Queremos garantir que você tenha as informações corretas para alcançar os melhores resultados com a sua presença no maior site de viagens do mundo1.

Com esse objetivo, apresentamos três dicas sugeridas pela nossa equipe para melhorar seu desempenho no TripAdvisor.

Primeiro, vamos esclarecer a terminologia. Sua “pontuação no TripAdvisor” é diferente do seu “ranking no TripAdvisor”. Funciona assim:

  • Com base na experiência que tiveram no seu estabelecimento, os viajantes dão notas e fazem avaliações sobre ele.
  • Com base nessas avaliações, seu estabelecimento recebe uma pontuação geral no TripAdvisor: 5 é a nota máxima.
  • Sua pontuação no TripAdvisor entra no cálculo do ranking geral do seu estabelecimento no TripAdvisor em comparação a outros estabelecimentos na sua região. O ranking do TripAdvisor também é conhecido como Índice de popularidade.
  • Quanto mais altas forem suas pontuações e mais recentes forem as avaliações, melhor será a posição do seu estabelecimento no ranking do TripAdvisor.

Agora vamos às dicas para melhorar sua posição no ranking no TripAdvisor:

Mantenha o foco nos serviços offline para melhorar os resultados online

Quer receber mais avaliações dos clientes e pontuações mais altas baseadas nessas avaliações? Concentre-se em proporcionar uma ótima experiência ao visitante. O que você faz ou deixa de fazer durante a visita do cliente afeta diretamente a experiência e a avaliação dele. Do momento da entrada até o da saída do cliente, e durante toda a estadia, seja o mais acolhedor e prestativo possível.

Isso ajuda você a acompanhar suas avaliações no TripAdvisor. Que elogios aparecem nas avaliações positivas? Use-os como exemplo do que você está fazendo certo para atender melhor o cliente e descubra formas de agradá-los ainda mais. Se isso parecer complicado, concentre-se no que é possível fazer para se destacar da concorrência e oferecer uma experiência que você mesmo adoraria ter ao viajar. Talvez você não tenha recursos e orçamento para fazer tudo o que gostaria de imediato. No entanto, você pode começar a fazer algo agora mesmo. Seja autêntico e determinado: isso vai atrair mais clientes (e aumentar a quantidade de avaliações).

Aceite e responda a avaliações negativas

Alguns estabelecimentos tendem a ignorar ou esconder avaliações negativas. Há dois motivos pelos quais você deve fazer o contrário. Primeiro, porque as Respostas do administrador às avaliações negativas (e também positivas) mostram aos clientes em potencial que você está preocupado em proporcionar a melhor experiência possível e valoriza o feedback do cliente.

Segundo uma pesquisa recente da PhoCusWright, a gestão da reputação online é a área que terá mais investimentos dos hoteleiros em 20162. Embora responder às avaliações não tenha um efeito direto sobre sua posição no ranking no TripAdvisor, isso pode gerar mais reservas e avaliações.

O segundo motivo pelo qual você deve aceitar avaliações negativas é porque o feedback dos clientes abre as portas para a realização de melhorias operacionais. Talvez você esteja tão envolvido com as operações do dia a dia que não veja algo que um novo cliente identifica com facilidade. Cada avaliação é uma vitrine que mostra a experiência do cliente no estabelecimento. O quarto não estava completamente limpo? Converse com sua equipe de limpeza e reforce o treinamento, se necessário. Consideração, comunicação e ação: é assim que você transforma o feedback em melhorias para todos os futuros clientes, o que pode influenciar significativamente suas pontuações no TripAdvisor e, consequentemente, no ranking do TripAdvisor.

NÃO ofereça incentivos em troca de avaliações

A oferta de incentivos, como cupons ou upgrades, em troca de uma avaliação viola as regras do TripAdvisor. Isso acontece porque tratamentos especiais ou descontos podem interferir na veracidade e precisão da avaliação dos clientes. As avaliações feitas em troca de incentivos serão retiradas do site para que não influenciem sua posição no ranking do TripAdvisor. Outras penalidades contra seu estabelecimento e sua posição no ranking poderão ser impostas. Importante: estabelecimentos que incentivarem clientes a fazer avaliações dessa forma não poderão concorrer às premiações do TripAdvisor, como o Travellers’ Choice e o Certificado de Excelência.

Use um dos recursos de marketing gratuitos que o TripAdvisor oferece aos proprietários para gerar mais avaliações. O recurso Avaliações Expressas envia e-mails aos clientes solicitando que façam uma avaliação. Em apenas alguns minutos, é possível criar e enviar um e-mail personalizado e com qualidade profissional para até 1.000 clientes de uma só vez. Além disso, os hoteleiros dizem que esse recurso ajuda a criar um vínculo com os clientes durante a visita. Faça um evento para a interação entre a equipe do estabelecimento e os clientes. Ou procure saber como cada cliente está sendo atendido e se você pode fazer algo para ajudá-lo. Esse tipo de interação causa uma boa impressão nos viajantes. Quando eles voltam para casa, a tendência é que compartilhem suas experiências e opiniões com outras pessoas.

Ao seguir essas recomendações, você estará no caminho certo para melhorar sua pontuação e sua posição ranking no TripAdvisor. Essas dicas funcionaram para muitos dos 5,3 milhões de acomodações, restaurantes e atrações no TripAdvisor. E podem ajudar você também.

E não se esqueça: se quiser recomendações ou dicas para alcançar o sucesso no TripAdvisor, é sempre melhor ir diretamente à fonte das últimas dicas, notícias e tendências do setor, o TripAdvisor Insights.

  • 1.Fonte: comScore Media Metrix para os sites do TripAdvisor, dados mundiais, julho de 2015
  • 2.Fonte: TripBarometer 2015

– See more at: https://www.tripadvisor.com.br/TripAdvisorInsights/n1965/tres-dicas-especiais-para-melhorar-o-desempenho-no-tripadvisor#sthash.N7kfXznE.dpuf

O que é Guest Intelligence? O que seu Hotel precisa saber

Sendo um hoteleiro você faz malabarismos para estar envolvido em todos os departamentos e preocupações o tempo inteiro. Desde o momento das reservas até check-ins, limpeza, gestão de receita e o bem-estar dos hóspedes. Estando sempre sob muita pressão para garantir que a sua propriedade esteja prestando o serviço adequado em momentos de alto pico de trabalho. Manter um foco consistente no bom funcionamento de um hotel faz com que seja ainda mais difícil identificar onde estão as falhas em agradar aos hóspedes, algo também conhecido como Guest Intelligence. Mas o que é exatamente Guest Intelligence?

O relatório do TripBarometer de 2015, que foi lançado há duas semanas pelo TripAdvisor, mostrou que “ 60% dos hotéis investe em soluções para gestão da reputação online em comparação com os 12 meses anteriores[i]“. Portanto, se sua propriedade não está monitorando ativamente a sua reputação online ou fazendo uso do Guest Intelligence para fazer melhorias cruciais operacionais e no serviço, sua propriedade pode perder reservas.

O que é Guest Intelligence?

Guest Intelligence é a análise detalhada das opiniões on-line e dos dados dos questionários de satisfação dos hóspedes – o que inclui tanto os questionários do período durante e após estadia, para fornecer uma visão completa sobre o que os hóspedes gostaram e não gostaram em suas estadias, e determinar como melhorar o serviço de hotel. Recolhendo e analisando o feedback dos hóspedes, você já não tem que adivinhar quais ações irão melhorar a estada dos hóspedes no futuro. A partir de um singular e fácil de usar painel de instrumentos poderá verificar exatamente quais áreas/departamentos da sua propriedade tem um bom desempenho e quais precisam de melhorias. No próprio painel poderá identificar quais mudanças operacionais e no serviço são necessárias e implementá-las, para desta forma, aumentar a satisfação dos hóspedes.

Por que as Avaliações On-line são Importantes para um Hotel?

  • “89% dos viajantes globais consideram as avaliações on-line importantes na hora de fazer uma reserva.”[ii]
  • “53% dos viajantes não reservaria um hotel que não tem comentários.” [iii]
  • “78% dos consumidores confiam em recomendações, enquanto apenas 14% confiam em propaganda(s).” [iv]
  • “Ao pesquisar no TripAdvisor lugares para se hospedar, 80% dos entrevistados [de uma pesquisa do TripAdvisor em 2014] informa ter lido pelo menos 6-12 comentários antes de tomar uma decisão, e eles estão mais interessados em comentários recentes.”[v]
  • “O Global Review IndexTM (GRI – Ferramenta exclusiva da ReviewPro para verificar a pontuação da reputação online, é usada por milhares de hotéis no mundo todo como o ponto de referência para a gestão da reputação) exige um mínimo de 25 avaliações de hóspedes para fazer uma classificação global da reputação de um hotel e de sua posição competitiva.”

Como a Guest Intelligence ajuda um Hotel a melhorar a sua reputação online?

Com o aumento da satisfação do cliente (devido às mudanças operacionais/nos serviços implementadas de acordo com os dados da Guest Intelligence), o seu hotel receberá menos comentários negativos – e em muitos casos, um aumento de avaliações positivas. Como o número de avaliações positivas aumenta a reputação on-line de sua propriedade também irá melhorar – um fator que pode ter um impacto significativo na receita global da sua propriedade. De acordo com um estudo de 2012 da Universidade de Cornell (usando dados do ReviewPro), um aumento de um ponto no GRI de uma propriedade pode possivelmente gerar:

  • 0,89% de aumento no preço (ADR).
  • 0.54% de aumento na taxa de ocupação.

A época de ignorar as avaliações dos hóspedes ficou no passado

“Quando os preços entre hotéis são parecidos, os clientes são 3,9 vezes mais propensos a escolher o hotel com as avaliações mais elevadas, [vi]” tornando-se uma prática altamente valiosa monitorar e gerenciar proativamente os comentários dos hóspedes. Além, de reunir e analisar Guest Intelligence para ter uma visão global e usar o feedback para fazer mudanças operacionais necessárias, sugerimos que torne uma prioridade responder os comentários dos hóspedes.

Você sabia que “87% dos participantes do questionário concordaram que uma resposta e administração adequada de uma avaliação ruim melhoraram sua impressão da propriedade [vii]”? Isso significa que você tem a capacidade de neutralizar quase por completo o impacto de uma avaliação negativa se tomar as decisões corretas. O ideal é responder a todos os comentários, mas se o tempo e os recursos não permitem você deve (pelo menos) responder qualquer comentário negativo, assim como aqueles que fazem uma pergunta e exigem uma resposta direta ou esclarecimento.

Os hotéis devem investir na gestão da reputação online

Mais do que nunca, todos os hotéis devem integrar uma estratégia de gestão da reputação online em sua gestão de receita e planos operacionais para 2015 e futuro. Fazendo isso, contará com uma forma eficaz de aumentar de forma proativa o volume das avaliações de sua propriedade, reservas e receita.

Seis Diretrizes para Administrar os Conflitos com os Hóspedes e Prevenir Avaliações Online Ruins

Solucionar conflitos com os hóspedes é uma das coisas mais difíceis que os funcionários enfrentam no setor de serviços. Se algo for mal administrado, uma denúncia feita na propriedade pode acabar virando uma avaliação online ruim. Opiniões negativas podem assustar e afastar potenciais clientes e deixar uma cicatriz permanente na reputação e receitas da sua empresa.

Quando os hóspedes dedicam seu tempo para informar a propriedade sobre um problema, isto deve ser considerado como um presente. Eles estão dando-lhe a oportunidade de fazer as coisas bem. A forma como lide com o problema e responda terá um impacto decisivo no resultado.

Confira a seis diretrizes para a administração de conflitos com os hóspedes que tem como meta evitar avaliações negativas e dar uma impressão positiva aos hóspedes sobre você e sua empresa.

1. Gerenciar as expectativas

Os hóspedes chegam à sua porta com expectativas com relação à qualidade, valor e serviço que a sua empresa irá fornecer. Se as suas expectativas não forem atendidas, podem gerar conflitos.

Evite usar superlativos em materiais promocionais como “o melhor”, “superluxuoso” e “serviço inflexível” a menos que esteja confiante de que poderá oferecer estas características sempre. As empresas muitas vezes recebem comentários negativos sobre tais alegações. É melhor prometer menos e oferecer mais.

2. Estar ciente de provocações

Muitas vezes as reclamações nas avaliações estão mais relacionadas à como a equipe lidou com o problema quando foi levado ao seu conhecimento do que o problema em si. Provocações são coisas que um empregado faz ou diz que deixam um hóspede irritado. Quanto mais emocional um hóspede fique mais difícil será para argumentar com ele.

Existem três tipos de provocações:

Provocações visuais incluem gestos, linguagem corporal, expressões faciais, postura, apresentação pessoal e ambiente. Se a sua mandíbula estiver fechada e evitar o contato visual ou seus braços estiverem cruzados o hóspede pode interpretar isso como apatia, falta de flexibilidade ou até mesmo agressão. Um local de trabalho bagunçado ou com a aparência desalinhada também pode indicar uma falta de preocupação. Mostre aos hóspedes que se importa com eles, estabelecendo contato visual, usando uma linguagem corporal aberta e garantindo que o seu entorno é organizado e profissional.

Provocações verbais estão relacionadas com as coisas que são ditas. Interromper pode gerar uma situação tensa, assim como dizer que os hóspedes estão errados, se recusando a aceitar a responsabilidade e citando a política da propriedade. Evite dizer coisas como “Você deve ter” e “eu não posso”; em vez disso, diga ao hóspede o que pode fazer.

Provocações vocais estão relacionadas com o tom, volume e velocidade da sua voz. Falar muito rápido pode confundir ou irritar um hóspede, enquanto falando devagar ou em voz alta pode parecer condescendente. Esforce-se para falar claramente, com uma voz forte, confiante e um tom reconfortante.

Em interações cara a cara, as indicações visuais e vocais desempenham um papel dominante. No telefone, deve contar com pistas verbais e vocais para transmitir um significado. Em mídias sociais e e-mail, está limitado a pistas verbais, então escolha das palavras é especialmente importante.

3. Manter uma atitude positiva

Esteja ciente de que você também é suscetível a provocações. Se um hóspede diz algo ofensivo ou falso, você pode se irritar e estar menos disposto a ajudar. Trabalhe duro para controlar seus pontos fracos. Lembre-se que é o seu trabalho agradar aos clientes, e às vezes isso significa ignorar os seus próprios sentimentos.

A atitude é o aspecto chave. Ao invés de temer em ter que lidar com clientes irritados, pense nessas situações como um desafio. Diga a si mesmo: “Eu posso lidar com isso. Eu vou mudar opinião deste hóspede”. Uma atitude positiva e um ótimo serviço podem ajudar a acalmar até mesmo o hóspede mais irado.

4. Entenda o que os hóspedes irritados querem

A maioria das pessoas são sensatas. Eles não esperam perfeição e entendem que erros podem acontecer. As suas necessidades são simples. Eles querem:

Um ouvinte com empatia. Coloque-se no lugar do hóspede. Viajar pode ser cansativo e estressante e os hotéis podem ser intimidantes e confusos. Deixe os hóspedes à vontade, garantindo-lhes que os entende e que está disponível para ajudar. Apresente-se e dirija-se a eles pelos seus nomes para estabelecer um relacionamento. Não os prive da sua necessidade de desabafar. Dê-lhes a sua total atenção, ouça atentamente e faça perguntas para esclarecer a situação.

Um pedido de desculpas. Um pedido de desculpas sincero às vezes é o suficiente para aclamar um cliente irritado. As pessoas querem reconhecimento quando sentem que foram injustiçados. Pode não ser sua culpa, mas isso não deve impedi-lo de se lamentar pela chateação deles e querer corrigir a situação.

Uma solução rápida. Quanto mais tempo demore a resolver o problema, é provável que mais chateado fique o hóspede. Se os hóspedes não são escutados e devem repetir as suas histórias uma e outra vez, isto irá aumentar seus sentimentos de injustiça. Não pense que eles estão procurando compensação. Em vez de impor uma solução que pode não ser a mais adequada, sugira algumas opções e trabalhe juntamente com o hóspede para encontrar uma solução que seja mutuamente satisfatória.

Acompanhamento. Diga ao hóspede como será o acompanhamento do seu caso. Cuidado para não fazer promessas que não poderá cumprir. Registre detalhes no perfil do hóspede, informe aos teus colegas sobre a situação e tome as medidas necessárias para garantir que o problema não se repita. Uma ligação de acompanhamento da gerência ou um recado no quarto do hóspede irão reforçar o seu cuidado e preocupação com ele.

5. Treine e capacite a sua equipe

A gerência deve fornecer aos funcionários orientações, formação e capacitação para resolver problemas de forma rápida e eficaz. Se a equipe sabe quais passos deve seguir e até onde pode agir para apaziguar os hóspedes a gerência irá apoiar as suas decisões, e eles vão agir com mais confiança.

Se as exigências de um hóspede são excessivas, pese os custos decorrentes do cumprimento do pedido contra os riscos de não cumpri-los. Tente satisfazê-lo parcialmente. Por exemplo, se disser: “Eu não tenho autoridade para atender ao seu pedido, mas podemos oferecer um desconto de 25%. Isso é satisfatório para você?” Se você não está autorizado a oferecer uma compensação, diz que vai discutir o assunto com um gerente e deixe o hóspede informado de que irá receber uma resposta.

Se um cliente ameaçar com escrever uma avaliação ruim caso não ceda às suas exigências excessivas, lide com a situação com sua habitual cortesia e profissionalismo e trabalhe duro para encontrar uma solução. Fazer uma chantagem com uma avaliação é contra os termos de serviço do TripAdvisor. Vá até o Portal de Administrador do TripAdvisor e preencha o formulário para denunciar uma chantagem. Se o hóspede continuar ameaçando, conteste a avaliação, remetendo para o formulário.

6. Faça comprovações do status de satisfação dos hóspedes

Ao invés de esperar até à partida para perguntar como foi a estadia do hóspede, quando pode ser tarde demais para corrigir problemas, realize comprovações durante a estadia. Faça perguntas abertas como: “Como está sendo a sua estadia?” Esteja atento para sinais de problemas e faça acompanhamento para garantir que o convidado não vá embora chateado.

Ao mostrar genuína preocupação e se esforçar para mudar a opinião dos hóspedes chateados, você não só vai evitar comentários negativos, como pode até mesmo conseguir comentários positivos. Com tratamento especializado, os hóspedes que mudam de opinião podem se tornar seus maiores defensores. Estabeleça como meta fazer com que os casos de “Tivemos um problema” se transformem em “A equipe fez um trabalho incrível resolvendo o nosso problema e com certeza vamos voltar”.

Os questionários de satisfação ao cliente do ReviewPro durante a estadia podem ajudá-lo a recolher feedback antes que os hóspedes deixem o hotel. Os hotéis que usam a solução de Gestão de Questionários de Satisfação (GSS) do ReviewPro tem acesso instantâneo ao feedback dos hóspedes em tempo real através de alertas automáticos (há também a opção de enviar questionários após-estadia depois do check-out). Com a solução Online Reputation Management (ORM) do ReviewPro pode obter uma compreensão mais profunda do desempenho da reputação, assim como identificar os pontos fortes operacionais/serviço e fraquezas. A perspicácia combinada do GSS e ORM vai permitir-lhe aumentar a satisfação do cliente, classificação em sites de avaliação/OTAs e, finalmente receita.

Gerencie sua Reputação Online

É frustrante não poder controlar o que as pessoas dizem sobre seu estabelecimento hoteleiro. No passado, o prejuízo era reduzido. Um hóspede insatisfeito poderia impactar um pequeno círculo de pessoas. Hoje em dia, um hóspede insatisfeito pode arruinar seu negócio.

Basta apenas um vídeo mostrando insetos na cama se espalhar e nunca mais seu fluxo de visitas será o mesmo. É importante estar online e verificar a reputação de seu hotel / pousada / hostel, para saber exatamente o que estão falando sobre você. Não é fácil saber por onde começar este trabalho. Seguem aqui algumas orientações dos principais locais da internet que devem ser veirificados.

Busca do Google

O primeiro local, mais óbvio, é a Busca do Google. Você saberia dizer quais os primeiros 10 resultados que aparecem quando alguém busca o nome de seu estabelecimento hoteleiro? Teste agora e veja. Abra uma nova janela de seu navegador (nova janela anônima) e busque seu estabelecimento. Você vê seu próprio website? Seu registro no Yelp? Facebook? TripAdvisor? Vasculhe cada resultado para buscar referências ao seu negócio. Caso encontre opiniões negativas ou injustas, crie uma conta no referido website ou portal e gerencie-as. (Falaremos mais sobre isso em um instante). Quando se trata da sua reputação na busca do Google, seu melhor amigo é o Alertas do Google.

Alertas do Google

Alertas do Google é uma ferramenta que avisa quando alguma pessoa no mundo publica algo sobre sua marca. Você pode utiliazr esta ferramenta para descobrir avaliações e referências no momento em que elas são publicadas. Visite a página de Alertas do Google e crie um novo alerta com o nome de seu estabelecimento. O Google enviará um email para você quando descobrir que alguém fez alguma menção. Isso permite que você responda rapidamente às avaliações negativas ou informações falsas, para mitigar o prejuízo.

An image showing how to make a Google alert for hotels.

Este procedimento é praticamente obrigatório para você, o Gerente ou o gestor de Marketing. Você pode usar os Alertas do Google não apenas para monitorar sua reputação mas também a de seus concorrentes. Crie alertas para os nomes dos seus principais concorrentes e descubra o que a mídia diz sobre eles. Você pode entrar em contato com os veículos de mídia e sugerir que falem sobre sua propriedade também. O Alertas do Google pode ajudar a monitorar quando um concorrente listar inventário em um novo portal de nicho. Assim, você pode ficar de olho em seus concorrentes ao mesmo tempo em que desenvolve suas táticas, sempre um passo à frente.

Google Meu Negócio (antigo ‘Places’)

O Google é o primeiro local que alguém visita quando quer aprender sobre algo. Isso significa que temos que estar a par do Google Meu Negócio. Google Meu Negócio é um diretório de estabelecimentos locais. Eles provavelmente já têm uma página para seu estabelecimento hoteleiro. O Google apresenta esta listagem juntamente com websites concorrentes. Isso significa que se alguém busca seu hotel, você aparecerá como um dos primeiros resultados, além de aparecer na listagem quando alguém busca um concorrente próximo.

Screenshot showing reviews of a hotel on Google My Business.

Você precisa tomar a posse deste perfil e garantir que as informações que aparecem lá estão corretas. Depois de se tornar o administrador do perfil, você pode integrar com seu website. Isso ajuda a melhorar os resultados de seu website nas buscas pela sua marca.

Além disso, verifique as opiniões listadas no Google Meu Negócio. Caso alguma delas não seja apropriada, você pode marcar como spam ou abuso. Assim o Google poderá avaliar se é válido remover ou esconder algum comentário. Lembre-se de não exagerar no uso deste recurso para que o Google não bloqueie ou ignore seu estabelecimento.

Yelp

Yelp é uma ferramenta mundialmente famosa para avaliações de restaurantes, mas que tambem possui inúmeras avaliações de hoteis. Veja se seu estabelecimento já aparece por lá. As avaliações do Yelp aparecem com um bom ranking nas buscas do Google, por isso é importante que você monitore o que estão falando sobre seu negócio.

Image of a Yelp hotel review.

Você pode criar uma conta no Yelp para poder requisitar a administração de seu perfil, atualizar conteúdo e gerenciar avaliações. É possível marcar avaliações abusivas e, o mais importante, responder a estas avaliações. Isso lhe dará a oportunidade de explicar as circunstâncias que levaram a uma má avaliação e ter a chance de se redimir. Muitas pesquisas mostram que os hóspedes, ao verem respostas amigáveis e sinceras para erros cometidos, tendem a ter uma opinião muito melhor sobre o estabelecimento.

TripAdvisor

É muito provável que já exista uma página para seu estabelecimento no TripAdvisor, você já deve visitá-la com frequencia. TripAdvisor é um dos portais mais populares para os hóspedes em busca de estadias. Também é um lugar comum para que os hóspedes desabafem coisas que os desagradaram. De acordo com a pesquisa PhoCusWright, 77% dos turistas lêem avaliações no TripAdvisor antes de fazer uma reserva em um hotel.

Assim como o Yelp, é importante responder às avaliações feitas no TripAdvisor. Os Hoteis com as melhores avaliações são aqueles que têm como hábito responder às avaliações.

OTAs

Mesmo que você não divulgue muitas acomodações nos portais de agências online (Online Travel Agencies – OTAs), é importante ter sempre uma listagem atualizada. Booking.com, Expedia, hotels.com, Mala Pronta, Travelocity e Priceline têm rankings excelentes na Busca do Google. Seus hóspedes com certeza verão alguma delas. Cada uma delas oferece avaliações dos hóspedes. Pesquise e veja o que dizem sobre seu negócio.

This is a photo of teh top ten search results for a hotel's brand name. In it, we see OTAs appearing.

Digamos que você tenha encontrado resultados negativos na primeira página de resultados de busca do Google ao buscar pelo nome de sua marca. Uma estratégia para controlar melhor isso é listar ao menos uma acomodação em cada uma das grandes OTAs. Mesmo que não deseje que o maior fluxo de hóspedes venha das OTAs, ao menos você terá controle sobre o conteúdo de sua marca. Como as OTAs possuem um bom ranking nas buscas, o novo conteúdo pode ’empurrar’ os resultados negativos para a segunda página de resultados da busca do Google, que tem muito menos visualização.

Utilize um channel manager (gerenciador de canais de venda) como o myallocator para listar uma parte de seu inventário na maior quantidade de OTAs que puder (e fizer sentido para seu negócio, claro). O gerenciador de canais permitirá que você mantenha a disponibilidade sempre sincronizada para evitar overbookings. Assim você terá um bom controle sobre os resultados da primeira página do Google.

Diretórios de Nicho

Além das grandes OTAs, existem dezenas, talvez centenas de pequenas agências de nicho (mercados específicos). Talvez seu hotel já apareça nelas. Procure e veja se seu perfil aparece corretamente. Caso existam fotos desatualizadas, envie novas fotos. Caso as tarifas apareçam erradas, use um channel manager para sincronizar as tarifas corretas. Caso tenha avaliações injustas, entre em contato e peça a correção da situação.

Como mencionado anteriormente, listar sua propriedade em OTAs com altos rankings em busca é uma tática excelente para genreciar sua reputação. Veja a lista de Canais conectados ao Myallocator. Ao listar suas acomodações em qualquer um deles, você aumenta não apenas sua ocupação, mas o controle sobre seus perfis.

Facebook

A maior parte das conversas sobre seu estabelecimento no Facebook são privadas, que nem você nem o público em geral pode ver. No entanto, existem “locais” públicos no Facebook, como Páginas (Fan Pages) e Grupos. Nestes locais, os hóspedes lêem opiniões, comentários e links ligados à sua marca. Busque no Facebook e encontre.

Here is an image of a hotel's reviews on Facebook.

Você tem uma Página Facebook para Empresas de seu estabelecimento que você nunca acessa? Acesse e verifique como está. Hóspedes deixam avaliações e opiniões nas páginas de empresas e mesmo propaganda, links e spam. Faça uma limpeza geral de tudo que não for apropriado e planeje-se para sempre dar uma olhada de como está sua página.

Mesmo se você nunca criou uma página no Facebook para sua propriedade, é possível que já exista uma. No passado o Facebook criava perfis automaticamente para negócios locais. Algum hóspede pode ter criado um perfil em nome de seu hotel também. Pode haver mais de uma página com sua marca. Faça uma solicitação ao Facebook para que você possa tomar controle, consolidar as diversas contas e mostrar informações corretas.

Outro motivo importante de ter uma página, é que conteúdo do Facebook costuma ter bom ranking nas buscas do Google. É comum a página do Facebook de um Hotel aparecer na primeira página de resultados na busca pela marca. Arrume sua página do Facebook tão linda como sua recepção.

Diretórios Locais e Jornais

Existem milhões de pequenos websites sobre localidades específicas e jornais regionais. Procure conhecer os que existem em sua região. Sua TV local tem algum programa sobre as empresas do local? Verifique sua presença nestes veículos.

Apenas o começo

A internet é infinita. É virtualmente impossível encontrar todos os casos em que seus hóspedes mencionam seu estabelecimento. Por isso, é melhor focar os locais que estarão visíveis aos seus futuros hóspedes. Utilize este artigo para dar o passo inicial e manter sua gestão de reputação ao longo do ano. Assim, você será sempre o primeiro a saber.

Foto: Miguel Pires da Rosa

 

Tripadvisor revela dicas de gestão on-line para hotéis

Hotelaria , Página dos hotéis do Trip Advisor (reprodução)

Página dos hotéis do Trip Advisor (reprodução)
Atualmente, as avaliações on-line dos hóspedes têm sido uma das principais prioridades na gestão de qualquer empreendimento hoteleiro.

Pensando nisso, e em como a gestão de reputação on-line influencia diretamente no desempenho dos hotéis, a Atmosphere Research Group, empresa de pesquisa no setor de viagens, divulgou um estudo que busca analisar o nível de engajamento dos hotéis e o impacto que isso causa no Tripadvisor, maior site de reviews do mundo.

O estudo responde à maior das preocupações dos hoteleiros em todo o mundo, frente a esta nova realidade: como capitalizar a partir de avaliações e gerenciamento de sua reputação on-line para atrair mais negócios.

A conclusão do estudo revela que empreendimentos mais engajados obtêm mais visualizações, rankings de popularidade mais altos e maior número de pedidos de reservas no Trip Advisor. Além disso, registra que, para a obtenção de melhores resultados, é necessária não apenas uma, mas uma série de ações contínuas que determinam a diferença quando se trata do desempenho da unidade.

Entre as informações apuradas, observou-se que empreendimentos mais engajados recebem quatro vezes mais visualizações; melhoram a visibilidade do mercado, com média de 63% a mais de alcance, em comparação com hotéis não engajados; e geram mais reservas por meio de produtos como o Perfil Plus, que trazem de 30% a 40% a mais de interações de viajantes para hotéis altamente engajados.

CICLO VIRTUOSO
O estudo também aponta que empreendimentos bem-sucedidos comprometem-se a incentivar sistematicamente as opiniões de clientes pós-estada; monitoram e analisam todos os comentários postados; promovem melhorias com base em insights de avaliações recebidas; assistem o aumento da satisfação do hóspede, e consequentemente a visibilidade no Tripadvisor, criando o que chamaram de “ciclo virtuoso” e aprimoram as ações de visibilidade para o site, fazendo com que o ciclo continue se repetindo.

Para mais informações e para download do matéria completo, acesse: www.tripadvisor.com.br/tripadvisorinsights.

6 passos para gerenciar a reputação online de sua pousada ou hotel

Gerenciar os comentários no Google, Foursquare, TripAdvisor é apenas um passo para manter uma boa e-reputação. Veja as dicas

No setor de viagens, muitas empresas compreenderam a necessidade de monitorar e responder aos comentários no TripAdvisor, mas só 32% gerenciam sua página de forma ativa, respondendo comentários ou enviando fotos e detalhes relevantes sobre o local ou evento.
Mas o que poucos sabem é que, gerenciar os comentários no Google, Foursquare, TripAdvisor é apenas um passo para manter uma boa e-reputação. Aqui estão seis passos para ajudar seu hotel ou pousada a ter uma boa e-reputação.

1 – O que andam dizendo sobre seu hotel ou pousada

Existem diversas ferramentas gratuitas que permite que você saiba o que as pessoas estão falando sobre a sua marca nas redes sociais, fóruns ou blogs. Um muito legal é o Menção Social que, além de mostrar o que dizem sobre sua marca, também fornece informações sobre o sentimento, ou seja, positivo, negativo ou neutro. Também podemos ver as palavras-chave utilizadas, os usuários que mencionam a marca, em que plataforma e assim por diante.
Outras ferramentas gratuitas valem o seu tempo são os serviços do Google, como Google News e Alerta do Google. Também existe os painéis de mídias sociais como o HootsuiteSproutSocialSocialBro ou TweetDeck, esses são muitos uteis para monitorar o que dizem sobre a marca.

2- Invista em Palavras-chaves e SEO

Se a primeira parte foi feita com diligência, você já sabe quais as palavras-chaves os clientes usam para encontrar a sua marca e seus concorrentes. Uma boa estratégia de marketing de conteúdo é saber os gatilhos certos que estão na mente de seu público-alvo, para que você possa realizar suas vontades e desejos com a informação certa. Tendo essas palavras-chaves e informações alinhadas com o seu produto ou serviço, é seu dever garantir que o conteúdo seja formulado com isso em mente em todos os canais de comunicação, tanto off-line e on-line, também seu site, newslletters, blog, redes sociais…
Você pode ter esse tipo de informação,bem como de seus concorrentes para compreender melhor quais palavras-chaves estão gerando mais tráfego na web e em quais palavras-chaves você pode querer investir em campanhas no AdWords. O melhor lugar para começar é olhar seus próprios resultados, sites como Google Analytics ou SEM Rush podem contribuir muito para isso.
Ficar afiado nessas ferramentas garante que você saiba exatamente quem, quando e o que está sendo pesquisado em relação a sua propriedade ou destino. Isso também é um fator importante na gestão de reputação online.

3- Identificar e se envolver com os influenciadores

Isso pode acontecer por meio de uma conversa no Twitter ou talvez até mesmo no Facebook. Mas os dois melhores lugares são via grupos no LinkedInd e comunidades no Google+. Fique atento à pessoas que compartilham perguntas, respostas, comentários e opiniões em grupos e comunidades. Isso representa uma boa oportunidade para conhecer pessoas que podem, mais tarde, transformar-se em amigos, clientes e defensores da marca.

4- Estratégia de monitoramento continuo 

Aqui você precisa basicamente continuar a fazer o que foi feito na primeira etapa. Para ser mais estratégico na suia abordagem, você pode querer considerar ferramentas mais sofisticadas que monitoram não apenas conversas on-line, mas também o sentimento de maneiras muito mais detalhadas do que as ferramentas livre podem fazer.
Isso pode ajudar a identificar mudança no sentimento popular no sentimento sobre sua marca, o que lhe permite ser pró-ativo com a situação na mão em vez de reagir quando for tarde demais para isso.
Ter um planejamento estratégico também significa identificar quais plataformas são essenciais para a sua gestão de reputação da marca. Enquanto o Facebook é o rei das mídias sociais agora, pode não ser o lugar onde a maioria dos seus clientes estão ou onde eles escolhem para se envolver com você. No caso de um hotel ou pousada, você vai querer monitorar e responder os comentários feitos no TripAdvisor, Booking ou Google.

5- Ter envolvimento com colaboradores e entusiastas da marca

Ter uma comunidade crescente online, seja no Facebook, Twitter ou LinkedIn é bom em muitas coisas: Pode ajudar a promover nocas ideias para o desenvolvimento de produtos e serviços, ajudar com a promoção cruzada, retenção e fidelização. Mas que incentivam os funcionarios a se envolver em mídias sociais, podem se beneficiar de ter um maior alcance e de ter uma voz mais diversificada que ajuda a “humanizar” a marca e ter conversas mais autênticas.
Ter evangelistas da marca pode se tornar uma vantagem distinta quando surge uma crise, uma vez que eles podem e vão defender a seu favor. Você acaba tendo um exército de colaboradores sociais que reafirmam os fatos, caso uma situação exija, em várias plataformas, onde a sua equipe de marketing e comunicação por si só poderiam ter um pouco mais de trabalho para chegar.

6- Espere o inesperado

Não menos importante: esteja preparado! Mesmo sendo difícil esperar o inesperado, você pode pelo menos se prepara para uma situação de crise. Se no seu local tem uma piscina, o que acontece se alguém se ferir gravemente com muitas pessoas no local? Essas situações hipotéticas devem está preparadas em sua pousada ou hotel. Principalmente num mundo onde em questão de segundos já se tem a noticia no Facebook, com fotos em tempo real no Instagram. Como você ia lidar com isso?
Estas questões podem e devem ser identificadas antes de ocorrer uma situação, de modo que quando o inesperado acontece, você vai saber o que fazer.
Espero que tenha te ajudado e você tenha gostado!
Autor: Pablus Vinii

6 formas de trabalhar a reputação do seu hotel e pousada

POR REDAÇÃO BLOG GAZIN ATACADO • 14/06/16

Um casal que decidir sair em viagem. Membros de uma família que vão tirar férias juntos. Alguém viajando sozinho. Uma secretária organizando a viagem de empresário.

Em qualquer uma das situações acima, na hora de escolher onde se hospedar, as pessoas irão seguir um dos passos abaixo – ou todos eles:

  • Pedir indicações de amigos sobre hotéis e pousadas da região onde irão ficar.
  • Procurar na web quais são os hotéis mais recomendados por outros consumidores.
  • Verificar o que os hóspedes que já ficaram no estabelecimento falaram sobre ele.

Ou seja: a reputação que seu hotel ou pousada tem é crucial para que as pessoas decidam se hospedar nele. No mercado atual, mais do que o preço, é a credibilidade de sua marca que irá atrair mais clientes.

Quer saber como trabalhar a reputação de seu hotel para que ele seja indicado pelos hóspedes e também esteja sempre as principais recomendações on-line? Siga as dicas a seguir:

melhorar reputação hotel (2)1) Proporcione uma experiência marcante

O primeiro passo para garantir que seu hotel tenha uma boa reputação é proporcionar uma experiência marcante para cada um de seus hóspedes. Assim, eles sairão satisfeitos, deixarão comentários positivos em suas avaliações e, se alguém pedir indicação, com certeza indicarão seu negócio.

 

2) Esteja presente nas principais plataformas online

melhorar reputação hotel (3)Além disso, é essencial que seu hotel esteja presente nas principais plataformas on-line para que, quando o cliente fizer sua busca na internet por um lugar para ficar, ele encontre o seu negócio. Além de estar em sites especializados em reservas e busca de hotéis, como o TripAdvisor e o Booking.com, por exemplo, é fundamental garantir a presença de sua marca nas redes sociais.

Confira nos artigos a seguir dicas importantes nesse sentido:

melhorar reputação hotel (6)3) Responda e acompanhe os comentários on-line

Apenas estar presente nas plataformas on-line não é o suficiente para garantir a boa reputação de sua marca. É preciso atuar de forma constante nesses canais. Por isso, é importante sempre responder os comentários que os clientes deixam – seja em qual plataforma for. Especialmente se for uma avaliação negativa. Ao verificar que seu hotel teve uma avaliação ruim, mas que deu retorno e tentou resolver a situação, o cliente ficará com uma boa impressão da empresa – de que ela se importa com o bem-estar e a satisfação de seus clientes.

No artigo abaixo mostramos como os comentários dos clientes podem ajudar a melhorar seu hotel:

melhorar reputação hotel (4)4) Aposte no Marketing de Conteúdo

Imagine que você tem um amigo que é expert em informática e que sempre o ajuda você quando você precisa. Se alguém pedir indicação de um técnico nessa área, é justamente esse amigo que você irá indicar, certo? Com o seu hotel é a mesma coisa. Sua marca precisa ter a reputação de especialista em seu segmento. Se você investir em conteúdo de qualidade, que ajude o seu cliente, com certeza ele irá indicar sua empresa quando alguém pedir indicação de hotel ou pousada.

Saiba mais sobre Marketing de Conteúdo e entenda como aplicá-lo lendo estes artigos:

melhorar reputação hotel (1)5) Invista no pós-venda

A reputação de seu hotel depende de vários fatores, e um deles é a lembrança que sua empresa deixou na mente de seus clientes. Para garantir que seus hóspedes tenham sempre uma boa lembrança de seu hotel – e, mais importante, que eles se lembrem de sua empresa – é imprescindível continuar o contato com eles depois que eles vão embora. É esse contato constante que você irá fortalecer o relacionamento entre sua marca e seus clientes e, consequentemente, aumentará as chances de seu hotel ser indicado por eles.

Este texto pode ajudá-lo neste sentido:

melhorar reputação hotel (5)6) Tenha um programa de fidelidade

Ter um programa de fidelidade em seu hotel traz diversas vantagens. Além de recompensar a lealdade de seus clientes fiéis, pode aumentar a taxa de indicação de sua marca – aprimorando sua reputação. Isso porque hóspedes satisfeitos com as vantagens obtidas pelo programa tenderão a indicar cada vez mais sua empresa. Além disso, dentro do programa, você pode incluir recompensas para os clientes que indicarem sua marca.

Saiba mais sobre como implementar essa estratégia:

SERVIÇO: 

Gestão de Reputação de marca

OFICINA:

Reputação de marca;

Conceito de gestão;

Qualidade;

Não conformidade;

Avaliação do cliente;

Processo Revisão e Ajuste;

Padrão de resposta e relacionamento;

Sites de reputação;

TripAdvisor; Reclame aqui; Otas.

 

Consultoria  –  Desenvolvimento/Implantação da Gestão de Reputação de marca online com utilização da ferramenta de mensuração de resultados para Gestão de Reputação de Marca.

CYSNEIROS E CONSULOTORES ASSOCIADOS
http://www.cysneiros.com.br
Fone: (81) 3445-2956
Email: contato@cysneiros.com.br

G is for Google (AlphaBet)


Como Sergey e eu escrevi na carta original fundadores, há 11 anos, “Google não é uma empresa convencional. Não temos a intenção de se tornar um AlphaBet” Larry Page

AlphaBet.com nova companhia contará com todas as divisões atuais do Google,alphabet_google flammarion Cysneiros que vão desde os serviços de internet centralizadas na Google Inc. a áreas como desenvolvimento e pesquisa em saúde (Calico), tecnologia (Google X) e investimento (Google Capital e Google Ventures). Ela herda assim os números da empresa, que em 2014 chegaram a uma receita de US$ 66 bilhões e renda líquida de mais de US$ 14 bilhões.

Basicamente significa que a Google pode construir um portfólio muito mais amplo de novos negócios sem necessariamente envolver a ‘marca Google.

Gráfico explica organização da Alphabet, nova empresa-mãe do Google

Se você acompanhou as notícias da última segunda-feira, 10, já sabe que o Google agora faz parte de uma companhia maior, a Alphabet. O Olhar Digital conta tudo neste link e, neste aqui, explica os porquês da nova configuração.

Mesmo assim, ainda pode ser um pouco complicado compreender o que está acontecendo. Pensando nisso, o pessoal do Business Insider organizou a nova empresa de uma forma gráfica, o que facilita bastante o entendimento.

Confira:

Reprodução

O Google está mudando, e não é pouco. A empresa está sendo reorganizada e reformulada para dar origem à Alphabet Inc., que será um guarda-chuva para todas as atividades da companhia. O Google como conhecemos hoje será apenas uma parte da Alphabet, embora ainda seja, disparado, a maior parte.

Como resultado disso, Larry Page, fundador e hoje CEO do Google, deixa o cargo para ser o executivo maior da Alphabet, enquanto Sergey Brin, outro fundador, se torna presidente da Alphabet.

O posto de CEO do Google não ficará vago por muito tempo. Sundar Pichai, que se notabilizou por seu trabalho com o Android, mas que ao passar dos anos começou a tomar conta de cada vez mais serviços da empresa, se tornará o novo chefe da companhia.

Reprodução
Sundar Pichai agora é CEO do Google; Larry Page e Sergey Brin comandarão a Alphabet

Segundo Larry Page, a Alphabet poderá controlar todos os projetos paralelos do Google, que estavam indo muito além dos serviços de internet que eram característicos da empresa. Isso inclui a áreas como o desenvolvimento das lentes de contato inteligentes para medição do nível de glicose para diabéticos e a Calico, focada no aumento da longevidade humana. Cada uma destas subdivisões da Alphabet terá seu próprio CEO.

A nova companhia também abraçará o que antes era chamado de “Google X” (agora deve se chamar apenas “X lab”), com os projetos ambiciosos de sempre, como o carro autônomo, o Glass, os drones, e etc. Os braços de investimentos serão separados do Google e se tornarão independentes, mas sob o controle da Alphabet.

Page explica que o nome da nova companhia significa “uma coleção de letras que representa a linguagem, uma das inovações mais importantes da humanidade, e é o núcleo de como indexamos com
o Google Search”.

Ele também observa que a Alphabet não deve se tornar uma grande marca para o consumidor. O objetivo é que cada uma de suas partes sejam independentes para desenvolver suas próprias marcas. Ou seja: o objetivo é deixar a nova companhia como plano de fundo gerenciando uma grande variedade de serviços, produtos e projetos que levarão seus próprios nomes de forma livre.

Mais Notícias:

O Google escondeu um segredo inusitado na página da Alphabet

10/08/2015 19h48
4
siliconvalley

Reprodução

Os criadores do Google pegaram o mundo de surpresa nesta segunda-feira (10) com a criação da Alphabet, uma empresa que terá o próprio Google como uma de suas subsidiárias. A nova marca já tem inclusive o próprio site, abc.xyz – que por acaso esconde um easter egg inusitado, relacionado à série de comédia Silicon Valley, da HBO.

Para vê-lo, acesse a página e clique primeiro no More para ver o restante do comunicado. Ali no meio, procure por “our drone delivery effort”, e tente em seguida clicar no ponto que encerra a frase. Se você não conseguiu ou simplesmente não quer ter o prazer de descobrir o segredo escondido, a página para a qual você será redirecionado é essa aqui.

Foto por: Reprodução

A relação entre o endereço e o seriado é até óbvia para quem assistiu à segunda temporada. Nela, a Hooli – que funciona como o “Google” no Vale do Silício fictício – cria sua própria divisão de pesquisas avançadas, nos moldes do Google X. O nome? Hooli XYZ.

O personagem Big Head, que aparece logo de cara no site, é colocado como braço direito do setor para pouco depois assumir o cargo de chefe por sua “competência”. Sua equipe fica responsável por desenvolver projetos inovadores, como um braço mecânico – que é inclusive testado em um macaco, em uma das melhores cenas da temporada – e o sistema lançado pela Hooli para concorrer no mercado com o PiedPiper.

Google agora pertence à Alphabet, holding criada pelos seus fundadores

Por meio de uma publicação em seu blog oficial, a Google anunciou que agora faz parte de uma empresa chamada “Alphabet”. É isso mesmo!Na verdade, a Gigante das Buscas não foi comprada (e quem conseguiria?), mas sim transformada em uma holding, a tal Alphabet. Com isso, essa nova empresa compreenderá a Google, a Nest, a Calico, a Fiber e vários outros negócios que a empresa criou e comprou nos últimos anos.

A marca “Google” continuará sendo a principal dessa nova holding, compreendendo todos os negócios relacionados à internet e sistemas operacionais. Ou seja, Google Search, YouTube, Gmail, Google+,Mapas e Android ainda estarão sob o mesmo guarda-chuva.

Mas afinal, por que isso aconteceu?

O que essa nova mudança pode trazer de bom para a nova holding é a liberdade de atuar em vários segmentos de mercado diferentes sem ter que atrelar o nome “Google” a tudo, que já identifica implicitamente uma empresa de internet e tecnologia em geral. Ou seja, a Alphabet vai começar do zero e poderá ter negócios muito diversificados sem comprometer a identidade de suas subsidiárias.

Basicamente significa que a Google pode construir um portfólio muito mais amplo de novos negócios sem necessariamente envolver a ‘marca Google’

Troca de CEOs

Fora essa mudança organizacional, a postagem oficial no blog da companhia explica que cada um desses negócios terá um CEO diferente, e a Alphabet será controlada pela dupla de fundadores Larry Page e Sergey Brin, sendo o primeiro o CEO da holding e o segundo o presidente.

Eles devem escolher quem vai comandar cada negócio, e a “divisão Google” já tem o seu novo chefe. Ele é Sundar Pichai que, antes de assumir o cargo de chefe executivo, estava à frente do departamento de engenharia e produtos, incluindo o Android. Page teceu vários elogios a Pichai em sua carta de anúncio da criação da Alphabet, e disse que ele será completamente capaz de levar a nova empresa adiante.

Financeiro

Ainda há poucas informações sobre quando essas mudanças vão de fato se concretizar, mas Page comentou que, quando o relatório do último trimestre fiscal deste ano for publicado, os valores e resultados já estarão separados. Além disso, as ações da atual “Google” serão todas convertidas em ações da “Alphabet” na NASDAQ.

Que diabos de site é esse?

O site da nova companhia já está no ar, “https://abc.xyz/”, e é um tanto estranho. Ao que parece, o nome Alphabet.com não estava mais disponível e/ou era muito caro. De qualquer forma, infelizmente ainda não há muita coisa na página para sanar a curiosidade de ninguém. Fique ligado no TecMundo para saber mais sobre isso.

Google anuncia reformulação histórica e cria nova empresa-mãe, Alphabet

Comandada por Sundar Pichai, Google Inc. se torna subsidiária.
Fundador da companhia, Larry Page é o presidente executivo da Alphabet.

Do G1, em São Paulo

Página 'abc.xyz', usada para anunciar a criação da Alphabet, companhia manterá os serviços de internet do Google à parte do desenvolvimento de novas tecnologias. (Foto: Reprodução/abc.xyz)Página ‘abc.xyz’, usada para anunciar a criação da Alphabet (Foto: Reprodução/abc.xyz)

O  Google anunciou nesta segunda-feira (10) uma alteração em sua estrutura corporativa, o que colocará cada área de seus negócios sob o guarda-chuva de uma nova empresa, batizada de Alphabet. (veja abaixo como fica a nova estrutura)

Esta é a maior reformulação na história da companhia desde que ela foi criada em 1998, ainda como um buscador de internet. Essa nova estrutura será introduzida em fases nos próximos meses.

 

O NOVO GOOGLE
Empresa passa por reformulação histórica

A Alphabet funcionará como uma holding para abrigar as várias divisões de negócio da empresa, que vão desde seus serviços de internet, reunidas dentro da Google Inc., a áreas mais variadas como a Calico (saúde), a Google Ventures (fundo de capital semente), a Google Capital (fundo de investimento) e a Google X (pesquisa e desenvolvimento).

Larry Page, atual presidente-executivo do Google, se tornará o CEO da Alphabet. Já Sergey Brin, o outro fundador da empresa, assumirá a presidência da companhia.

“Fundamentalmente, acreditamos que isso nos permite mais habilidade de administração, já que passamos a comandar coisas que não têm tanta relação de forma independente”, escreveu Page no blog da empresa. “O novo Google está um pouco mais magro, com as companhias que estão muito longe dos nossos produtos de internet contidos na Alphabet”.

Sundar Pichai, vice-presidente do Google para Android, apresenta novidades sobre o sistema no Google I/O 2015. (Foto: Jeff Chiu/Associated Press)Sundar Pichai é o novo presidente da Google Inc.
(Foto: Jeff Chiu/Associated Press)

Empresa dentro da empresa
Com a mudança, a Google Inc., companhia responsável pelas áreas de internet, como YouTube, buscador, Mapas, Chrome, Android, Gmail, passa a ser comandada por Sundar Pichai. Antigo vice-presidente de produtos, ele se torna o novo presidente da empresa.

Contendo os serviços responsáveis por grande parte da receita anual da companhia, que em 2014 chegou a US$ 66 bilhões, a Google se torna efetivamente uma subsidiária da Alphabet.

As demais divisões atuais da Google também passarão a ser subsidiárias da Alphabet, como a Calico (de mapeamento de código genético) e a Life Sciences (de lentes de contato para detectar diabetes).

Outra das antigas divisões alçada ao posto de empresa independente é o Google X, responsável por alguns dos projetos de maior visibilidade da companhia: o Loon, que fornece conexão à internet via balão para lugares remotos do mundo; o carro que se dirige sozinho; o celular modular, que pode ter componentes como bateria e câmera reorganizadas conforme a vontade do usuário; e os óculos inteligentes Glass.

Ações e resultados financeiros
A Alphabet Inc. substitui assim a Google Inc. como entidade na bolsa de ações. De acordo com Page, todas as ações da Google serão automaticamente convertidas para o mesmo número de ações da Alphabet, com os mesmos direitos. As duas classes de ações continuarão a ser negociadas na bolsa de ações americana Nasdaq como GOOGL e GOOG.

Os resultados da Alphabet sobre a nova estrutura serão reportados ao mercado em forma de balanço pela primeira vez em janeiro de 2016, quando serão divulgados os resultados do quarto trimestre de 2015.

Alfabeto
O endereço na internet da página da Alphabet Inc. faz uma brincadeira com o próprio nome da empresa. É o “abc.xyz”.

A url do site aproveita uma possibilidade aberta pela Corporação de Atribuição de Nomes e Números na Internet (Icann, na sigla em inglês), que permitiu, em outubro de 2013, a criação de novos domínios na internet diferentes do “.com”, “.org” e “.br”, por exemplo.

Empresa não convencional
Larry Page e Sergey Brin começaram a desenvolver o buscador on-line que viria a ser o Google em 1996, quando faziam seu doutorado na Universidade de Stanford, nos EUA. Em 1998, a empresa recebia seu primeiro investimento.

Seis anos depois, em 2004, a Google Inc. colocava sua oferta inicial de ações na bolsa de valores. “A Google não é uma companhia convencional. Nós não temos a intenção de nos tornarmos uma”, afirmou Page, citando a carta escrita pelos fundadores há 11 anos.

Reformulação do Google (Foto: Arte/G1)

Acesse: https://abc.xyz

Chrome OS: 7 questões importantes sobre o sistema operacional do Google


Chrome OS Google

Novo sistema operacional do Google pode ser uma ameaça maior ao Mac OS do que ao Windows. Confira possíveis impactos do Chrome OS.

O Google anunciou na terça-feira (7/7) o seu sistema operacional Chrome OS, que deverá chegar aos usuários no segundo semestre de 2010. Confira sete questões sobre o que a chegada do sistema ao mercado.

1 – Ameaça à Apple
Enquanto muitas notícias focarão na ameaça do Chrome OS ao Windows da Microsoft, o principal prejudicado pode ser o Mac OS, da Apple.

Usuários que buscam um sistema operacional alternativo ao Windows, normalmente consideram duas opções: o Mac OS X ou o tradicional Linux. O segundo ainda enfrenta reclamações de problemas de rede e drives dos periféricos. Já o Mac OS tem duas desvantagens: menor número de aplicações (o que não chega a ser um problema para muitos consumidores) e hardware caro.

Se houvesse uma versão do Mac OS que rodasse em máquinas que não são da Apple, talvez o Google não encontrasse um mercado tão promissor. Mas o Chrome OS provavelmente atingirá a mesma audiência do Mac OS X – daqueles que buscam alternativas ao Windows – enquanto oferece uma plataforma que roda em hardwares mais acessíveis.

2 – Preço do Windows 7
Pode-se esperar que a Microsoft pense duas vezes em como vai cobrar pelas variadas versões do Windows 7, especialmente se o sistema operacional do Google atrair a atenção do mercado. A companhia deve ficar mais receptiva às reclamações dos usuários do Vista que querem fazer a atualização de maneira mais barata.

3- Netbooks são apenas o ponto de partida
Usuários de desktops mais potentes podem, inicialmente, hesitar em enviar o controle de seus aplicativos “à nuvem”, mas essas mesmas pessoas podem ser menos resistentes a fazer isso com seus netbooks.

Usuários de ultraportáteis esperam – e usam – menos aplicativos. Libertar-se dos pesados softwares antivírus para Windows pode ser uma vantagem se o Google OS for simples, seguro e rápido como promete.

4 – Grandes empresas não serão as primeiras consumidoras
Os departamentos de tecnologia de grandes corporações não vão substituir seus softwares baseados em Windows pelo sistema do Google. Enquanto o Chrome OS tem boas possibilidades de conquistar espaço em pequenas empresas, as grandes corporações só começarão a adotá-lo quando o sistema provar que tem capacidades de gerenciamento corporativo.

Empresas menores, que necessitam de menos aplicações, podem estar mais interessadas, especialmente se os custos e a manutenção forem menores.

5 – Estudantes são mercado potencial
Atualmente os estudantes têm uma mobilidade que não poderia ser imaginada cinco anos atrás. Eles também são menos preocupados se seus aplicativos estão no desktop ou na web.

6 – Flashback
Pode ser que o Google esteja tentando trazer de volta o mantra da Sun Microsystems, de que “a rede é o computador”.

7 – O domínio do Google seria melhor que o da Microsoft?
No curto prazo, o anúncio do Google aumentará a competição no setor de sistemas operacionais e provavelmente vai incentivar a Microsoft a oferecer melhores condições àqueles que optarem pelo Windows 7. Mas o Chrome OS não roubará uma participação muito grande do Windows no mercado, em curto prazo.

Por outro lado, o Google já tem um ótimo negócio dominando o mercado de busca, que se tornou um dos principais fatores da navegação pela web.

Apesar de o Google tomar para si o slogan corporativo de que eles “são do bem”, a ideia de uma única empresa controlar o desktop, as aplicações e os dados armazenados deve ser preocupante. Será interessante ver se a comunidade do código aberto receberá bem o sistema operacional do Google ou se eles estarão atentos às possíveis consequências desta ação.

O peso de ser Google


Vint Cerf google
Em sua última viagem ao Brasil, o vice-presidente do Google, Vint Cerf, recebeu o Correio/Diario para contar o que pensa sobre a internet atual, quais são os objetivos dos mais recentes projetos da companhia, como o Wave e o Android, e até para fazer o que mais sabe: previsões para o futuro da web.

Vint Cerf é conhecido por ter participado da criação do TCP/IP, protocolo considerado a base de toda a rede, o que lhe valeu o apelido de “pai da internet”. E como todo pai, ele se preocupa com o crescimento saudável de seu filho. “Devemos alertar as pessoas de que se abusarem do sistema (da rede) haverá consequências”, comentou, sobre os atuais projetos que pretendem vigiar o que internauta faz enquanto navega.

Entrevista – Vint Cerf

“Não achamos que toda a criatividade está no Google. Está em vários lugares”

Recentemente vimos algumas instabilidades sofridas pelos serviços do Google. Qual os principais fatores desse tipo de inconstância?

Usualmente, é um problema de configuração. Quando cometemos um erro nesse quesito, o serviço acaba não ficando acessível. Algumas vezes, também é devido à capacidade disponível no computador. Nós nos preocupamos muito com isso, porque sabemos que as pessoas esperam que os nossos serviços funcionem 24h e que respondam bem.

Atualmente, o Google é dono de 64% das buscas feitas na internet. O senhor acha que há lugar para muitos competidores nesse setor?

Eu acho que sim. Na verdade, isso é algo bom para os usuários, porque significa que existe uma competição constante para oferecer melhores serviços de pesquisa. Nós vemos isso como motivação para fazermos mais pesquisas de qualidade nas buscas.

E eu acredito que a razão pela qual as pessoas são atraídas para o Google é que nossa ferramenta de busca parece fazer um trabalho melhor, dirigindo as pessoas às informações que elas procuram.

O que o senhor acha da nova investida da Microsoft no setor de buscas, o Bing?

Acho que eles reconheceram o valor do serviço de buscas, assim como o Wolfram (Alpha), entre outros, e entendo a motivação de tentar entrar nesse setor. A verdadeira questão é como os usuários vão reagir.

O Android, o sistema móvel do Google, é a aposta da empresa para os smartphones.

O senhor acredita que o fato de a plataforma ser aberta faz dele um concorrente para o iPhone?

O Android tem a intenção de ser uma plataforma aberta, o que torna fácil para você fazer o download de novas aplicações. O iPhone tem aplicações mais restritas e a Apple deve decidir sobre quais serviços vão rodar nele. É um ambiente mais restrito.

Nossa filosofia é que se os clientes querem rodar uma aplicação que funcione nessa plataforma devem ser capazes de fazer isso. Então, a verdadeira resposta sobre a competição tem a ver com a criatividade da comunidade do software.

Quais as expectativas em relação ao Wave, considerado o e-mail do futuro?

Na verdade, o Wave é uma dramática integração de diferentes maneiras de se comunicar.

Nós acreditamos que o novo e-mail será poderoso para a colaboração, além de eliminar a separação entre mensagem instantânea, e-mail eletrônico, blog, e outros meios de interação.

O Wave diz: “Bem, estou pensando em um jeito para colocar tudo isso junto”.

Ele entende que cada um de nós procura diferentes maneiras de interagir. Se a ideia do Wave for entendida, isso não será realmente necessário.

O Google Chrome atingiu as expectativas?

O Chrome é uma contribuição muito popular porque é código aberto. Outras pessoas podem acrescentar novas ideias a ele. Isso é parte da filosofia do Google. Não achamos que toda a criatividade do mundo está no Google. Ela está em todos os lugares. Queremos tornar possível que as pessoas contribuam com suas ideias.

Há algum tempo o Google investe na computação nas nuvens (cloud computing).

O senhor acha que, no futuro, poderemos ter um sistema operacional completo naweb?

A resposta geral para sua pergunta é sim. Nós realmente acreditamos nessa noção de cloud computing, em que você pode acessar recursos fora do computador, além de qualquer coisa que você tenha em seu celular. Nós criamos um ambiente operacional onde o seu laptop ou o seu celular é parte de um sistema muito maior e isso é uma forma muito poderosa de trazer capacidade de computação às pessoas.

O senhor é considerado por muitos como o pai da internet, por ter desenvolvido o protocolo TCP/IP, que é a base de toda a rede. Hoje, como vê esse filho?

Antes de tudo, quero deixar bem claro que eu não me considero o único pai da internet.

É importante que todos saibam primeiro que outro homem, chamado Robert Kahn, e eu trabalhamos muito próximos no design original em 1973.

Quanto à sua pergunta, acho que, quando você cria uma infraestrutura como essa, algumas pessoas vão abusar, enquanto outras têm a oportunidade de inventar novas formas de usá-la. Infelizmente, algumas escolhem passar dos limites e colocar todos em risco.

É como um sistema rodoviário.

Infelizmente, algumas pessoas fazem coisas erradas, como beber e dirigir, e colocam todos em risco. Mas nós não paramos de construir rodovias ou fabricar carros quando há acidentes. Em compensação, dizemos: “Olha, se você abusar da estrada e nós pegarmos você, haverá consequências – como suspensão da carteira de motorista ou multas”.

Acho que o abuso na internet é como isso. Devemos alertar as pessoas de que se abusarem do sistema haverá muitas consequências.

Nos últimos anos, quais as novidades que surgiram na internet que chamaram a sua atenção?

Provavelmente, as coisas mais excitantes são os celulares, que se tornaram parte do ambiente da internet. A segunda coisa são ferramentas que estão aparecendo e que fazem parte da internet.

Todas elas estão se tornando parte do nossa rede e, quando isso acontece, elas também se tornam parte de nosso ambiente de informação. É algo extremamente rico e há muito mais coisas chegando.

No Brasil, o Orkut é um serviço de muito sucesso… O que acha da febre de redes sociais?

Acho muito ruim o fato de você entrar no Orkut e não poder se comunicar com alguém que esteja em alguma outra rede social. Estão todos separados.

O Wave foi uma intenção de tornar as coisas mais próximas. Outra coisa que fizemos foi oferecer o que chamamos de open social, com a intenção de permitir as redes sociais de interagirem entre si.

Historicamente, os serviços de e-mail eletrônico não se conectavam, até isso foi resolvido e as pessoas puderam se comunicar.

Atualmente, estamos vivendo a era da web 2.0. Como será a internet do futuro?

Empresas se desenvolvem na capacidade de suas redes de computação. Imagine como seria se todos os processos fossem automatizados# Para isso, nós temos formas de deixar esses processos e essas empresas interagirem entre si.

Acho que o futuro da web 2.0 e 3.0 vai ser um serviço de uma interação muito mais rápida entre as empresas, interagindo pela internet, como as redes sociais.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, o Google se destaca mundialmente como um centro de referêcia tecnológica para a Sociedade da informação e do Conhecimento do sáculo XXI.

”A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, sinaliza o interesse em firmar parceria com as universidades e centros de pesquisa para prover e disseminar soluções inovadoras e a baixo custo voltada para as micro e pequenas empresas do Nordeste do Brasil”.

Veja também

Mais informações sobre o Google:
  1. Google prepara mecanismo de busca para microblogs, afirma blog
  2. Wave quer agregar dados na web
  3. Inovação no Design 2.0 das Logos – Case Google
  4. Google inova mais uma vez e cria algoritmo para contratação de profissionais.
  5. Ferramentas Google para acesso offline em 39 idiomas (incluindo português!)
  6. Google quer oferecer web via satélite a 3 bilhões de pessoas
  7. Google chega ao 10º aniversário e desafia Microsoft e Apple
  8. Google, 10
  9. Google integra YouTube ao Google Talk
  10. Google cria recurso para ver Gmail offline
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados

TopoBlog_ Flammarion

Google, inovação além do buscador


google-lego-logo

Não só de buscas vive o portal. A companhia desenvolveu várias outras maneiras de conquistar usuários e receitas, inclusive com produtos pagos.

Se há uma receita que explique o sucesso do Google é essa: a empresa sabe desvendar os desejos de internautas de todo o mundo. Com suas criações, acabou revolucionando a maneira de as pessoas lerem e-mails, procurarem caminhos e até conhecerem pessoas.

Seja no Brasil, seja na Nova Zelândia, Alemanha ou México, sua ferramenta gratuita de busca é a mais acessada e garante praticamente toda a receita da companhia com a venda de anúncios. Para se ter ideia, 98,5% do seu faturamento é proveniente da publicidade online no site de busca e nas suas outras ferramentas. Mas o Google ainda tem muito que lucrar com suas outras faces, ainda pouco disseminadas. Gratuitas, com exceção dos pacotes para grandes corporações (leia no quadro ao lado), as soluções seguem a filosofia de reunir, organizar, compartilhar e divulgar informações de maneira prática e simples. Aqui reunimos algumas das principais delas, que prometem ajudar os usuários a organizar sua vida virtual.

Gmail

Criado em 2004 com 1GB de espaço de armazenagem, o serviço gratuito de e-mail Gmail modificou o conceito de webmail e forçou o mercado a se reinventar. Seu surgimento forçou o Yahoo e a Microsoft, que ofereciam apenas 6MB e 2MB (1MB equivale a 1 milhão de bytes) respectivamente, a aumentar a capacidade dos seus serviços de mensagens para continuarem competitivas. O mesmo teve de ser feito por outros servidores pagos. Pouco tempo depois, o Gmail aumentou novamente o espaço oferecido e assim sucessivamente a ponto de, hoje, cada usuário poder guardar 315 bytes por segundo em seu endereço virtual.

Gtalk

Para atrair ainda mais usuários, em agosto de 2005, as contas de e-mail do Google ganharam mais uma funcionalidade: um serviço de mensagem instantânea. Com o Google Talk, as pessoas podiam usar gratuitamente o comunicador enquanto estavam na página do Gmail. O produto foi criado para competir diretamente com o MSN, da Microsoft, e o Yahoo Messenger, da Yahoo. De lá para cá, a ferramenta ganhou novas funcionalidades, como envio de documentos e integração do site de relacionamento Orkut. A inclusão da opção de áudio e vídeo também fez com que a empresa entrasse em uma disputa com o comunicador Skype.

Docs

Esta ferramenta permite que pequenas empresas economizem com licenças de softwares para realizar tarefas simples de editor de textos e planilhas. Com o Google Docs o usuário importa documentos, planilhas e apresentações. Como os documentos são armazenados online, o acesso pode ser feito de onde ele estiver. Ou seja, se uma pessoa tiver de modificar algum arquivo durante uma viagem para o Exterior, ela consegue cumprir a tarefa até se estiver em uma lan house. Outra grande sacada da ferramenta é permitir que os arquivos sejam compartilhados e alterados ao mesmo tempo por outras usuários do sistema.

Agenda

Gerenciar tarefas e compartilhar conteúdo com outras pessoas. Essa é a função do Google Agenda, um gerenciador de tarefas que se integra à conta dos usuários de e-mail do Google. Com uma interface simples e organizada, permite acessos a recursos como compartilhar agendas, agregar conteúdo de outras agendas e controlar eventos. Os compromissos podem ser visualizados por dia, semana ou mês. Imagine marcar um encontro com os amigos ou uma reunião com algumas pessoas do trabalho por meio do aplicativo. Para isso, basta incluir o evento na data e permitir a inclusão da informação na agenda por outros usuários.

Desktop

O Desktop Search foi criado com o objetivo de simplificar a organização de informações. É possível fazer buscas de arquivos dentro do computador, em e-mails do Outlook/Outlook Express, arquivos do Word, Excel e PowerPoint e histórico de páginas visitadas na internet. A ferramenta permite ainda que informações sejam inseridas e compartilhadas pelos usuários do sistema e traz uma barra lateral personalizável para acesso a outras seções, como a de notícias, meteorologia, fotos e e-mail.

Chrome

O browser Chrome surgiu, em setembro do ano passado, para competir com o Internet Explorer, da Microsoft, o Firefox, da Mozilla, e o Safári, da Apple. O navegador é capaz de gerenciar vários aplicativos independentes ao mesmo tempo, como acesso à internet, arquivos de música, processador de texto e organizador de fotos. Segundo um recente relatório da NetApplications, até abril deste ano, o navegador do Google possuía 1,8% do mercado mundial. O Explorer ainda lidera de longe o segmento de browser com 65,5%, sendo que o Mozilla detém 22,5% e a Apple, 8,4%.

Maps

Encontrar locais específicos, traçar rotas de tráfego e visualizar mapas: esse é o papel do Google Maps. O serviço disponibiliza mapas e rotas para qualquer ponto do planeta. A versão brasileira traz ainda o Local Business Center, ferramenta que permite o cadastro de empresas que queiram ser encontradas no sistema por qualquer usuário. Algumas empresas petrolíferas, por exemplo, já utilizam a solução para visualizar pontos estratégicos para pesquisas de novas bacias de petróleo.

Earth

Quando surgiu, em 2004, o Google Earth revolucionou a maneira como enxergamos o mundo. Com ele, é possível ver imagens de satélite, mapas, terrenos e construções em 3D. O sistema pode ser adaptado para necessidades corporativas no formato Pró. Nesta versão, é possível realizar pesquisa e inclusão de dados e restringir o acesso a elas. Como exemplo, a Eurodisney criou uma ferramenta interativa que proporciona aos clientes uma viagem tridimensional pelo destino turístico.

De olho nas empresas

Hoje, 98,5% do que o Google fatura vem das vendas de anúncios nas páginas de suas ferramentas. Mas a companhia quer diminuir essa dependência, ampliando as fontes de geração de lucro. Daí surgiu o Google Enterprise. Trata-se de pacotes das ferramentas já existentes adaptadas para as necessidades empresariais, com a vantagem de contar com o suporte técnico e hospedagem de informações nos servidores do Google. Hoje, essas soluções representam apenas 2% do faturamento. “É um número ínfimo perto do potencial que podemos atingir. Estamos mostrando às empresas como elas podem explorar nossos produtos para aumentar a produtividade”, afirma Alexandre Hohagen, diretor-geral do Google América Latina. A grande vantagem dos pacotes corporativos para as empresas é a facilidade de implementação do sistema por parte dos colaboradores. Como as soluções são baseadas em produtos já disponíveis gratuitamente pelo Google no mercado, muitas pessoas têm familiaridade com algumas das ferramentas e dispensam treinamentos técnicos e apresentações. Entre os produtos do pacote estão o Docs, Desktop, Agenda e Gmail. Um serviço semelhante ao Enterprise é oferecido, gratuitamente, para empresas que tenham menos de 50 acessos a uma única rede. Para esse público, o pacote de aplicativos é o APP e o suporte é online.

Opinião da Cysneiros Consultores:

Flammarion Cysneiros - CEO - ICOMUNI ConsultoriaPara Flammarion Cysneiros, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Projetos da ICOMUNI Consultoria, o Google se destaca mundialmente como um centro de referêcia tecnológica para a Sociedade da informação e do Conhecimento do sáculo XXI.

”A ICOMUNI Consultoria empresa há mais de 5 anos no mercado, sinaliza o interesse em firmar parceria com as universidades e centros de pesquisa para prover e disseminar soluções inovadoras e a baixo custo voltada para as micro e pequenas empresas do Nordeste do Brasil”.

Veja também

Mais informações sobre o Google:
  1. Google prepara mecanismo de busca para microblogs, afirma blog
  2. Wave quer agregar dados na web
  3. Inovação no Design 2.0 das Logos – Case Google
  4. Google inova mais uma vez e cria algoritmo para contratação de profissionais.
  5. Ferramentas Google para acesso offline em 39 idiomas (incluindo português!)
  6. Google quer oferecer web via satélite a 3 bilhões de pessoas
  7. Google chega ao 10º aniversário e desafia Microsoft e Apple
  8. Google, 10
  9. Google integra YouTube ao Google Talk
  10. Google cria recurso para ver Gmail offline
Logomarca Cysneiros e Consultores Associados
TopoBlog_ Flammarion

Google prepara mecanismo de busca para microblogs, afirma blog


google_evento_adsense_techbits

Ferramenta funcionaria como o Blog Search, que faz busca entre conteúdos de blogs pela relevância e não apenas por data.

O Google estaria preparando um mecanismo de busca para serviços de microblog, como o Twitter. Segundo o Google Operating System, blog não-oficial especializado na companhia, a ferramenta seria algo como o Blog Search, a busca do Google apenas para blogs.

A atual busca do Twitter, observa o blog, tem dois pontos negativos: é limitada apenas ao Twitter e mostra os resultados pela data.

Também há mecanismos como o Tweetfind, que tentam apresentar resultados pela relevância e o Twingly, que indexa múltiplos sites de microblog – mas nenhum deles faz um trabalho muito bom.

O Microblogging Search Engine apresentaria os resultados pela relevância e também seria integrado ao mecanismo de busca do Google, usando as palavras-chave frequentemente usadas nos últimos posts.

Em abril, Kara Swisher, colunista do All Things Digital, ligao ao jornal The Wall Street Journal, afirmou que a vice-presidente de buscas do Google, Marissa Mayer, estava conversando com o Twitter sobre buscas em tempo real, mas ainda não haviam negociações nem acordos fechados.